Skip to content

Igreja Beneditina Nossa Senhora do Terço Virtual Cache

Hidden : 02/02/2020
Difficulty:
1.5 out of 5
Terrain:
1.5 out of 5

Size: Size:   virtual (virtual)

Join now to view geocache location details. It's free!

Watch

How Geocaching Works

Please note Use of geocaching.com services is subject to the terms and conditions in our disclaimer.

Geocache Description:


Igreja Beneditina Nossa Senhora do Terço

 

(Mosteiro de Nossa Senhora da Conceição)

Em 1707, o Bispo de Braga D. Rodrigo de Moura Teles deu ordem para o lançamento da primeira pedra de um convento de freiras beneditinas, obedecendo assim ao pedido do rei D. João V para cumprimento do desejo de seu pai, D. Pedro II. Uma inscrição na parede, ao lado do portal, assim o conta.

O exterior da Igreja de Nossa Senhora do Terço é muito sóbrio e simples, mas o interior releva-nos um dos melhores exemplos do barroco português, com a harmoniosa combinação entre pintura, azulejos e talha.

O tecto, constituído por magníficos de caixotões de madeira e os painéis de azulejos que cobrem totalmente o corpo da igreja, pintados em 1713 pelo mestre António de Oliveira Bernardes, mostram uma iconografia riquíssima sobre a vida de São Bento. Na capela-mor, P.M.P., um outro mestre azulejador barroco, assina dois painéis contando a fundação do monumento e a entrada da primeira freira no convento.
De notar ainda o trabalho do púlpito de dossel atribuído a Gabriel Rodrigues Álvares e recentemente restaurado. Segundo Robert Smith, o grande estudioso do barroco em Portugal e no Brasil, este púlpito é uma obra de arte única.

Também de realçar são os altares de talha dourada atribuídos a Ambrósio Coelho que completam o programa decorativo da igreja, de reconhecida qualidade. 

Esta é uma peça de arquitectura religiosa barroca. Planta transversal, composta por antigas dependências monacais, igreja com coro, nave única, capela-mor e sacristia, tudo em eixo. O interior é  integralmente revestido a azulejos figurativos joaninos, com cenas da vida de São Bento e da história da igreja. Os retábulos são de estilo barroco nacional. O púlpito é de talha dourada idêntico ao da igreja do antigo Convento do Salvador, em Braga. Pela qualidade e abundância do azulejo, talha e pintura é um dos mais excelentes e densos interiores barrocos em espaços religiosos em Portugal.

 

 

O que restou até aos dias de hoje

O convento e a sua cerca ocupavam todo o quarteirão definido a Sul pelo Caminho da Pedra do Couto (Avenida dos Combatentes), a Poente pelo Campo dos Touros (Campo 5 de Outubro), a Norte pela Rua de Trás das Freiras e a Nascente pela Rua Nova de São Bento (Avenida D. Nuno Álvares Pereira).

O edificio, de simples composição, formava um quadrado com 70 metros de lado e um único claustro, de grandes dimensões, no interior.
A ala Sul continha a igreja, acrual Igreja do Terço, que constitui a unica parte do convento chegada até aos nossos dias.

Do antigo convento restão a portaria do mesmo, a qual inclui um nicho com a imagem de São Bento; a cornija; uma parede interior com arco abatido; partes da parede Nascente e, encostado a esta, um fragmento do claustro composto por quatro, dos quarenta e oito arcos que o formavam (doze arcos por lado).

O quarteirão formado pelo convento e a sua cerca ainda hoje é legível, apesar de os seus limites terem sido alterados e o seu interior urbanizado.

 

 

 

Descrição da Igreja

Vendo com mais detalhe, trata-se de um edifício de planta transversal, rectangular, composta por salas das antigas dependências monacais, coro, nave única, capela-mor profunda e sacristia. Volumetria de dominante horizontal. Fachada principal rebocada e pintada de branco, com embasamento de cantaria e remate em cornija sob beiral saliente, com cruz latina de braços trilobados, sobre o portal principal. Apresenta dois registos possuindo, no primeiro, portas rectangulares, com grande portal principal em arco de volta perfeita, com pedra de armas real na pedra de fecho, enquadrado por pilastras toscanas que suportam entablamento, encimado por nicho com imagem da Virgem, que se prolonga para o registo superior, ladeado por aletas e pináculos. Do lado esquerdo rasga-se outro portal, mais pequeno, em arco de volta perfeita, enquadrado por pilastras coroadas por pináculos e rematado por cornija semicircular com cruz no vértice. O portal é ladeado por cartelas com inscrições, de moldura volutada. Registo superior ritmado por janelões gradeados em capialço, possuindo no extremo esquerdo janela de sacada, com guarda de ferro. Interior da nave e da capela-mor com paredes integralmente revestidas a azulejos figurativos, da vida de São Bento e da história da fundação do mosteiro, monocromáticos a azul. Nave coberta por abóbada de berço decorada por caixotões com pinturas alusivas à vida de São Bento. Pavimento em madeira. Do lado do Evangelho púlpito de talha ricamente decorado com anjos e volutas, assente em mísula bojuda, com guarda plena e baldaquino corado por anjos. Do lado oposto guarda-vento de madeira. Retábulos colaterais colocados em ângulo, em talha dourada, idênticos, de planta côncava, de um só eixo, com remate em arquivolta encimada por composição vegetalista e nicho com imaginária, enquadrado por par de colunas pseudosalomónicas. Arco triunfal de volta perfeita, assente em pilastras toscanas molduradas. Capela-mor com cobertura idêntica à da nave. Parede testeira preenchida por retábulo-mor, em talha dourada, de planta côncava, de um só eixo, rematado por arquivoltas. Tribuna com trono, enquadrada por par de colunas pseudosalomónicas, possuindo, entre estas, peanhas com imaginária. Do lado da Epístola, portal comunicante com corredor de acesso à sacristia, de planta rectangular.

 

 

Descrição Complementar

AZULEJO: Paredes interiores da nave e da capela-mor integralmente revestidas a azulejos figurativos monocromáticos a azul. Na nave desenvolvem-se em três registos; no primeiro, vinte cartelas moralizantes, de riquíssima iconografia, com divisas em latim e máximas em português. O segundo com cenas da vida de São Bento e o último, igualmente com cenas figurativas e, do lado do Evangelho, janelas fingidas, de modo a formar simetria com o lado oposto. As paredes laterais da capela-mor mostram dois painéis, assinados "P.M.P.", e datados, historiando o lançamento da primeira pedra do edifício, e a entrada solene das freiras no dia da inauguração.

 

 

Cronologia

1707 - Lançamento da primeira pedra do mosteiro de freiras beneditinas, de que a actual igreja fazia parte, pelo arcebispo D. Rodrigo de Moura Teles, a pedido de D. João V em cumprimento de um desejo de seu pai, D. Pedro II, para albergar freiras vindas de Monção, e que inicialmente eram para ser instaladas no Convento do Salvador, em Braga;

1713 - Data inscrita nos painéis do corpo da igreja mostrando cenas da vida de São Bento;

1713, 8 de Julho - A igreja já estava concluída e a parte monacal ultimada; a entrada solene das freiras é feita em cortejo a pé desde o templo do Senhor da Cruz até ao novo mosteiro;

1713, 4 de Outubro - Conclusão do mirante da Pedra do Couto;

1816, 15 de Maio - Primeiros estatutos da Confraria de Nossa Senhora do Terço erecta na Capela do Divino Espírito Santo;

1834 - Extinção das ordens religiosas;

1842 - As duas freiras que restaram vão para o mosteiro de Viana do Castelo; Novembro - O mosteiro é vendido em hasta pública, sendo arrematado por Domingos Gomes Fernandes; posteriormente o mosteiro é novamente vendido;

1846 - 31 de Maio, doação da Igreja Beneditina, por D. Maria II, à Confraria de Nossa Senhora do Terço, sendo-lhe mudado o orago;

1846 - 15 de Novembro, tomada de posse, da Igreja Beneditina, pela Confraria de Nossa Senhora do Terço, na presença do administrador do concelho;

Séc. 20, década de 30 - Parte do antigo mosteiro foi demolido, dando lugar a outras construções;

Década de 60 - A ala O do mosteiro é vendida à família Falcão por Maria Emília de Faria Leite de Carvalho Pena. Posteriormente foi contruido o Centro Comercial do Terço

 

 

Intervenções Realizadas

1967 - Reconstrução da cobertura e outros trabalhos;

1971 - Obras de conservação que incluíram a substituição de cantarias, consolidação de paredes, reparação do soalho;

1983 - Tratamento contra o caruncho no coro e sacristia (primeiro e segundo piso) e outras obras de conservação;

1984 - Trabalhos de conservação;

1985 - Reconstrução de painel de azulejo;

1992 - Beneficiação de painel de azulejo figurado;

1993 - Conservação diversa;

1994 - Arranjo dos caixilhos da fachada principal, coroamento e tratamento da fachada posterior, arranjo da instalação eléctrica;

2005 / 2006 - São feitas escavações arqueológicas junto à fachada posterior da igreja, em terreno particular, pondo a descoberto sepulturas do antigo mosteiro.

 

Nota: As imagens dos projectos foram cedidas pelos autores do projecto: José Figueiredo, Cristina Pinheiro e Rogério Amoêda para este fim, não podendo ser usadas para outros, sem a devida autorização.
As restantes informações foram obtidas através de pesquisas na internet.

 

Horário da Igreja

Segunda-feira: 09:00–12:00, 14:00–17:30

Terça-feira: Encerrado

Quarta-feira: 09:00–12:00, 14:00–17:30

Quinta-feira: 09:00–12:00, 14:00–17:30

Sexta-feira: 09:00–12:00, 14:00–17:30

Sábado: 09:00–12:00

Domingo: 14:00–17:30


* Atenção a eventuais alterações (sou alheio a eventuails alterações)

 

Horário do Centro Comercial

Segunda a Sábado: 10:00–23:00

Domingo: 11:00–20:00

Este é o horário oficial, embora esta ala esteja aberta também noutros horários.
* Atenção a eventuais alterações

 Requisitos para registar esta cache

Para poderes registar esta cache, tens de enviar as respostas solicitadas nos pontos 1 e 3 por mensagem privada, atravez do perfil do geocaching.com (e não juntamente com o log).

A foto solicitada no ponto 2, tem de ser anexada ao log (apenas no log).

Os logs que não sejam precedidos pelo envio das respostas correctas, ou não tenham anexado a  foto pedida no ponto 2, cumprindo os requisitos solicitados, serão apagados sem aviso prévio.

 

 Requirements to register this cache

In order to register this cache, you must send the answers requested in points 1 and 3 by private message, via the geocaching.com profile (and not together with the log).

The photo requested in point 2, must be attached to the log (only in the log).

The logs that aren't preceded by the submission of the correct answer, or that have not attached the photo requested on point 2, fulfilling the requested requirements, will be deleted without prior warning

 

 

Virtual Rewards 2.0 - 2019/2020

Esta Cache Virtual faz parte de uma versão limitada de Caches Virtuais criada entre 4 de Junho de 2019 e 31 de Dezembro de 2020. Apenas 4,000 proprietários de cache tiveram a oportunidade de "esconder" uma Cache Virtual. Saiba mais sobre Virtual Rewards 2.0 em Geocaching Blog.

 

This Virtual Cache is part of a limited release of Virtuals created between June 4, 2019 and December 31, 2020. Only 4,000 cache owners were given the opportunity to hide a Virtual Cache. Learn more about Virtual Rewards 2.0 on the Geocaching Blog.

Additional Hints (Decrypt)

Ngraçãb nbf beáevbf!
C.S. erfcbaqre nb dhr é crethagnqb!
* Vaqrcraqragrzragr qn peraçn eryvtvbfn qr pnqn hz, crçb dhr erfcrvgrz b ybpny. Snçnz fvyêapvb!

* Ertneqyrff bs lbhe eryvtvbhf oryvrsf, V nfx lbh gb erfcrpg gur cynpr. Znxr fvyrapr!

Decryption Key

A|B|C|D|E|F|G|H|I|J|K|L|M
-------------------------
N|O|P|Q|R|S|T|U|V|W|X|Y|Z

(letter above equals below, and vice versa)