Skip to content

Algar do Palopes Traditional Geocache

This cache has been archived.

btreviewer: Arquivada a pedido do Parque Natural da Serra de Aire e Candeeiros

More
Hidden : 03/15/2015
Difficulty:
3 out of 5
Terrain:
4 out of 5

Size: Size:   small (small)

Join now to view geocache location details. It's free!

Watch

How Geocaching Works

Please note Use of geocaching.com services is subject to the terms and conditions in our disclaimer.

Geocache Description:



ALGAR do PALOPES

Chama-se Palopes e é a cavidade natural mais profunda de que há conhecimento em Portugal.

De acordo com informação enviada pelo espeleólogo Rui Luís, da Associação de Estudos Subterrâneos e Defesa do Ambiente (AESDA), um dos responsáveis pela exploração, o Algar Palopes já alcançou a marca de -275 metros

Descoberto em Dezembro de 2010, no planalto de Santo António, concelho de Porto de Mós, o algar (nome atribuído a grutas de desenvolvimento vertical) tem vindo a ser explorado por espeleólogos da AESDA, uma associação de Torres Vedras.

Os elementos da equipa, Rui Luís, Tátá Regala e Bruno Oliveira praticam espeleologia há mais de 15 anos, e acreditam que o algar poderá ter cerca de 300 metros de profundidade e terminar num colector com um curso de água que pode desaguar na nascente do Alviela.

O algar foi baptizado Palopes por ter sido descoberto por Paulo Lopes, um recém-associado da AESDA que participava numa caminhada de prospecção.

Por ser ainda inexperiente nas actividades espeleológicas, Paulo Lopes não participou na exploração da cavidade, mas espera que em 2012 já possa descer às profundezas do algar. “Tem o meu nome, tenho de descer lá baixo, nem que seja para o ano”, garante.

Até agora, o algar mais profundo de que havia conhecimento em Portugal era o algar dos Alecrineiros Sul, também situado no Maciço Calcário Estremenho, e explorado por uma equipa de espeleólogos franceses.

'O que o buraco nos reserva?'

Para a AESDA este é um marco na história da espeleologia nacional. Já está prevista uma nova expedição para descer até ao fundo da cavidade.

Os espeleólogos falam da actividade que praticam com entusiasmo. Nuno Rodrigues, outro dos elementos da associação torriense, diz que “a vertente lúdica da descoberta é o que cativa em primeiro lugar”. “Saber o que o buraco nos reserva, se é bonito, se tem estalactites e estalagmites”, explica.

Mas a espeleologia não é só prazer; é também trabalho. Há que fazer levantamentos topográficos, recolher dados sobre a geologia e a biologia nas grutas e algares, publicar artigos e participar em congressos.


 
This page was generated by Geocaching Portugal Listing Generator

Additional Hints (Decrypt)

FCBVYRE

Decryption Key

A|B|C|D|E|F|G|H|I|J|K|L|M
-------------------------
N|O|P|Q|R|S|T|U|V|W|X|Y|Z

(letter above equals below, and vice versa)