Skip to content

Serra de Brasfemes Traditional Cache

This cache has been archived.

Bitaro: Olá Bramble.,
Esta geocache foi arquivada por falta de uma resposta atempada e/ou adequada perante uma situação de falta de manutenção.
Relembro a secção das Linhas de Orientação que regulam a manutenção das geocaches:

O dono da geocache é responsável por visitas à localização física.

Você é responsável por visitas ocasionais à sua geocache para assegurar que está tudo em ordem para funcionar, especialmente quando alguém reporta um problema com a geocache (desaparecimento, estrago, humidade/infiltrações, etc.), ou faz um registo "Precisa de Manutenção". Desactive temporariamente a sua geocache para que os outros saibam que não devem procurar a geocache até que tenha resolvido o problema. É-lhe concedido um período razoável de tempo - geralmente até 4 semanas - dentro do qual deverá verificar o estado da sua geocache. Se a geocache não estiver a receber a manutenção necessária ou estiver temporariamente desactivada por um longo período de tempo, poderemos arquivar a página da geocache.

Se no local existe algum recipiente por favor recolha-o a fim de evitar que se torne lixo (geolitter).

Uma vez que se trata de um caso de falta de manutenção a sua geocache não poderá ser desarquivada. Caso submeta uma nova será tido em conta este arquivamento por falta de manutenção.

More
Hidden : 05/05/2013
Difficulty:
2 out of 5
Terrain:
2 out of 5

Size: Size:   micro (micro)

Join now to view geocache location details. It's free!

Watch

How Geocaching Works

Please note Use of geocaching.com services is subject to the terms and conditions in our disclaimer.

Geocache Description:



SERRA DE BRASFEMES

Do alto dos seus 148 de altitude, junto ao marco geodésico, a Serra de Brasfemes oferece um leitor de paisagem privilegiado, que abarca desde a Serra do Roxo a Este, à Bairrada a Norte, à Serra do Buçaco a Nordeste, ao vale dos Fornos e a Coimbra a Sul, às Gândaras a Oeste e aos Campos do Mondego a Sudoeste. Localmente, também, é possível observar o carácter mediterrânico da paisagem, constituída por extensas vinhas e olivais, que se estendem desde os vales até às encostas das serras.



Devido à sua excelente exposição aos ventos, outrora os cumes da Serra eram engalanados pelos moinhos de vento. No alto da Serra da Brasfemes e cabeço das Almoínhas ainda é possível ver o que resta dos moinhos. A serra tem percurso que é utilizado principalmente por amantes de BTT e Todo-o-Terreno.


FAUNA E FLORA

Répteis
O maior dos lacertídeos da nossa herpetofauna, o sardão (Lacerta lepida), observa-se com frequência atravessando os “carreiros” existentes na Serra de Brasfemes. Este lagarto está activo entre Março e Outubro, apresentando, normalmente, um período de hibernação no Inverno. Também a cobra-rateira (Malpolon monspessulanus) e a lagartixa-do-mato (Psammodromus algirus) são relativamente comuns.
Macho adulto de cartaxo-comum (Saxicola torquata)
Nos pontos mais altos das árvores e dos arbustos das Valas e do Lambaro é frequente observar o picanço-barreteiro e o picanço-real. Já o cartaxo-comum prefere empoleirar-se no alto das varas das videiras, para daí lançar os trinados do seu canto.
Fósseis
No calcário ficaram testemunhos da História Natural da Terra, através de um enorme legado de fósseis, que representam a profusão e diversidade do mundo vivo ao longo de milhões de anos e que atribuem a esta zona um elevado valor científico, devido à sua diversidade paleoecológica. Os grupos de invertebrados são comuns, nomeadamente, os gastrópodes, bivalves e cefalópodes.
Águia-d´asa-redonda (Buteo buteo)
Os ares da serra são dominados pela águia-de-asa-redonda, inconfundível com a sua coloração castanha, asas largas e cauda redonda, que aproveita as correntes de ar ascendestes para subir, para depois pairar, controlando os movimentos no solo das suas presas: ratos, cobras, insectos e aves. Aproveita os pinheiros mansos da serra para aí nidificar. As fêmeas fazem as primeiras posturas em finais de Abril e os juvenis abandonam o ninho em fins de Junho.
Orquídeas
Existem na Terra hà 15 milhões de anos e são consideradas as plantas mais evoluídas. Em Portugal Continental existem 53 espécies. No “chão” calcário de Souselas e Brasfemes estão já identificadas mais de dezena e meia de espécies, o que confere à zona um elevado valor conservacionista.
Madressilva
(Lanicera sp.)

No planalto da Serra de Brasfemes e no alto do Monte das Almoinhas dominam as madressilvas e os pilriteiros, arbusto que na Primavera se cobre do branco das suas flores, que mais tarde se transformam em bagas vermelhas.
Rosa-albardeira (Paeonia broteroi)
Nos recantos mais escondidos, atrás de alguns tufos de arbustos, ocorre uma das espécies mais raras, a bonita rosa-albardeira, localmente conhecida como cuco, por a sua floração coincidir com a chegada dos primeiros cucos-canoros (Cuculus canorus). Trata-se de uma planta relativamente robusta, podendo atingir 70 cm de altura, com flores hermafroditas, solitárias, de cor vermelho-rosa, muito grandes ( 8 a 15 cm de diâmetro) e vistosas. A rosa-albardeira está identificada como um endemismo ibérico e, actualmente, encontra-se ameaçada devido à destruição do seu habitat natural e por ser apanhada para ornamentação.



A CACHE:

É um contentor micro, contém logbook e lápis.
Deixem tudo como encontraram.
Gratos pela visita, esperamos que gostem!


Additional Hints (Decrypt)

Zvav

Decryption Key

A|B|C|D|E|F|G|H|I|J|K|L|M
-------------------------
N|O|P|Q|R|S|T|U|V|W|X|Y|Z

(letter above equals below, and vice versa)