Skip to content

Anta Cão do Ribeiro Traditional Geocache

This cache has been archived.

Bitaro: Olá MunProencaNova,
Esta geocache foi arquivada por falta de uma resposta atempada e/ou adequada perante uma situação de falta de manutenção.
Relembro a secção das Linhas de Orientação que regulam a manutenção das geocaches:

O dono da geocache é responsável por visitas à localização física.

Você é responsável por visitas ocasionais à sua geocache para assegurar que está tudo em ordem para funcionar, especialmente quando alguém reporta um problema com a geocache (desaparecimento, estrago, humidade/infiltrações, etc.), ou faz um registo "Precisa de Manutenção". Desactive temporariamente a sua geocache para que os outros saibam que não devem procurar a geocache até que tenha resolvido o problema. É-lhe concedido um período razoável de tempo - geralmente até 4 semanas - dentro do qual deverá verificar o estado da sua geocache. Se a geocache não estiver a receber a manutenção necessária ou estiver temporariamente desactivada por um longo período de tempo, poderemos arquivar a página da geocache.

Se no local existe algum recipiente por favor recolha-o a fim de evitar que se torne lixo (geolitter).

Uma vez que se trata de um caso de falta de manutenção a sua geocache não poderá ser desarquivada. Caso submeta uma nova será tido em conta este arquivamento por falta de manutenção.

More
Hidden : 03/17/2015
Difficulty:
1 out of 5
Terrain:
2 out of 5

Size: Size:   small (small)

Join now to view geocache location details. It's free!

Watch

How Geocaching Works

Please note Use of geocaching.com services is subject to the terms and conditions in our disclaimer.

Geocache Description:

Esta cache leva-o a descobrir a Anta do Cão do Ribeiro e todos os componentes de que é constituída. http://www.cm-proencanova.pt/Municipio/Destaque/escavacao-desvenda-anta-e-objetos-megaliticos/552

A forma semelhante ao útero, virada para nascente, origina teorias de que por trás das sepulturas megalíticas estaria a crença no renascimento. Escavar uma anta, como durante quase quatro semanas uma equipa de arqueólogos escavou nas Moitas, é ir para além dos vestígios materiais e procurar que eles falem de quem habitou o terreno há 6 a 4 mil anos, desvendando pormenores sobre a economia, a alimentação ou as crenças.

Resultante de uma parceria entre a Associação de Estudos do Alto Tejo (AEAT) e o Município de Proença-a-Nova, o campo arqueológico na Anta do Cão do Ribeiro permitiu pôr a descoberto o monumento formado pela câmara dolménica, o corredor, o átrio de acesso e todo o aterro construído para cobrir a cripta, com uma massa que parece argila e será analisada pelo laboratório Hércules, na Universidade de Évora.

Relevante foi também o número de objetos encontrados, com ausência de instrumentos de moagem de cereais e grande quantidade de machados, pontas de seta e lâminas. João Caninas, da AEAT, mostra com entusiasmo um pedaço de uma alabarda (arma antiga de cabo longo) ou um pedaço de amuleto em xisto riscado, que era usado ao peito. “Encontrámos também pedaços de cerâmica e hoje já são possíveis análises para perceber se estes recipientes contiveram produtos com gordura”, revelando assim um eventual uso na alimentação, explica.

Feito o trabalho de campo, seguem-se tarefas como a análise das peças (todas em pedra ou barro cozido), o desenho de cada uma e dos vários cortes feitos durante a escavação. Em outubro, o objetivo é reconstruir o que falta da mamoa. Será criado um circuito para a tornar percetível, numa fase em que, com a conclusão do IC8, será também possível retomar o percurso pedestre em que a anta está integrada.

Património por desvendar não falta no concelho, sendo elevada a densidade de monumentos megalíticos no eixo central que vai do Vale da Mua às Moitas e Proença-a-Nova. Georg Leisner, que percorreu o concelho talvez antes de 1938, deixou inventariadas 95 antas, mas esta é a primeira escavação arqueológica nesta área. A equipa foi integrada por sete arqueológicos, incluindo voluntários e uma estagiária do mestrado de Arqueologia da Faculdade de Letras da Universidade do Porto. Em visita ao campo – possível graças à colaboração do proprietário, António Jesus Lourenço – estiveram ainda técnicos da Universidade de Évora e da Direção Regional da Cultura do Centro.

 

cache de facil acesso apesar do caminho ser em terra

ao encontrar a cache é favor que deixem tudo como esta e nao alterem a disposição das pedras.

Additional Hints (Decrypt)

200z

Decryption Key

A|B|C|D|E|F|G|H|I|J|K|L|M
-------------------------
N|O|P|Q|R|S|T|U|V|W|X|Y|Z

(letter above equals below, and vice versa)