Skip to content

Corta de São João do Deserto Traditional Geocache

Hidden : 12/26/2018
Difficulty:
1.5 out of 5
Terrain:
2.5 out of 5

Size: Size:   regular (regular)

Join now to view geocache location details. It's free!

Watch

How Geocaching Works

Please note Use of geocaching.com services is subject to the terms and conditions in our disclaimer.

Geocache Description:


Corta de São João do Deserto

A história da mina

A mina de S. João foi a primeira a ser licenciada em 1847, tendo a exploração sido concedida ao espanhol Sebastião de Gargamala. Aqui nasceu também o primeiro bairro mineiro de Aljustrel, em meados do séc. XIX, no local onde hoje se encontra a Pedreira de S. João.

Desde a Idade Média que aqui se situavam as termas de S. João do Deserto, referidas na Carta de Doação do território à Ordem de Santiago, e que se mantiveram em actividade até finais de 1950. As suas águas eram recomendadas para o tratamento de doenças da pele, em pessoas e animais.

Também esta mina teve exploração no período romano conforme se pode ver pelos restos de galerias que foram cortadas pela exploração moderna que era feita a céu aberto.

1. Sector SW da corta de S. João observando-se as massas de pirite, galerias do séc. XIX e da época romana; 2. Contacto por falha vertical entre o chapéu de ferro de uma das massas de S. João e xistos negros. Ao longo do plano de falha identificam-se várias galerias romanas ; 3. Dobras em xistos negros: L2 com altitude 20º, N85º W, resultante da intersecção das clivagens S1 e S2; 4. Malacate de S. João; 5. Brecha tectónica com fragmentos de xistos negros.

O jazigo de S. João

A movimentação esquerda da Falha da Messejana em cerca de 2,5km provocou um rqueamento das estruturas do soco paleozóico no sector de S. João. Por este motivo, as formações geológicas apresentam aqui direcções atípicas N85ºE a N75ºE. Com cerca de 45 Mt de sulfuretos e teores médios de 0.87% de Cu, 3,37% de Zn e 1,20% de Pb o jazigo de pirite de S. João encontra-se praticamente esgotado. As três massas de sulfuretos identificadas são estreitas e estão associadas a xistos negros com pirite disseminada e passagens de brechas vulcanoclásticas e vulcanitos félsicos. O jazigo de S. João encontra-se ligado aos depósitos Moinho, Algares e Feitais por uma extensa galeria, localizada no piso 200m, com um comprimento de cerca de 3700m.

Estruturalmente insere-se no alinhamento que contém os jazigos de Algares, Moinho e Gavião, este último situado no bloco NW da Falha da Messejana. O minério era extraído em S. João através das galerias de flanco de encosta situadas na corta e também por diversos poços mineiros, destacando-se na paisagem o malacate do Poço nº1. A última fase de mineração da mina de Aljustrel envolveu a construção, no final da década de 80, da lavaria industrial de Sto. Antão, onde o minério era processado e concentrado através de processos químicos como a flotação.

 

 

This page was generated by Geocaching Portugal Listing Generator

 

Additional Hints (Decrypt)

E/P

Decryption Key

A|B|C|D|E|F|G|H|I|J|K|L|M
-------------------------
N|O|P|Q|R|S|T|U|V|W|X|Y|Z

(letter above equals below, and vice versa)