Skip to content

Regimento de Infantaria N.º 13 Multi-cache

This cache has been archived.

btreviewer: Esta geocache foi arquivada por falta de uma resposta atempada e/ou adequada perante uma situação de falta de manutenção.
Relembro a secção das Linhas de Orientação que regulam a manutenção das geocaches:

O dono da geocache é responsável por visitas à localização física.

Você é responsável por visitas ocasionais à sua geocache para assegurar que está tudo em ordem para funcionar, especialmente quando alguém reporta um problema com a geocache (desaparecimento, estrago, humidade/infiltrações, etc.), ou faz um registo "Precisa de Manutenção". Desactive temporariamente a sua geocache para que os outros saibam que não devem procurar a geocache até que tenha resolvido o problema. É-lhe concedido um período razoável de tempo - geralmente até 4 semanas - dentro do qual deverá verificar o estado da sua geocache. Se a geocache não estiver a receber a manutenção necessária ou estiver temporariamente desactivada por um longo período de tempo, poderemos arquivar a página da geocache.

Se no local existe algum recipiente por favor recolha-o a fim de evitar que se torne lixo (geolitter).

Uma vez que se trata de um caso de falta de manutenção a sua geocache não poderá ser desarquivada. Caso submeta uma nova será tido em conta este arquivamento por falta de manutenção.

btreviewer
Geocaching.com Volunteer Cache Reviewer
Work with the reviewer, not against him

More
Hidden : 04/14/2015
Difficulty:
2.5 out of 5
Terrain:
1.5 out of 5

Size: Size:   other (other)

Join now to view geocache location details. It's free!

Watch

How Geocaching Works

Please note Use of geocaching.com services is subject to the terms and conditions in our disclaimer.

Geocache Description:

 


Historial

A primeira unidade do Exército Português a ter a designação de Regimento de Infantaria N.º 13 foi o antigo Regimento de Peniche, criado em 1555, como Terço de Peniche, passando a chamar-se RI13 em 1806. No entanto, o actual RI13 tem origem no Batalhão de Infantaria N.º 13, criado em 1837 com parte do então extinto Regimento de Infantaria N.º 2.

Cronologia

  • 1837 - É criado o Batalhão de Infantaria N.º 13 (BI13) aquartelado em Vila Real;
  • 1842 - O BI13 passa a Regimento de Infantaria N.º 13 (RI13) e é transferido para Chaves;
  • 1888 - O RI13 regressa a Vila Real;
  • 1908 - Uma companhia do RI13 é destacada para a Guiné Portuguesa para combater os indígenas revoltados;
  • 1917-1918 - Por ocasião da 1ª Guerra Mundial, um dos batalhões do RI13 é integrado no Corpo Expedicionário Português enviado para França onde combate na frente ocidental;
  • 1940 - O regimento contribui com uma companhia de atiradores para a formação do Batalhão de Infantaria N.º 68, enviado para Moçambique por ocasião da 2ª Guerra Mundial;
  • 1941 - O RI13 mobiliza um batalhão expedicionário para Angola;
  • 1943 - O RI13 mobiliza um comando de regimento e um batalhão para o Corpo de Exército concentrado na região do Cartaxo, com a missão de defender Lisboa de um possível ataque alemão;
  • 1961-1975 - O RI13 mobiliza mais de 69.000 militares, integrados em diversas unidades expedicionárias que combatem nos três Teatros de Operações da Guerra do Ultramar;
  • 1975 - O RI13 passa a denominar-se Regimento de Infantaria de Vila Real (RIVR);
  • 1993 - O RIVR volta a denominar-se Regimento de Infantaria N.º 13;
  • 1998 - Prepara e envia o Agrupamento Alfa (AgrALFA/BLI) para a Bósnia, integrado na missão de Manutenção de Paz SFOR da NATO;
  • 2000 - Prepara e envia o Agrupamento Charlie (AgrCHARLIE/BLI) para o Kosovo, integrado na missão de Imposição de Paz KFOR da NATO;
  • 2001 - Prepara e envia o 1º Batalhão de Infantaria (1ºBI/BLI) para Timor, integrado na missão UNTAET da ONU.

Brasão de Armas

  • Escudo - de azul, semeado de estrelas de prata; brocante um guante segurando um decote, ambos de oiro, entre duas montanhas de prata;
  • Elmo - militar, de prata, forrado de vermelho, a três quartos para a dextra;
  • Correia - de vermelho, perfilada de oiro;
  • Paquife e Virol - de azul e de prata;
  • Timbre - um lobo saínte; de negro, animado, lampassado e armado de vermelho;
  • Condecorações - suspensa do escudo, a Cruz de Guerra de 1ª Classe;
  • Divisa - num listel de branco, ondulado, sotoposto ao escudo, em letras negras, maiúsculas, de estilo elzevir: Nem um Passo p´rá Retaguarda;
  • Grito de Guerra - num listel de branco, ondulado, sobreposto ao timbre, em letras negras, maiúsculas, de estilo elzevir: "ALEO".

Simbologia

  • O Azul - alude a lealdade e nobreza das gentes de Trás-os-Montes, cujos filhos a unidade arregimenta;
  • As Estrelas - representam os cristais de neve e o rigor do clima;
  • O Decote seguro por um Guante - representa o "ALEO" com que eram empossados os Capitães de Ceuta, o primeiro dos quais, D. Pedro de Menezes, 1º Conde de Vila Real, de outra arma não necessitava para se haver com o inimigo;
  • As Montanhas - significam a terra transmontana;
  • O Lobo - caracteriza o soldado de "Infantaria do Marão" e exprime a sua força e ardor no combate.

Esmaltes

  • O Ouro - significa nobreza e força;
  • A Prata - significa riqueza e eloquência;
  • O Vermelho - significa ardor bélico e valentia;
  • O Azul - significa zelo e lealdade;
  • O Negro - significa apego à terra e firmeza.
  • A cache:
  • 22 Letras - N41º 18.620 W007º 44.300
  • 21 Letras - N41º 18.606 W007º 44.303
  • 25 Letras - N41º 18.667 W007º 44.343

Additional Hints (Decrypt)

anb graunf zrqb....

Decryption Key

A|B|C|D|E|F|G|H|I|J|K|L|M
-------------------------
N|O|P|Q|R|S|T|U|V|W|X|Y|Z

(letter above equals below, and vice versa)