Skip to content

Zona J - Rua Eng.º Cunha Leal (09/11) Mystery Cache

Hidden : 03/11/2018
Difficulty:
3 out of 5
Terrain:
1.5 out of 5

Size: Size:   other (other)

Join now to view geocache location details. It's free!

Watch

How Geocaching Works

Please note Use of geocaching.com services is subject to the terms and conditions in our disclaimer.

Geocache Description:


ZONA J

09/11 - Rua Engº Cunha Leal

CUNHA

Por parecer favorável da Comissão Consultiva Municipal de Toponímia, formalizada no edital 107/82, que os arruamentos da Zona J de Chelas: Rua J / 10 (incluindo os impasses 11 / J10, 13 / J10 e 14 / J10) passassem a ser identificadas como Rua Eng.º Cunha Leal /Político/1888 – 1970.

 

Nessa data passaram a ser consagrados na toponímia de Lisboa e na Zona J de Chelas para além de Francisco Pinto da Cunha Leal, os nomes de Botelho de Vasconcelos e Carlos Gentil, os dois últimos mortos quando da revolução de 19 de Outubro de 1921 e o primeiro que, na mesma data, demonstrando a maior coragem e heroísmo, procurou salvar da morte António Granjo, infelizmente sem o conseguir.

 

É uma das artérias do bairro onde a envolvente de edifícios de habitação mais recentes, modernos e destituídos de obrigação social, trouxe um novo look e ambiência ao bairro.

 

CL

 

Francisco Pinto da Cunha Leal CvC (Penamacor, Pedrógão de São Pedro, - Lisboa, 26/04/1970).

 

Conhecido como Francisco Cunha Leal ou apenas Cunha Leal, foi um militar, publicista e politico português que, entre outras funções, foi deputado, presidente do Ministério (primeiro-ministro) de um dos governos da Primeira República Portuguesa, ministro das Finanças e reitor da Universidade de Coimbra. Membro do Partido Republicano Nacionalista, fundou a União Liberal Republicana em 1923.

 

Apesar de ter apoiado o golpe de 28/05/1926 incompatibilizou-se com Oliveira Salazar, transformando-se num dos mais notáveis opositores da primeira fase do regime do Estado Novo e um dos primeiros proponentes de uma solução política de autodeterminação para o Império Colonial Português.

 

Destacou-se pela sua defesa de uma solução política de progressiva autonomia para as colónias, programa que expôs em obras como O Colonialismo dos Anticolonialistas e A Gadanha da Morte.

 

Também se destacou como publicista, dirigindo os periódicos O Século, A Noite e a revista Vida Contemporânea. Para além de colaborar em múltiplos jornais, foi autor de obras sobre Angola, a Primeira República e de carácter memorialista. Encontra-se colaboração da sua autoria na Gazeta das colónias [1] (1924-1926).

 

Fontes Wikipédia e C.M. LIsboa

ZonaJ_1

 

Situada na freguesia de Marvila em Lisboa, a Zona J de Chelas (atual bairro do Condado) cresceu com a necessidade de alojar pessoas vindas de bairros de barracas que na época sitiavam a periferia da cidade, bem como alojar pessoas das ex-colónias, tendo sido um dos marcos de referência das políticas de realojamento baseadas em bairros de habitação social.

As construções erguidas no bairro, apresentando grandes deficiências do ponto de vista arquitetónico e urbanístico, bem assim como de conforto, sem ligações ao resto da cidade rodoviárias ou de outra natureza, marcaram indelevelmente o destino da então designada ZONA J de Chelas, confinada a uma espécie de gueto isolado do resto da cidade de Lisboa e esquecida durante muitos anos pelas entidades públicas.

Atualmente a situação é bastante diferente e a abertura de vias a norte, Sul, Este e Oeste recentraram o bairro e tornaram-no inclusivo na malha urbana de Lisboa, contribuindo para um menor isolamento do local que hoje se apresenta totalmente transformado desde o início da sua construção em terrenos outrora baldios e povoados de rústicas quintas.

Este é um convite para testemunhares um pouco desta centralidade e também para conheceres o bairro malfadadamente conhecido como ZONA J de Chelas.

ZonaJ_2


Apresento-vos o "J" da Zona J que é composto por 11 geocaches, mas tens resolver os seguintes enigmas antes de sair casa:

 

01/11 - 16ª Esquadra de Polícia

02/11 - Av. João Paulo II

03/11 - Praça Eduardo Mondlane

04/11 - Um “VG” no Bairro do Condado

05/11 - Igreja de São Maximiliano Kolbe

06/11-QT.ª dos Alfinetes-Azinhaga dos Alfinetes

07/11 - Clube Oriental de Lisboa – C.O.L.

08/11 - Vale Fundão, Bairro da PRODAC e ao fundo… o Tejo

09/11 - Rua Engº Cunha Leal

10/11 - J.F. de Marvila Posto de Limpeza Higiene Urbana – Bairro do Condado

 

Aqui como em qualquer bairro de uma cidade cosmopolita como Lisboa, deves acautelar a tua segurança, não te expondo desnecessariamente ao perigo, como por exemplo exibir bens de valor elevado. Desaconselha-se as visitas noturnas.


Here as in any neighborhood of a cosmopolitan city like Lisbon, you must guard your safety, not exposing yourself unnecessarily to danger, such as displaying goods of high value. It is not recommended for night visits.

Additional Hints (Decrypt)

Inyvqne nf pbbeqranqnf cnen nprqre à qvpn r fcbvyre

Decryption Key

A|B|C|D|E|F|G|H|I|J|K|L|M
-------------------------
N|O|P|Q|R|S|T|U|V|W|X|Y|Z

(letter above equals below, and vice versa)