Skip to content

RCM#12- FREGUESIA DA ABRUNHEIRA Traditional Cache

Hidden : 06/20/2020
Difficulty:
1.5 out of 5
Terrain:
1.5 out of 5

Size: Size:   small (small)

Join now to view geocache location details. It's free!

Watch

How Geocaching Works

Please note Use of geocaching.com services is subject to the terms and conditions in our disclaimer.

Geocache Description:


Esta geocache faz parte do Roteiro de Caches por Montemor, criado no âmbito de um Mestrado em Política Cultural Autárquica e pretende dar a conhecer cada uma das freguesias do concelho de Montemor-o-Velho.

O roteiro é composto por 14 caches.

Espero que tenham um belo passeio e boas cachadas!

 

Nota: Todas as caches contém logbook mas é necessário levar material de escrita.

Sê discreto durante a procura, tem cuidado ao manusear as caches e volta a colocá-las no lugar de forma a garantir a sua longevidade.

 

A Freguesia da Abrunheira

Em 1747, a Abrunheira seria um lugar pertencente à freguesia de Reveles. Tinha termo no crime de Montemor-o-Velho e no cível do Couto de Verride, sendo um dos lugares que o compunha. Abrunheira foi vila e sede de concelho entre 1836 e 1855.

A sua toponímia teve origem no fruto “abrunho”, nome que evoluiu para “Bruinheira”, “Bruinhedo” e, posteriormente, “Abrunheira”.

Pela reorganização administrativa de 2013, esta freguesia foi agregada a Verride e Vila Nova da Barca, formando assim a União de Freguesias de Abrunheira, Verride e Vila Nova da Barca.

É na freguesia da Abrunheira, do largo fronteiro à Igreja de Reveles (altitude de 114m), que se encontra o melhor miradouro de todo o concelho. Do local é possível observar simultaneamente as 11 freguesias do concelho (tendo em conta as uniões) e obter uma excelente vista panorâmica dos campos do Mondego. A partir dali, num dia limpo, consegue-se mesmo vislumbrar no horizonte as cidades da Figueira da Foz e Coimbra e as Serras da Boa Viagem e da Lousã.

Relativamente ao património local, destaca-se a Igreja Matriz no lugar da Abrunheira (dedicada a Nossa Senhora da Graça) e a de Reveles (Igreja de Nossa Senhora do Ó), a Casa Nobre do Morgado e a Capela de Santo António (também designada por Solar dos Ornelas ou Nápoles e Capela de Santo António), classificada como Imóvel de Interesse Municipal. Este conjunto destaca-se pela forma harmoniosa com que se integra na malha urbana, através de um longo frontispício de linhas sóbrias, no extremo do qual se ergue um pequeno templo.

A Casa Nobre do Morgado terá sido edificada na segunda metade do século XVII e é atualmente uma casa de habitação sazonal. Apresenta uma extensa fachada, composta por nove janelas no piso superior e seis no piso térreo, tendo sido colocado no portal de cantaria, de moldura curva encimado por frontão interrompido, o brasão de armas dos Ornelas, Abreu, Fonseca e Moura. No alinhamento deste alçado, surge a capela, num plano mais recuado, com acesso direto para a via pública através de um portão. A Capela de Santo António é objeto de grande devoção da população local, sendo aberta aos fiéis anualmente (junho), com a celebração de uma missa e de uma procissão no dia do padroeiro, tradicionalmente considerado o protetor da povoação desde a época das Invasões Francesas.

Na freguesia existe um parque de merendas inaugurado em 2007, junto a um antigo lavadouro. O espaço é bastante agradável e recatado, dispondo de churrasqueiras e de um grande jardim. Apesar de a entrada para o local passar despercebida, vale a pena a visita.

Em termos culturais, salienta-se a ação da Filarmónica de Instrução e Recreio de Abrunheira (FIRA) e da União Recreativa Cultural da Abrunheira (URCA).

Na freguesia da Abrunheira existe um percurso de arte urbana, que não deixa indiferente o olhar dos que por lá passam.

 

A Fonte Nova

Reedificada em setembro de 2009, esta Fonte destaca-se pelo ótimo estado de conservação e dimensão. Junto à entrada da freguesia, a simplicidade e beleza da fonte combinam com o lugar da Abrunheira, que merece ser conhecido.

 

Informação consultada através da página do Município de Montemor-o-Velho, da página da União de Freguesias de Abrunheira, Verride e Vila Nova da Barca, página da Direção-Geral do Património Cultural e da obra Terras de Montemor-o-Velho de A. Santos Conceição (1992).

Additional Hints (Decrypt)

an cnegr qr geáf

Decryption Key

A|B|C|D|E|F|G|H|I|J|K|L|M
-------------------------
N|O|P|Q|R|S|T|U|V|W|X|Y|Z

(letter above equals below, and vice versa)