Skip to content

As gravuras não sabem nadar II Traditional Geocache

Hidden : 08/17/2013
Difficulty:
2 out of 5
Terrain:
2.5 out of 5

Size: Size:   not chosen (not chosen)

Join now to view geocache location details. It's free!

Watch

How Geocaching Works

Please note Use of geocaching.com services is subject to the terms and conditions in our disclaimer.

Geocache Description:

Visita aos "restos mortais" da Barragem de Foz Coa.

“As gravuras não sabem nadar”

Atenção às crianças - risco de queda.
Tudo começou em 1949, quando a Hidroeléctrica do Côa apresenta um resumo do plano geral previsto para o aproveitamento hidroeléctrico da bacia do Rio Côa.

Em 1959, esta empresa transfere para a hidroeléctrica do Douro os direitos e obrigações relativos à concessão que possuía em relação ao aproveitamento da energia das águas do Rio Côa. No mesmo ano, apresenta o Plano Geral do Rio Côa. Esse plano só foi pontualmente alterado em 1977, 1986 e 1988. O projecto base de aproveitamento hidroeléctrico de Foz Côa, realizado pela EDP-Porto em 1991, não difere muito do plano de 1959.

Em 1989, na sequência do estudo de impacte ambiental realizado pela Unidade de Arqueologia da Universidade do Minho, que refere: a albufeira "vai submergir todo um universo de estruturas e vestígios que documentam sucessivas etapas de povoamento da região". Também é de notar: "Recomendamos que se realizem prospecções apuradas" na área, incluindo um "exame minucioso do troço entre o local da construção da barragem e a Quinta de Santa Maria (Ervamoira), pois consideramos como altamente provável que existam muitas outras superfícies gravadas, neste momento cobertas por água" da barragem do Pocinho, construída em 1982 uns kilómetros a jusante do local. Esse estudo permitiu a identificação de seis sítios com arte rupestre pré-histórica, dos quais quatro apresentavam pinturas e dois apresentavam gravuras da Pré-história recente e Proto-história.

Em Outubro de 1994 iniciam-se as obras da barragem de Foz-Côa, com o estudo IPPAR ainda em curso. Em Novembro, descobrem-se novas gravuras paleolíticas em Vale de Videiro, Vale de Figeiro e Ribeiro dos Piscos.

Como nunca tinha acontecido em Portugal, multiplicam-se acções cívicas para salvar as gravuras da submersão, que leva um jornalista a falar de gravuras "da consciência cívica". A acção dos arqueólogos é seguida de perto pelos estudantes que se organizam em associações para a defesa das gravuras: "Côa Vivo", Associação Juvenil Olho Vivo, "Movimento de salvaguarda da Arte do Côa", "Associação para a Defesa das Gravuras Rupestres do Foz Côa", constituída essencialmente por estudantes da Escola Secundária de Vila Nova de Foz Côa, a quem devemos o famoso slogan: "As gravuras não sabem nadar". Eles recebem o Presidente da República, que acaba por ir ver as gravuras em Fevereiro 95, pronunciando-se a favor da sua preservação. A organização de um "mega-acampamento" de jovens de todo o país em Vila Nova Foz Côa, em Abril 95, é o auge desse movimento juvenil a favor da arte do Côa. Organizam-se debates públicos sobre o tema em Lisboa e em Braga, onde a audiência de arqueólogos, historiadores e estudantes é aumentada pela presença de "cidadãos comuns". Multiplicam-se nesse ano artigos de opinião de pessoas oriundas dos mais variados horizontes, cujos autores defendem, na maioria, a preservação das gravuras.

Perante tanta resistência por parte da opinião pública, o Governo de Aníbal Cavaco Silva acaba por não tomar nenhuma decisão antes da eleições de Outubro 95. O recém-eleito primeiro-ministro, António Guterres, anuncia a suspensão das obras da barragem logo no primeiro dia de debate do programa do Governo no Parlamento. No final de 95, o projecto de barragem é definitivamente suspenso.

O desmantelamento e furto dos materiais existentes começou quase de imediato. Hoje é possível imaginar o que seria a barragem assim como a sua dimensão e impacto hídrico local. Preocupante é a transformação sem consequência do relevo no local e o custo por visitante às gravuras.

Conteudo inicial: Logbook, lapis e Don't get your neckers in a twist.

Additional Hints (Decrypt)

Cvcryvar

Decryption Key

A|B|C|D|E|F|G|H|I|J|K|L|M
-------------------------
N|O|P|Q|R|S|T|U|V|W|X|Y|Z

(letter above equals below, and vice versa)