Skip to content

<

Rococó da Falperra - Santa Maria Madalena

A cache by anjomaco Send Message to Owner Message this owner
Hidden : 06/16/2014
Difficulty:
2 out of 5
Terrain:
1.5 out of 5

Size: Size:   other (other)

Join now to view geocache location details. It's free!

Watch

How Geocaching Works

Please note Use of geocaching.com services is subject to the terms and conditions in our disclaimer.

Geocache Description:


Rococó da Falperra - Santa Maria Madalena


Translation ENDEESFR

Santa Maria Madalena da Falperra

O Rococó (da palavra francesa rocaille, que significa "concha"), entra em Portugal pelo norte, enquanto Lisboa, devido aos faustos da corte, se mantém agarrada ao Barroco. É uma arquitectura que segue a grande corrente internacional muito decorada, e, devido ao granito escuro em contraste com as paredes brancas, de perfil claramente português. A decoração é naturalista, baseada principalmente em concheados e folhas de acanto, mas também elementos arquitectónicos e escultura. Tornam-se moda os locais de peregrinação, construídos frequentemente em locais de relevo acidentado, permitindo imponentes escadórios de grande efeito cenográfico como Nossa Senhora dos Remédios em Lamego. André Soares destaca-se na região de Braga, sendo os principais exemplos o Santuário da Falperra, a Igreja dos Congregados, a Câmara Municipal de Braga e a Casa do Raio, entre muitos outros.
 
André Soares (Braga, 1720-1769) foi um criador de obras de arquitetura, talha, ferro, desenho e cartografia. A sua grande capacidade financeira permitiu-lhe não precisar de trabalhar. Como era corrente na época, as suas obras dividem-se por duas correntes artísticas: o rococó e o tardobarroco. O rococó chegou a Braga pela mão do arcebispo D. José de Bragança (1741-1756). André Soares beneficiou do seu apoio ao ser escolhido para desenhar o novo Paço Arquiepiscopal, em que oscilou entre o gosto joanino e os novos valores do rococó. Rapidamente, porém, mudou para o novo estilo, de que são exemplos a nova fachada da Capela de Santa Maria Madalena da Falperra e o Palácio do Raio.
 
A Capela de Santa Maria Madalena da Falperra, saída das mãos do grande André Soares na década de 50 do século XVIII, é um dos monumentos barrocos mais relevantes do concelho de Braga.
Apesar das polémicas sobre se a linha de fronteira entre Braga e Guimarães passa atrás da sacristia ou em frente da fachada, a verdade é que foi erigida voltada à cidade dos arcebispos e a expensas dos fiéis bracarenses. Mais bracarense é difícil, mesmo que nos anos 60 alguém se tenha lembrado de desenhar a linha da carta militar um pouco mais à frente do que duas décadas antes...
A fachada marca pela originalidade dos traços, as duas 'falsas' torres, o janelão central e o seu enquadramento no retábulo de pedra desenhado pelo arquitecto do Minho. A planta é inusitada e não se sabe muito bem a quem atribuir a sua autoria.
O traçado rococó continua no interior, onde se podem admirar três retábulos, também de André Soares, que completam com sublimidade o percurso iniciado no exterior. Saliente-se a imagem de Cristo na cruz, que preenche o retábulo-mor, encomenda do início do século XX, ao grandioso escultor bracarense João Evangelista Vieira, e que inspirou o escritor lisboeta Antero de Figueiredo numa das suas grandes obras "O último olhar de Jesus".  Para crentes ou não-crentes, vale a pena admirar!..

 
Em novembro de 2013, a Direcção Geral do Património iniciou o processo de classificação da Capela de Santa Maria Madalena da Falperra como monumento de interesse público.
 
A classificação do Santuário de Santa Maria Madalena da Falperra como património nacional foi aprovada a 3 de novembro de 2016 em Conselho de Ministros, encontrando-se atualmente classificado como Monumento Nacional através do Decreto nº 1/2017 de 02 janeiro 2017.
  

A cache


A cache encontra-se nas proximidades da Capela de Santa Maria Madalena da Falperra e contém inicialmente logbook e stashnote. Atendendo às suas características apenas permite a troca de pequenos objetos. Levem material de escrita para registar a visita.

Fechem bem o container e recoloquem a cache da mesma forma como a encontraram, pois a sua durabilidade depende muito disso.

Não faças "Mais um" log... Faz "O Teu" log!

Additional Hints (Decrypt)

[PT] Ngeáf
[EN] Oruvaq

Decryption Key

A|B|C|D|E|F|G|H|I|J|K|L|M
-------------------------
N|O|P|Q|R|S|T|U|V|W|X|Y|Z

(letter above equals below, and vice versa)



Reviewer notes

Use this space to describe your geocache location, container, and how it's hidden to your reviewer. If you've made changes, tell the reviewer what changes you made. The more they know, the easier it is for them to publish your geocache. This note will not be visible to the public when your geocache is published.