Skip to content

<

Barrinha de Esmoriz

A cache by anjomaco Send Message to Owner Message this owner
Hidden : 06/22/2014
Difficulty:
1.5 out of 5
Terrain:
2 out of 5

Size: Size:   other (other)

Join now to view geocache location details. It's free!

Watch

How Geocaching Works

Please note Use of geocaching.com services is subject to the terms and conditions in our disclaimer.

Geocache Description:


A EarthCache

Como reclamar esta cache:

Aviso: não aceder às coordenadas publicadas em dias de forte agitação marítima. 

As coordenadas publicadas levam-nos a uma zona que nos permite observar uma grande extensão da Barrinha de Esmoriz.
 
Para reclamar esta cache como encontrada deverá enviar um e-mail com as respostas corretas das seguintes perguntas:

1 - Nas coordenadas publicadas é possível observar sedimentos de que tipo de fonte (marinha, continental ou derivados da actividade química e biológica da laguna)?

2 - Qual a dimensão média dos sedimentos existentes nas coordenadas publicadas?
 
3 - Descreva, com os detalhes possíveis, o local por onde se faz o escoamento da água do sistema lagunar para o mar.

Se acredita ter concluído com sucesso os objetivos desta Earth Cache e já enviou as respostas conforme solicitado, sinta-se à vontade para a registar como encontrada. Mesmo não sendo obrigatório, será bem vinda uma fotografia sua ou do seu GPSr tirada no local (desde que não revele as respostas solicitadas).

 
How to claim this cache:

Warning: do not go to the posted coordinates with bad weather and/or rough sea.

The posted coordinates take you to an area where you can see a great length of the Barrinha de Esmoriz.
 
To claim a find for this cache you should send the owner an e-mail with the answers to the following questions:

1 - On the posted coordinates it’s possible to observe sediments of what origin (marine, continental or derivative of chemical and biological activity from the lagoon)?

2 - What is the average dimension of the sediments present at the posted coordinates?

3 - Describe, as detailed as possible, the site where the water is drained from the lagoon to the ocean.
 
If you think that you have successfully accomplished all the goals of this EarthCache and have already sent the answers to the owner, feel free to log the cache has found.
It is not mandatory, but you’re welcome to post a photo of you with your GPSr taken at the cache spot, provided that it won't reveal any of the answers.

Barrinha de Esmoriz

 
Translation ENDEESFR
 
Vista Barrinha
Vista Parcial da Barrinha de Esmoriz
(A. Correia)
 
A Barrinha de Esmoriz/Lagoa de Paramos é uma lagoa costeira de água salobra de média dimensão, com uma área de 396 hectares.
Situa-se entre os concelhos de Espinho e Ovar, banhando a aldeia de Paramos e a cidade de Esmoriz.
A Lagoa apresenta uma cintura de vegetação ripícola bem desenvolvida e bancos de lodo, comunicando com o Atlântico através de um canal. Originada pela deposição de areia junto à foz de uma pequena linha de água, o cordão dunar é aberto sazonalmente para renovação da água.
Esta área é alimentada por águas de duas ribeiras - a vala de Silvalde, que tem a sua foz no lado norte da lagoa, e a vala de Maceda, que desagua no seu lado sul - que devido ao cordão dunar litoral originam o corpo central da lagoa. Na zona envolvente da Barrinha de Esmoriz existem áreas de pinhal (a Sul), bosques ripícolas/húmidos (a Este e Sul), praia e dunas (a Oeste), campos agrícolas (a Norte, Leste e Sul), planície com vegetação rasteira/arbustiva (a Norte) e contruções (a Norte, Este e Sul).
A Barrinha de Esmoriz está integrada na Rede Natura 2000 e classificada como SIC (Sítio de Importância Comunitária) com o código PTCON0018 e classificada como IBA (Important Bird and Biodiversity Area) com o código PT036.
 
Localização Barrinha de Esmoriz
Localização do SIC PTCON0018 - Barrinha de Esmoriz
(A. Correia)

 
Os sistemas lagunares costeiros ou lagoas constituem um tipo de meios salobros, considerados também como estuários em sentido lato. Ocupam cerca de 13% do litoral mundial, sendo um importante elemento no ambiente costeiro. Apesar da sua grande variabilidade, tanto geográfica como climática e geomorfológica, os sistemas lagunares costeiros apresentam semelhanças notáveis. 
As lagoas formam-se em zonas do litoral marinho, quando massas de água salobra, em geral pouco profundas, ficam total ou parcialmente separadas do mar.

Uma possível definição para lagoas litorais é a de Clark (1977): Massas de água costeira confinadas, com passagens restritas para o mar e com escorrência continental reduzida.
Esta definição não consegue englobar as lagoas mediterrânicas típicas, que são quase fechadas, sendo a comunicação com o mar apenas intermitente, e cujas amplitudes térmicas e salinas são quase sempre elevadas.
 
Lagunas costeiras são zonas deprimidas, abaixo do nível médio de preia-mar de águas vivas, com comunicação efémera ou permanente com o mar, do qual estão protegidas por um tipo qualquer de barreira. Apesar de grande parte das lagunas se posicionar com o eixo maior paralelo ao litoral, nos locais onde vales fluviais foram inundados como consequência da subida do nível do mar durante o Holocénico ou onde pequenos estuários foram bloqueados por pequenas barreiras, elas situam-se perpendicularmente ou obliquamente à linha de costa.
 
Laguna Barreira
Principais elementos morfológicos de sistemas laguna-barreira
(Fonte)
 
Uma vez formados, o comportamento evolutivo dos sistemas lagunares é fortemente condicionado pela variação dos níveis do mar e pela quantidade de sedimentos disponíveis, a qual é responsável não só pelo assoreamento na laguna como pela evolução da barreira.
 
A origem dos sedimentos que colmatam as lagunas é diversa, provindo estes essencialmente de três fontes principais:

- uma fonte marinha, entrando os materiais na laguna essencialmente através da barra de maré e por episódios de galgamento; os sedimentos com esta origem, ficam restritos às proximidades da embocadura sob a forma de deltas de enchente activos ou bancos de areia que derivam de deltas de enchente desactivados e de porções distais de depósitos de galgamento;

- uma fonte continental, através da descarga das linhas de água que drenam as lagunas, da erosão e escorrência directa das margens e do transporte eólico; os materiais mais grosseiros depositam-se em leques aluviais na foz das ribeiras e nas margens lagunares, sendo os materiais mais finos transportados em suspensão e depositados a maiores profundidades; obtém-se, assim, uma organização sedimentológica de forma concêntrica, com os materiais essencialmente arenosos na zona da embocadura lagunar e nas margens e os sedimentos essencialmente vasosos nas zonas centrais, mais profundas;

- uma última fonte deriva da actividade química e biológica da laguna; este tipo de sedimentos formam-se por precipitação química, tais como carbonatos e evaporitos ou pela acumulação de matéria orgânica.
 
Laguna-Evaporitos
Formação de Evaporitos numa Laguna
(Fonte)

 
De forma natural, as lagunas costeiras, mais ou menos rapidamente, transformar-se-iam em pântanos, se a mesma tendência de subida eustática e regime sedimentar se mantiver. No entanto, a intervenção antrópica, que por um lado acelera o processo de assoreamento através de intervenções na bacia hidrográfica que conduzem a uma maior produção de sedimentos (desflorestações, por exemplo), por outro inverte a situação ao intervir nas lagunas através de dragagens efectuadas para aumentar a sua profundidade, prolongando a sua vida.


Additional Hints (No hints available.)