Skip to content

Escola Secundária José Estêvão Multi-Cache

Hidden : 02/24/2014
Difficulty:
1.5 out of 5
Terrain:
1.5 out of 5

Size: Size:   micro (micro)

Join now to view geocache location details. It's free!

Watch

How Geocaching Works

Please note Use of geocaching.com services is subject to the terms and conditions in our disclaimer.

Geocache Description:


Escola Secundária José Estêvão

O texto abaixo é uma cópia integral do link: http://jek.blogs.sapo.pt/594.html

"História da Escola!

O liceu foi criado em 1851, ao abrigo do art. 46º do decreto de 20 de Setembro de 1844 (Costa Cabral).

Foi primeiramente instalado no Paço Episcopal.

A partir da leitura de uma acta do Conselho Escolar, datada de 8 de Janeiro de 1852, lavrada pelo professor de Gramática Portuguesa e Latina e Latinizada, que passou a exercer, interinamente, o cargo de secretário, concluem-se que as reuniões do Conselho realizavam-se noutra casa.

Em 20 de Novembro de 1854, o corpo docente do liceu era constituído pelos seguintes professores: 1ª e 2ª cadeira - Germano António Ernesto de Pinho (secretário); 4ª cadeira – Reverendo Padre Mestre Fr. João José Marques da Silva Valente; 5ª cadeira – Manuel Joaquim de Oliveira Santos, que substituía o Reitor; Francês e Inglês – José Perry; Faltava prover as cadeiras de 3ª (Aritmética e Geometria e Álgebra) e 6ª (História, Cronologia e Geografia).

Em 30 de Novembro de 1854, era Reitor interino o prof. Oliveira Santos.

A 29 de Setembro de 1855, é proposto pelo dono do edifício o aumento do arrendamento para quarenta mil reis anuais. Algumas vozes opuseram-se no Conselho do Liceu, e foi deliberado que o Conselho se representaria a Sua Majestade, revelando-lhe as dificuldades que o liceu atravessava.

Na sessão do Conselho do Liceu de 20 de Junho de 1857, toma posse o novo reitor Queiroz (Francisco José de Oliveira Queiroz) que exerce o cargo até 1861.

Assim, em 1855 foi publicada a portaria que ordenava as obras de construção.

O definitivo alinhamento para as obras do Liceu foi dado pela Câmara Municipal na sua sessão de 19 de Julho de 1855.

As obras do liceu devem ter principiado imediatamente. Em Julho de 1856 escrevia o governador civil Silveira Pinto: "Pelo que toca ao Lyceu Nacional d'esta Cidade, vai bastantemente adiantada a construção do bello edifício...."

A construção achava-se quase concluída em fins de 1859. O Conselho Escolar do Liceu reuniu-se em 10 de Novembro desse ano, para tratar do problema do mobiliário para o novo Liceu.

Em 26 de Janeiro de 1860 assina José Estêvão uma carta, dirigida ao reitor Francisco José de Oliveira Queiroz, a qual fala sobre a conclusão das obras do Liceu, e necessidade de requisitar equipamento ao Ministério do Reino.

A verba total gasta na construção aproxima-se de 27 contos de reis.

O edifício foi inaugurado em 15 de Fevereiro de 1860, tendo como reitor Francisco José de Oliveira Queiroz (nascido a 28 de Dezembro de 1804, em Aveiro, era médico).

Na sessão do Conselho, reunido para aprovação de contas, de 10 de Julho de 1862, figura o nome do novo reitor, Manuel Gonçalves de Figueiredo.

Depois do incêndio ocorrido em 20 de Junho de 1864, no edifício do Paço Episcopal, as repartições do Governo Civil e Fazenda, que nele se encontravam instaladas, passaram para o primeiro andar do edifício do liceu.

Em 21 de Outubro de 1866, inaugurou-se no Liceu o retrato de José Estêvão. O retrato é obra do pintor lisbonense José Maria Sales. E encontra-se hoje na sala dos professores da Escola Secundária de José Estêvão.

Um novo reitor assume a direcção do Liceu, o professor Clemente Pereira Gomes de Carvalho, que como tal assina as actas desde 27 de Julho de 1869 até Junho de 1871.

A primeira sessão de abertura solene das aulas no Liceu de Aveiro fez-se em 1869.

Na acta da sessão de 20 de Julho de 1871 aparece como reitor, João de Moura Coutinho de Almeida de Eça.

A acta de 2 de Janeiro de 1866 é assinada pelo prof. Sousa e Sá, como reitor interino por falecimento do efectivo (João de Moura) e redigida por Gonçalves de Figueiredo, secretário interino.

O novo reitor, José Cândido Gomes de Oliveira Vidal, apresenta-se pela primeira vez perante o Conselho, em 31 de Março de 1886.

Na sessão extraordinária de 23 de Dezembro de 1887, o Reitor, Cónego Oliveira Vidal, "deu conhecimento aos vogais do conselho da consulta que lhes fora feita pelo Presidente da Comissão Distrital acerca da mudança do liceu para um edifício que se edificasse de novo...".

Em 22 de Março de 1892 falece o Reitor Cónego Oliveira Vidal, pelo que assume o lugar de Reitor interino o professor Maia Romão; mas na acta de 30 de Julho do mesmo ano figura como reitor o professor Manuel Gonçalves de Figueiredo.

Em 14 de Setembro de 1895 é Reitor do Liceu o professor Manuel Gonçalves de Figueiredo e professores os seguintes: Maia Romão, Elias Pereira, Álvaro de Eça, José Rodrigues Soares,

Em 24 de Outubro de 1895, em virtude do estabelecido pela Reforma de Instrução Secundária de 14 de Agosto desse ano, em que pela primeira vez, entre nós, se decretou o ensino de classes, foi nomeado reitor, estranho ao corpo docente, o oficial da Armada, Francisco Augusto da Fonseca Regala. O novo reitor tomou posse pela primeira vez no Conselho Escolar, no dia 2 de Novembro de 1895...

Em 1909, ano do 1º centenário do nascimento de José Estêvão, o Conselho Escolar associa-se às festas que por esse motivo se realizaram. Na sessão de 3 de Novembro, o Conselho aprovou a proposta de Álvaro d'Athayde de descerrar uma lápide de mármore no átrio do Liceu, onde conste que a construção do mesmo se deve á força e tenacidade de José Estêvão, e ainda em sessão solene ler um elogio histórico ao tribuno na qual se apresentará o Orfeão Académico.

A Francisco Augusto da Fonseca Regala sucedeu o reitor, Dr. Álvaro de Moura Coutinho de Almeida de Eça, sobrinho do primeiro reitor do Liceu.

No relatório de 1910-1911, queixa-se o Reitor de que "foi adquirido há quase dois anos, um terreno adjacente ao edifício para a construção do ginásio,..." e lá continua o Reitor o seu lamento pela classe de ginástica não ter sala. As obras só continuam em Dezembro de 1914.

Por decreto de 24 de Abril de 1919, foi adquirido um edifício contíguo ao liceu por dez contos, para ampliar o mesmo. Assim, o liceu com todas as suas dependências passaria a ocupar uma área de 5000 metros quadrados. Todas as obras de adaptação foram executadas sob a direcção do reitor Álvaro de Eça.

Nos anos seguintes a 1916 e em virtude da elevação do liceu a Central, aumentou consideravelmente o número de professores.

O Reitor Álvaro de Eça faleceu no dia 9 de Julho de 1926. Sucedeu-se o prof. José Tavares."

 

As obras de melhoramento

A intervenção na Escola Secundária de José Estêvão, em Aveiro, teve por base a manutenção da estrutura essencial do edifício existente e a sua forte relação com a cidade, centrando a ampliação no pátio central, no fecho da ligação entre corpos e na criação de uma nova infraestrutura desportiva exterior coberta, complementada por espaço interior para educação física e novos balneários.

A biblioteca, refeitório / sala de alunos, bar, loja escolar e sala dos professores, espaços de maior vivência da escola e de maior abertura à comunidade, foram inseridos no coração da escola, num novo volume envidraçado que ocupa o miolo do pátio central, e que comunica através dos eixos principais com as quatro alas dos restantes edifícios envolventes, onde se encontram: os laboratórios, as salas de aula, as salas de artes e os espaços de serviços e administrativos.

A sala polivalente resulta da remodelação do antigo ginásio, dando-lhe notoriedade ao dotá-la de comunicação com toda a escola, ligando a entrada da sala à entrada da escola.

 

A Cache

A cache é de tamanho micro, sem material de escrita, e não permite troca de objectos.

Ponto 1 - Portão frontal da escola:

(A) - Número de mastros.
(B) - Número de candeeiros ao lado do portão.
(C) - Número de bancos de cimento retângulares em frente ao portão + 1.
(zona em obras, removeram os bancos, usem C=9)


Ponto 2 - Gradeamento lateral paralelo à rua de Dr. Manuel das Neves:

(D) - (79 x nº de varões com secção circular entre 2 varões de secção quadrada seguidos) + 8.
(E) - C x nº de varões com secção circular entre 2 varões de secção quadrada seguidos.
(F) - (79 x nº de bolas na parte de cima do gradeamento entre 2 varões de secção quadrada) + 3.

A localização da cache:

N 40º 38.(C - E + F)
W 008º 38.[(5 x A) + B - C + D + E]

A+B+C+D+E+F = 1134

O contentor exterior está fixo... estava! Já não está. Basta puxar pelo fio... de acordo com alguns logs já não tem fio.
Boas cachadas!

 

Additional Hints (Decrypt)

Noevtnqb! N pbagntrz qbf ineõrf é znvf snpvy fr fr ercnene dhr uá ercrgvçõrf.

Decryption Key

A|B|C|D|E|F|G|H|I|J|K|L|M
-------------------------
N|O|P|Q|R|S|T|U|V|W|X|Y|Z

(letter above equals below, and vice versa)