Skip to content

Palácio de São Marcos Traditional Cache

A cache by F&F Message this owner
Hidden : 07/06/2020
Difficulty:
2.5 out of 5
Terrain:
1.5 out of 5

Size: Size:   micro (micro)

Join now to view geocache location details. It's free!

Watch

How Geocaching Works

Please note Use of geocaching.com services is subject to the terms and conditions in our disclaimer.

Geocache Description:


Palácio de São Marcos

O Mosteiro de São Marcos de Coimbra (séc. XV – ), atual Palácio de São Marcos, foi um convento masculino pertencente à Ordem e Congregação de São Jerónimo. Situa-se perto de Tentúgal, na quinta de São Marcos, freguesia de São Silvestre do Campo, concelho e diocese de Coimbra.

Criado no século XV, o mosteiro foi extinto no século XIX, passando para a mão de privados. O conjunto de edifícios foi alvo de extensas obras de renovação e ampliação entre os séculos XV e XX. Adaptado durante algum tempo, de 1954 a 1976, como residência palaciana dos duques de Bragança, S. Marcos encontra-se presentemente sob a tutela da Universidade de Coimbra. Devido à sua excepcional riqueza patrimonial, a igreja está classificada como Monumento Nacional.

Historial

A edificação religiosa primitiva, anterior à edificação do mosteiro, foi uma pequena ermida, instituída em 1441 por testamento de João Gomes da Silva (alferes-mor do reino, filho de Gonçalo da Silva, alcaide-mor de Montemor-o-Velho), a cujo filho, Aires Gomes da Silva, D. Afonso V confiscou todos os bens por ter apoiado o Infante D. Pedro, seu opositor na guerra civil que terminaria na batalha de Alfarrobeira.

 

Em 1451 D. Afonso V restituiu todos os bens confiscados à viúva de Aires Gomes da Silva, D. Brites de Meneses (aia da rainha). D. Brites concedeu aos monges do Mato e de Penha Longa as terras que possuía em São Marcos para que aí fundassem um mosteiro, cuja igreja haveria de tornar-se no panteão dos Silvas. Ela própria o terá dotado, em 1458, para ir aí viver e vindo aí a falecer em 1466.

 

Mestre Gil de Sousa, arquiteto do rei, orientou o primeiro ciclo das obras de construção, desde cerca de 1452 até à data da sua morte, doze anos mais tarde, tendo sido sepultado na igreja. As obras iriam continuar sob a direcção de Nuno Gonçalves, um pedreiro do vizinho lugar de Zouparria. Nas sucessivas empreitadas de renovação e ampliação levadas a cabo ao longo dos tempos haveria de participar um notável conjunto de escultores e arquitetos que aí realizaram obas de vulto, entre os quais Diogo Pires-o-Velho, Diogo Pires-o-Moço, Nicolau Chanterene, Diogo de Castilho e João de Ruão.

 

O claustro está de acordo com a tipologia dos claustros da renascença coimbrã. No primeiro quartel do século XVI (1510; 1522-23) foram executadas obras importantes que alteraram a feição arquitetónica do edifício (portal; capela-mor…). Entre as outras obras de renovação/ampliação da igreja destaque-se a construção da capela dos Reis Magos (segunda metade do século XVI), e a construção da frontaria (século XVIII).

Depois de extintas as ordens religiosas (1834), o convento foi adquirido por um particular e, em 1860, grande parte das edificações foram destruídas por um incêndio, com exceção da igreja e da casa da botica. Os edifícios em ruína foram recuperados em meados do século XX (direção do arquiteto Castro Ferreira; projeto inspirado nas casas seiscentistas), após aquisição do conjunto pela Fundação da Casa de Bragança. Presentemente S. Marcos é propriedade do Estado, encontrando-se confiado à Universidade de Coimbra, para exploração, por um período de tempo limitado.

 

Fonte:

https://pt.wikipedia.org/wiki/Mosteiro_de_S%C3%A3o_Marcos_de_Coimbra

Additional Hints (Decrypt)

Enaubfb an onfr. Qrvkrz pbzb rapbagenenz bh zryube.

Decryption Key

A|B|C|D|E|F|G|H|I|J|K|L|M
-------------------------
N|O|P|Q|R|S|T|U|V|W|X|Y|Z

(letter above equals below, and vice versa)