Skip to content

PAI 3 Traditional Geocache

This cache has been archived.

Bitaro: Esta geocache foi arquivada por falta de uma resposta atempada e/ou adequada perante uma situação de falta de manutenção.
Relembro a secção das Linhas de Orientação que regulam a manutenção das geocaches:

O dono da geocache é responsável por visitas à localização física.

Você é responsável por visitas ocasionais à sua geocache para assegurar que está tudo em ordem para funcionar, especialmente quando alguém reporta um problema com a geocache (desaparecimento, estrago, humidade/infiltrações, etc.), ou faz um registo "Precisa de Manutenção". Desactive temporariamente a sua geocache para que os outros saibam que não devem procurar a geocache até que tenha resolvido o problema. É-lhe concedido um período razoável de tempo - geralmente até 4 semanas - dentro do qual deverá verificar o estado da sua geocache. Se a geocache não estiver a receber a manutenção necessária ou estiver temporariamente desactivada por um longo período de tempo, poderemos arquivar a página da geocache.

Se no local existe algum recipiente por favor recolha-o a fim de evitar que se torne lixo (geolitter).

Uma vez que se trata de um caso de falta de manutenção a sua geocache não poderá ser desarquivada. Caso submeta uma nova será tido em conta este arquivamento por falta de manutenção.

Obrigado pela colaboração
Bitaro
Community Volunteer Reviewer

Centro de Ajuda
Trabalhar com o Revisor
Revisões mais rápidas
Linhas Orientação|Políticas Regionais - Portugal

More
Hidden : 08/17/2014
Difficulty:
2 out of 5
Terrain:
2 out of 5

Size: Size:   other (other)

Join now to view geocache location details. It's free!

Watch

How Geocaching Works

Please note Use of geocaching.com services is subject to the terms and conditions in our disclaimer.

Geocache Description:

Com a colocação desta cache, presto homenagem a todos os PAIS…

O pinheiro… também ele um “pai”

Só existem pais, porque existem filhos. Um obrigado enorme aos meus.

A cache é frágil, a sua longevidade depende de si. Obrigado.

Agradeço que não coloquem fotos do container.


O Pinheiro Manso (Pinus pinea L.) é uma gimnospérmica, da família das Pináceas, a mesma família dos abetos e larícios, sub-família das Pinóideas e género Pinus a que pertencem os outros pinheiros

CARACTERÍSTICAS GERAIS E MORFOLÓGICAS

É uma árvore que frequentemente ultrapassa os 30 metros de altura, de folha persistente. A copa é arredondada, semelhante a um guarda-chuva, sobretudo nos exemplares mais jovens. O tronco é direito cilíndrico de casca muito grossa e coloração parda a acinzentada, muito gretada, que com o tempo vai soltando pedaços da casca no lugar das quais aparece uma coloração castanho avermelhada.

As folhas são agulhas verde claras, rígidas com 10 a 20 cm de comprimento e 1 a 2 mm de grossura, agrupadas duas a duas. As flores masculinas são cones quase cilíndricos com 15 mm de comprimento, agrupados na parte terminal dos ramos de cor amarela. As pinhas estão isoladas ou agrupadas em 2 ou 3 de dimensões apreciáveis (8 a 15 cm de comprimento com cerca de 10 cm de diâmetro), de cor pardo castanho-avermelhado, e escamas com um pinhão de 15 a 20 mm de comprimento.

O Pinheiro Manso é uma árvore que tem preferência por solos frescos, profundos e arenosos, adaptando-se mesmo a areais marítimos e dunas. Prefere solos ligeiramente ácidos mas adapta-se a solos calcários se não forem muito argilosos. Prefere boa luminosidade e temperaturas quentes, não suportando geadas fortes e/ou continuadas. É comum encontrá-lo entre o nível do mar e os 1000 metros de altitude.

 

O PINHEIRO MANSO NO ECOSSISTEMA

Muito associado às plantações de Pinheiro Manso surge o Coelho-bravo, que nestes solos arenosos encontra boas condições para escavar as suas luras (tocas), alimentando-se das plantas que se desenvolvem sob as árvores ou nos terrenos agrícolas adjacentes. Desde que não sejam dizimados por doenças ou caça excessiva, estas populações de Coelho são muito favoráveis à ocorrência de diversas espécies de predadores, algumas delas com um estatuto de conservação muito delicado, como o Lince-ibérico e algumas espécies de aves de rapina.

UTILIZAÇÕES

O Pinheiro Manso é muito apreciado pela produção de pinhões comestíveis que, nalgumas zonas, constitui um importante fator de rendimento económico. O pinhão pode ser consumido diretamente ou utilizado em confeitarias e culinária diversa.

Estrutura reprodutiva: pinhas solitárias, aos pares ou aos trios, ovaliformes com 8-14 x 7-10cm de apófises convexas e cor brilhante. Contém uma semente áptera comestível (o pinhão).
Floração: março, abril, maio
Maturação dos frutos: amadurecem depois de três verões e o pinhão cai no outono do terceiro ano ou na primavera do quarto.

A casca também foi explorada durante muitos anos para a extração de taninos utilizados na indústria de couros.

 A madeira é resinosa pelo que desta árvore é extraída resina e a madeira é muito dura, difícil de trabalhar mas muito impermeável. Os troncos produzem boas vigas muito utilizadas na construção e em caminhos-de-ferro, bem como na indústria naval.

Tem ainda uma importante utilização na proteção de solos arenosos como seja na fixação de dunas, permitindo a utilização de solos de fracas condições.
É também estimado como árvore ornamental pelo seu valor paisagístico e pela densa sombra.

CURIOSIDADES

O Pinheiro Manso é uma árvore que vulgarmente atinge grande porte como o atestam os inúmeros exemplares desta espécie que são referências de algumas regiões de Portugal, particularmente os da Península de Setúbal, onde existem algumas árvores com mais de 5 metros de diâmetro de tronco a 1,30 metros do solo, e copas com mais de 25 metros.

 As Naus que dobraram o Cabo da Boa Esperança tiveram na sua construção Pinheiros Mansos de Alcácer do Sal, tendo o próprio Bartolomeu Dias escolhido as árvores nesta região.

As ligações do Lince-ibérico ao ecossistema do pinheiro manso e matagal associado são bem patentes na toponímia da península de Setúbal, onde existem diversos exemplos desta presença, como a Herdade do Gato Pedral.

 

A cache apenas contem o logbook

Additional Hints (Decrypt)

1.5 I cnen snmre qrfpre... r 1.5 I cnen snmre fhove, aãb sbeçne anqn

Decryption Key

A|B|C|D|E|F|G|H|I|J|K|L|M
-------------------------
N|O|P|Q|R|S|T|U|V|W|X|Y|Z

(letter above equals below, and vice versa)