Skip to content

<

Castelo de Arraiolos [O Regresso]

A cache by VilleCouer Send Message to Owner Message this owner
Hidden : 11/12/2016
Difficulty:
2 out of 5
Terrain:
1.5 out of 5

Size: Size:   small (small)

Join now to view geocache location details. It's free!

Watch

How Geocaching Works

Please note Use of geocaching.com services is subject to the terms and conditions in our disclaimer.

Geocache Description:


Atenção: A cada registo online deverá sempre corresponder o respetivo registo físico do mesmo nick. Dito isto, não admitiremos registos de tours e/ou nicks fictícios nas nossas caches pelo facto dos mesmos não corresponderem a contas oficiais de geocaching. Registos online que não tenham a devida correspondente física serão apagados!


Esta é uma zona onde por vezes se encontram muggles e dos da pior espécie, os curiosos. Por isso, tenham muita atenção na altura de cachar!



Esta cache está integrada num projeto intitulado [O regresso], que pretende repor caches em locais de assinalado interesse, por onde já passámos, e que por uma qualquer razão viram a sua cache desaparecer.
É o regresso destes locais ao fantástico mundo do geocaching...


Castelo de Arraiolos
[Arraiolos]

Conhecemos este local pouco depois de termos começado a nossa atividade no mundo do GeoCaching (foi a nossa cache #149) e já na altura nos tinha encantado, não apenas pela beleza do castelo como da área que o envolve, assim como a vista que se obtém sobre a vila, a partir do mesmo.

Foi numa passagem rumo à Achada, onde iríamos participar num GeoMagusto, que nos apercebemos do arquivamento da cache que aqui se encontrava. Como consideramos que o Geocaching ficaria mais pobre se este local ficasse fora do mapa dos smiles, não foi preciso muito tempo para decidirmos que tínhamos de deixar aqui uma cache e que a mesma seria incluída no nosso projeto [O Regresso]. Por mero acaso descobrimos que esta será a terceira cache no mesmo local. Pelos vistos não há duas sem três! Esperemos que a terceira seja de vez e que esta caixinha se mantenha por ali durante muito tempo.


Sobre o Castelo

O castelo de Arraiolos foi mandado edificar pelo rei D. Dinis, no início do século XIV, existindo um documento coevo que nomeia o mestre João Simão, possível arquitecto do monumento. Mas já em 1217, quando D. Afonso II faz a doação da Herdade de Arraiolos ao primeiro bispo de Évora após a Reconquista, D. Soeiro, é referida a autorização régia para que aí se erga um castelo, no local onde existia um castro proto-histórico (confirmado por vestígios arqueológicos). Ao longo da centúria a escassa ocupação humana da zona foi-se densificando, até levar à formação de um núcleo de importância suficiente para justificar o investimento régio num Paço e fortificação envolvente, aparentemente levantados entre 1310 (ano da confirmação da carta de foral de Arraiolos) e 1315. Para tal, fora firmado um contrato entre o rei e o Alcaide, Juízes e Concelho locais, datado de 1305, determinando a construção de 207 braças de muro, de três braças de alto e uma braça de largo; e a fazer no dito muro dous portaes dárco com suas portas, e com dous cubellos quadrados em cada uma porta . Embora não se conheça notícia de edificações anteriores no local, à data das obras dionisinas, é perfeitamente possível que estas se tenham efectuado sobre construções existentes, com maior ou menor aproveitamento das suas estruturas.

O conjunto ergue-se no topo de um monte de configuração curiosa, em cone regular e de encostas suaves, dominando toda a vizinhança, também conhecido por Monte de São Pedro, a Norte da actual vila de Arraiolos. A muralha é de forma elíptica, acompanhando as curvas de nível do terreno, e encontra-se em bom estado de conservação. Era rasgada por duas portas, uma a Sul (diante da qual se desenvolveu todo o casario extra-muros), e outra a Noroeste, voltada para a cidade de Santarém, e conhecida justamente por este nome. A primeira porta, ou Porta da Barbacã, deveu por sua vez a designação a uma destas estruturas, hoje desaparecida, erguida em murete ou anteparo, que se levantava diante da entrada, para dificultar o acesso à mesma. Cada porta tinha dois cubelos, que no caso da Barbacã seriam aparentemente o torreão do relógio e a Torre de Menagem.

O Paço é constituído pela grande Torre de Menagem, de planta quadrada, e dependências anexas, dentre as quais se destaca a habitação principal. Embora a Torre ainda se apresente de forma reconhecível, com sinais dos quatro pisos de origem, da casa nobre restam apenas as paredes exteriores, rematadas nos ângulos por torres (uma das quais a de menagem), e os vãos ogivais das portas.

Ainda no século XIV se registam as primeiras queixas dos moradores do local, aparentemente pouco adequado a albergar uma povoação, por ser demasiado ventoso e isolado. Em 1371, o rei D. Fernando chega a determinar que os moradores de fora, cada vez em maior número, fossem privados do acesso à igreja e aos santos sacramentos durante a noite, entre outras tentativas de fixar os habitantes no interior da cerca, mas tal não chegou para atalhar ao progressivo despovoamento do local; a situação foi agravada pela ocupação da cerca por tropas castelhanas, em 1384. Em 1387, D. João I doou o castelo ao Condestável D. Nuno Álvares Pereira, segundo conde de Arraiolos, que aí chegou a habitar (sobretudo entre 1415 e 1423). Foram realizadas obras na fortificação em finais do século XV e inícios do XVI, integrando novas construções no Paço, e acrescentamentos como o coruchéu manuelino colocado na Torre do Relógio.

O castelo era ainda habitado em finais do século XVI, mas por pouco tempo mais; em 1613, o estado de ruína do conjunto era já denunciado pela Câmara local. As Guerras da Restauração causaram ainda mais degradação, apesar de algumas obras ordenadas por D. João IV. Da barbacã, sabe-se que estava em ruína em meados do século XVII, quando o Paço e a Torre de Menagem eram já inabitáveis, tendo o terremoto de 1755 apenas acrescentado à destruição geral.

in: http://www.patrimoniocultural.pt/


Como descobrir o tesourinho escondido?

Para descobrir este tesourinho escondido devem realizar uma missão: devem deslocar-se aos pontos aqui assinalados e recolher a informação que lhes permitirá chegar às suas coordenadas.

Ponto 1
Neste primeiro ponto, caso estejam atentos, poderão observar uma inscrição medieval e o painel informativo que lhe faz referência. Segundo o painel informativo, que ano está registado nessa inscrição?
A = algarismo da unidades;
D = algarismo da centenas.

Ponto 2
Sob a porta de entrada do Castelo-Paço está gravada uma inscrição. Que ano está registado nessa inscrição?
B = algarismo da centenas;
F = algarismo da dezenas.

Ponto 3
Junto à Igreja do Salvador há um painel informativo onde está referido um ano. Que ano está registado nesse painel?
C = algarismo da centenas;
E = algarismo da unidades.


Vamos fazer contas!

Visitados que estão alguns dos pontos que achamos importantes visitar neste castelo (há muitos outros que podem aproveitar para visitar), e recolhida toda a informação, está na hora de fazerem as continhas e calcularem as coordenadas finais do tesourinho escondido, sendo que a fórmula a utilizar é a seguinte:

N 38º 43.A(C-E)B
W 007º 59.DEF


Atenção! Embora o local normalmente não seja muito frequentado, tenham especial cuidado com os muggles. Lembrem-se que a longevidade das caches depende sempre da vossa forma de cachar! Pensem nos owners e nos restantes geocachers e não arrisquem expor a cache só para terem mais um smile no mapa.

Boa cachada!


VilleCouer



PS: levem material de escrita porque não existe no container.


Additional Hints (Decrypt)

An sraqn.

Decryption Key

A|B|C|D|E|F|G|H|I|J|K|L|M
-------------------------
N|O|P|Q|R|S|T|U|V|W|X|Y|Z

(letter above equals below, and vice versa)



Reviewer notes

Use this space to describe your geocache location, container, and how it's hidden to your reviewer. If you've made changes, tell the reviewer what changes you made. The more they know, the easier it is for them to publish your geocache. This note will not be visible to the public when your geocache is published.