Skip to Content

<

Quartzo no Frades

A cache by joom Send Message to Owner Message this owner
Hidden : 07/12/2018
Difficulty:
2.5 out of 5
Terrain:
5 out of 5

Size: Size: other (other)

Join now to view geocache location details. It's free!

Watch

How Geocaching Works

Please note Use of geocaching.com services is subject to the terms and conditions in our disclaimer.

Geocache Description:


Perguntas para responder - questions to answer

Para reclamar esta earthcache deverá enviar-me, através do meu perfil e antes de qualquer registo, as respostas às seguintes questões. Se algo estiver incorrecto será contactado. Não é necessário esperar por qualquer autorização. Por favor não envie fotografias. Essas são mais úteis no registo.

Nas coordenadas da earthcache há vários filões de quartzo no leito rochoso do rio. A aproximadamente 50 centímetros da rocha vertical da margem direita (para quem desce o rio) existe um filão de quartzo.

1 - Qual é a largura do filão de quartzo nesse ponto? Aproximadamente qual é o comprimento visível do filão?

2 - Qual é a orientação do filão de quartzo em relação ao Norte? Use uma bússola.

3 - Na direcção do centro do rio e a aproximadamente 50 centímetros do filão acima mencionado há outro. Qual é a sua largura?

4 - Segundo a numeração da tabela no texto, que tipo de rocha metamórfica forma o leito do rio na zona onde é visível o filão de quartzo?

Obrigatório:

Uma foto por cada registo. Ou claramente identificado no ponto zero ou senão o desejar uma foto na zona do ponto zero em que apareça o nick, a data da visita e um pé. Por favor não revele as respostas com essa foto. Obrigado pela visita.

 

To claim this earthcache one should send me, through my profile and before any found log, the answers to the following questions. If something is incorrect I'll contact you. There is no need to wait for any authorization. Please do not send photos. These are more useful on the log.

 

At the earthcache coordinates there are several quartz veins on the rocky riverbed. At roughly 50 centimeters from the vertical rock on the right river bank (to those who descend the river) there is a quartz vein..

1 - How large is the quartz vein width at this point? Roughly what is the visible vein length?

2 - What is, regarding North, the quartz vein orientation? Use a compass.

3 - Towards the river center and roughly half a meter from the vein mentioned above there is another. How large is the quartz vein width?

4 - Accordingly the table on the text, what type of metamorphic rock forms the riverbed in the zone where the quartz veins are visible?

Mandatory:

A photo for each log. Or clearly identified (a selfie) at ground zero or if you don’t wish a photo at ground zero that shows your nickname, date of visit and a foot. Please do not reveal the answers with this photo. Thank you for your visit.

 


O quartzo

O quartzo é um mineral muito comum, é um composto químico de silício e oxigénio, dióxido de silício SiO2, chamado sílica de um modo geral.

Quando puro, o quartzo é incolor, transparente e é um material cristalino muito duro e com aspecto vítreo. Os conhecidos cristais de rocha - prismas de seis lados com seis pirâmides nos topos - são simplesmente cristais de quartzo perfeitamente formados.

O quartzo ocorre em várias variedades coloridas, como a ametista (violeta), quartzo-citrino (amarelo), ou quartzo fumado (cinzento a castanho). Também pode ocorrer em formas densas sem cristais visíveis, como a multi-colorida ágata e o flint cinzento.

O quartzo é um mineral importante na formação de rochas, fazendo parte da composição de muitas rochas comuns, como o granito.

A palavra "quarz" (o "t" é omitido propositadamente) é conhecida na literatura europeia sobre mineralogia desde o século XIV. É provavelmente de origem germânica ou eslávica.

Filões de quartzo


O quartzo é muitas vezes encontrado em filões que cortam a rocha. Embora o termo filão, ou veio, possa sugerir que os filões de quartzo ou outros minerais sejam tubos finos, isso não acontece. São geralmente "folhas" finas. Os filões são formados devido a várias condições e dependendo das mesmas os filões podem apresentar ou não cristais de quartzo.

O tipo mais simples de filão de quartzo é o enchimento de uma fenda que já existia nas rochas. Esta fenda poderá ter sido formada durante o dobramento da rocha durante o processo de aparecimento de uma montanha, por quebra durante acontecimentos tectónicos, por uma diminuição da pressão durante a subida à superfície da rocha ou por causa da diminuição de tamanho da rocha devido ao seu arrefecimento

A salmoura quente que atravessa a rocha originária a grandes profundidades e a alta temperatura precipitará os minerais transportados em fendas a mais baixas temperaturas e pressões. Este processo continuará até a fenda estar totalmente preenchida ou poderá parar antes, deixando, neste caso, alguns espaços no filão que serão por vezes ocupados à superfície por cristais. A salmoura quente que entra numa fenda numa rocha distante da fonte quente como um plutão granítico arrefece e precipita os minerais que transporta de uma forma rápida. O resultado é um quartzo leitoso, com uma forma maciça ou feito de cristais de quartzo leitosos e entrelaçados. Depois, quando o crescimento cristalino diminui, o cristal poderá ficar menos opaco ou mesmo transparente. Na maioria dos filões de quartzo, a maior parte do quartzo é precipitado como um quartzo leitoso e maciço e os cristais bem formados, se forem encontrados, são só uma pequena parte do enchimento do filão.

ref: www.quartzpage.de


Rochas metamórficas

Rochas metamórficas são rochas que resultam da transformação da rocha original, o protólito. Este dá origem a uma rocha metamórfica depois de sofrer transformações químicas e físicas devido ao fato de se submeter a temperaturas e pressões elevadas e à atuação de fluidos (metassomatose) em zonas profundas da crosta terrestre, sem que, contudo, cheguem a fundir (a não ser, talvez, parcialmente). O protólito tanto pode ser uma rocha sedimentar, como uma rocha ígnea ou mesmo outra rocha metamórfica.

Podem formar-se, simplesmente, por estarem sujeitas às altas temperaturas existentes muito abaixo da superfície terrestre e à pressão provocada pelo peso das camadas de rocha superiores (pressões litostáticas). Podem também ter origem em processos tectónicos como colisões continentais que provocam pressão horizontal, fricção e deformações. Podem, ainda, formar-se graças ao chamado metamorfismo de contacto, quando a rocha, sempre no estado sólido, é aquecida pela intrusão de rocha fundida (magma) proveniente do interior da Terra. Alguns exemplos de rochas metamórficas são o gnaisse, a ardósia,o mármore, o xisto, e o quartzito.

1 - gnaisse 2 - ardósia 3 - mármore 4 - xisto 5 - quartzito

As rochas metamórficas são classificadas de acordo com critérios texturais e mineralógicos. Podem dividir-se em rochas foliadas (como o xisto e o gnaisse) e não foliadas (como o mármore).

A foliação (palavra derivada do Latim folia, que significa "folhas") refere-se à disposição dos minerais das rochas metamórficas em estratos e ocorre quando a rocha é submetida a uma tensão ao longo de um eixo durante a recristalização. Este processo provoca a rotação de cristais lamelares ou alongados (como a mica ou as clorites), de modo a que os seus longos eixos se disponham perpendicularmente à orientação da tensão. Daqui resulta uma rocha foliada com lâminas a exibir as cores dos minerais que as formaram. Esta é uma foliação secundária, provocada pelo metamorfismo, diferente de outros tipos de foliação presente nas rochas sedimentares e nas rochas ígneas.

As rochas foliadas podem ser classificadas de acordo com três tipos de textura, correspondentes a diferentes graus de metamorfismo. Rochas com clivagem ardosífera (como a ardósia, correspondente a um baixo grau de metamorfismo); rochas que apresentam xistosidade (como o xisto, correspondente a um grau médio de metamorfismo) e rochas com bandado gnáissico (como o gnaisse, correspondente a um grau elevado de metamorfismo). Estas rochas formam-se, de uma forma geral, a partir de rochas constituídas por vários minerais e que foram submetidas a condições de tensão dirigida e a temperaturas crescentes.

As rochas não foliadas, à excepção das corneanas (originadas em contexto de metamorfismo de contacto), formam-se, em geral, a partir de rochas constituídas por um só mineral. As texturas das rochas metamórficas podem ser categorizadas em foliadas e não foliadas. As rochas foliadas resultam da pressão diferencial que deforma a rocha num plano, criando, por vezes, um plano de clivagem. As rochas não foliadas não apresentam padrões planares ou deformações visíveis, podendo ter um aspecto cristalino, como acontece com os quartzitos e os mármores. Entre as rochas metamórficas foliadas podemos ainda referir rochas de baixo grau de metamorfismo, como os xistos argilosos, de grau médio de metamorfismo, como os micaxistos e de grau elevado de metamorfismo, como acontece com o gnaisse.

Fontes:

Rocha metamórfica - wikipedia


Quartz

Quartz is a very common mineral, a chemical compound of silicon and oxygen, silicon dioxide SiO2, commonly called silica.

If pure, quartz is a colorless, transparent, and very hard crystalline material of glass-like look. The well-known rock crystals - six-sided prisms with a six-sided pyramid at their ends - are simply well formed crystals of quartz.

Quartz appears in a number of colored varieties, like amethyst (violet), citrine (yellow), or smoky quartz (gray to brown). It also occurs in dense forms with no visible crystals, like the multi-colored agate and the gray flint.

Quartz is an important rock-forming mineral, being a constituent of many common rocks, like granite.

The word "Quarz" (the "t" is missing on purpose) is known from European literature on mining dating back to the 14th century. It is probably of German or Slavic origin.

Quartz veins


Quartz is often found in veins that cut through rocks. Although the term "vein" suggests this, the veins of quartz and other minerals are usually not thin tubes, but rather thin sheets. The veins can form under various conditions, and depending on these conditions, may or may not bear quartz crystals in them.

The simplest type of a quartz vein is the filling of an already present crack in rocks. The crack might form during folding of the rock in mountain-building processes, by shattering during tectonic events, by a decrease in pressure during the uplift of a rock, or because a rock cools down and shrinks. Hot brines that percolate the rocks and originate at greater depths with higher temperatures will precipitate the minerals they carry with them in cracks at lower temperatures and pressures. This process may continue until the crack is completely filled or may stop before, leaving "pockets" in the vein that are sometimes outlined by crystals. Hot brines that enter a crack in the rock from some distant hot source like a granite pluton first cool and precipitate most of their load rather quickly. The result is milky quartz, either massive or made of interlocked milky quartz crystals. Later, when the crystal growth slows down, the crystals may get less milky or even clear. In the majority quartz veins, most of the quartz is precipitated as massive, milky quartz, and well-formed crystals, if found at all, are only a small portion of the vein filling.

ref: www.quartzpage.de


Metamorphic rocks

Metamorphic rocks arise from the transformation of existing rock types, in a process called metamorphism, which means "change in form".The original rock (protolith) is subjected to heat (temperatures greater than 150 to 200 °C) and pressure (150 megapascals (1,500 bar)) causing profound physical or chemical change. The protolith may be a sedimentary, igneous, or existing metamorphic rock.

Metamorphic rocks make up a large part of the Earth's crust and form 12% of the Earth's land surface.They are classified by texture and by chemical and mineral assemblage (metamorphic facies). They may be formed simply by being deep beneath the Earth's surface, subjected to high temperatures and the great pressure of the rock layers above it. They can form from tectonic processes such as continental collisions, which cause horizontal pressure, friction and distortion. They are also formed when rock is heated by the intrusion of hot molten rock called magma from the Earth's interior. The study of metamorphic rocks (now exposed at the Earth's surface following erosion and uplift) provides information about the temperatures and pressures that occur at great depths within the Earth's crust. Some examples of metamorphic rocks are gneiss, slate, marble, schist, and quartzite.

1 - gneiss 2 - slate 3 - marble 4 - schist 5 - quartzite

The layering within metamorphic rocks is called foliation (derived from the Latin word folia, meaning "leaves"), and it occurs when a rock is being shortened along one axis during recrystallization. This causes the platy or elongated crystals of minerals, such as mica and chlorite, to become rotated such that their long axes are perpendicular to the orientation of shortening. This results in a banded, or foliated rock, with the bands showing the colors of the minerals that formed them.

Textures are separated into foliated and non-foliated categories. Foliated rock is a product of differential stress that deforms the rock in one plane, sometimes creating a plane of cleavage. For example, slate is a foliated metamorphic rock, originating from shale. Non-foliated rock does not have planar patterns of strain.

Rocks that were subjected to uniform pressure from all sides, or those that lack minerals with distinctive growth habits, will not be foliated. Where a rock has been subject to differential stress, the type of foliation that develops depends on the metamorphic grade. For instance, starting with a mudstone, the following sequence develops with increasing temperature: slate is a very fine-grained, foliated metamorphic rock, characteristic of very low grade metamorphism, while phyllite is fine-grained and found in areas of low grade metamorphism, schist is medium to coarse-grained and found in areas of medium grade metamorphism, and gneiss coarse to very coarse-grained, found in areas of high-grade metamorphism. Marble is generally not foliated, which allows its use as a material for sculpture and architecture.

Another important mechanism of metamorphism is that of chemical reactions that occur between minerals without them melting. In the process atoms are exchanged between the minerals, and thus new minerals are formed. Many complex high-temperature reactions may take place, and each mineral assemblage produced provides us with a clue as to the temperatures and pressures at the time of metamorphism.

Metasomatism is the drastic change in the bulk chemical composition of a rock that often occurs during the processes of metamorphism. It is due to the introduction of chemicals from other surrounding rocks. Water may transport these chemicals rapidly over great distances. Because of the role played by water, metamorphic rocks generally contain many elements absent from the original rock, and lack some that originally were present. Still, the introduction of new chemicals is not necessary for recrystallization to occur.

Source

Metamorphic rock


No decorrer do evento Rio de Frades INCITO 13 elementos fizeram um pequeno desvio pelo e antes de regressar ao ponto inicial pelo Caminho do Carteiro. Descemos um pouco depois da cache Canyoning @ Rio de Frades [Arouca] num “trilho” de depois de algumas passagens a requerer alguns malabarismos e trabalho de equipa cruzámos o leito do rio. Enquanto andávamos por ali a imitar as cabras montesas falou-se que por estes lados, que quase ninguém passa, fenómenos geológicos abundam. Daqueles que justificam uma earthcache e que mostram estas paisagens de outra perspectiva. Assim, descoberto um local propício ficou decidido uma “plantação”. Estiveram presentes nesta ocasião, e no momento que valida o “achamento” de mais uma earthcache os seguintes geocachers: anjomaco, Cruz (dos Valente Cruz), J.Greg, Joca (dos Joca.Sara), joom, NÉ (dos LAUDY_NÉ), pbrandao, reis (dos reis&reis) e zesampa.

Também estiveram dois casais mas eram muggles e não sabiam bem ao que iam. O que é certo é que, com muita calma e espírito de ajuda, chegámos todos de novo ao Caminho do Carteiro.

Nota - Note

Embora o acesso ao ponto zero seja possível sem ser por canyoning todo o cuidado é pouco pois o terreno não é o mais simpático. Aqui há todas as informações sobre como aceder descendo o rio com material e conhecimentos adequados. Estude apropriadamente e previamente como aceder ao ponto zero.

Although ground zero could be reached not using canyoning means one should be extremely careful. This is not a forgiving terrain. Here there is all the needed information about canyoning in this river. Please study thoroughly your path before to reach ground zero.


Por favor não partilhe as respostas. Para que continuem a existir earthcaches junte ao registo uma fotografia desse dia no ponto zero. Assim ajuda a acabar com as visitas fantasmas a lembrar o Walter Mitty.
Please do not share the answers. To make sure that earthcaches endure append to your log a photo of the day at ground zero. It helps to end ghost visits that resemble Walter Mitty.

Additional Hints (No hints available.)



 

Find...

20 Logged Visits

Found it 17     Write note 1     Publish Listing 1     Owner Maintenance 1     

View Logbook | View the Image Gallery of 96 images

**Warning! Spoilers may be included in the descriptions or links.

Current Time:
Last Updated:
Rendered From:Unknown
Coordinates are in the WGS84 datum

Return to the Top of the Page

Reviewer notes

Use this space to describe your geocache location, container, and how it's hidden to your reviewer. If you've made changes, tell the reviewer what changes you made. The more they know, the easier it is for them to publish your geocache. This note will not be visible to the public when your geocache is published.