Skip to content

<

O Portal

A cache by Medieval_Team Send Message to Owner Message this owner
Hidden : 12/26/2020
Difficulty:
2 out of 5
Terrain:
4 out of 5

Size: Size:   small (small)

Join now to view geocache location details. It's free!

Watch

How Geocaching Works

Please note Use of geocaching.com services is subject to the terms and conditions in our disclaimer.

Geocache Description:


Santuário de Nossa Senhora da Peneda

 

O Santuário de Nossa Senhora da Peneda é um santuário católico dedicado à Virgem Maria sob a invocação de Nossa Senhora da Peneda, situado no concelho de Arcos de Valdevez, no distrito de Viana do Castelo.

A Diocese de Viana do Castelo, compreendendo a sua importância, em 2020 elevou-a a Santuário Diocesano.

É um lugar recôndito e de uma beleza única e um dos mais importantes e concorridos santuários do Norte de Portugal, sob a invocação de Nossa Senhora da Peneda, e onde, na primeira semana de Setembro, ocorre uma das maiores romarias de Alto Minho, afastada dos centros urbanos e uma reminiscencia das tradições mais seculares, enraizadas no mais profundo das populações e dos seus ritmos ancestrais.

O Santuário fica na freguesia de Gavieira, a cerca 150 km do Porto e a 51 de Arcos de Valdevez (via Mezio) e integra-se na área do Parque Nacional de Peneda-Gerês.

 

História


O santuário foi construído entre os finais do século XVIII e o terceiro quartel do século XIX. A igreja foi terminada em 1875, embora seja provável que a tradição secular de Nossa Senhora das Neves e a dinâmica beneditina estabelecida pelo percurso dos monges do arcuense Mosteiro de Ermelo para Fiães, em Melgaço, desse lugar ao estabelecimento de um pequeno espaço de culto em redor do século XIII.

Mesmo o Rei Dom João VI de Portugal, verificando-se que a dimensão nacional deste templo mariano, agraciou a Confraria de Nossa Senhora da Peneda com o título de Real Confraria.

Diante da igreja encontra-se o escadório das virtudes, com estátuas representando a Fé, a Esperança, a Caridade e a Glória, datado de 1854, obra do mestre Francisco Luís Barreiros.

Após um largo triangular onde se situam os antigos dormitórios para os peregrinos (hoje transformados num hotel), o santuário desenvolve-se numa alameda arborizada em escadaria, com cerca de 300 metros e 20 capelas, com cenas da vida de Cristo (Natividade e Paixão). Uma das capelas ostenta uma inscrição que atesta ter ela sido oferecida pelo negus da Etiópia. Ao fundo da alameda, numa praça circular, situa-se um pilar oferecido pela rainha Maria I de Portugal.

Na primeira semana de Setembro realiza-se no santuário um grande arraial popular e uma enorme festividade, com um dia, inclusive, dedicado aos romeiros galegos, numa conjugação única de tradição, religiosidade e celebração popular.

Diz a lenda que ter-se-ia verificado uma aparição da Virgem, Nossa Senhora das Neves, em 5 de Agosto de 1220, a uma pequena pastora.


Santuário de Nossa Senhora da Peneda, em Arcos de Valdevez.
A mesma lenda reporta-se a uma passagem anterior: por volta de 716 ou 717 os cristãos, fugidos ante a invasão dos sarracenos, teriam deixado uma imagem entre as enormes fragas da Serra da Peneda.

Implantada uma ermida/templo medieval, o culto de Nossa Senhora da Peneda aumentou gradualmente em Portugal e na Galiza, afluindo largos milhares de romeiros ao longo do ano, mas muito especialmente na primeira semana de Setembro.

O Templo enquadra-se harmoniosamente em majestoso trecho da serrania, tendo ao longo do pictórico vale vinte capelas onde se evocam as cenas bíblicas de maior intensidade, precedida de um átrio com as imagens do quatro evangelistas.

Culmina, este invulgar santuário, por um condigno pórtico e escadaria com patamar onde se ergue imponente coluna encimada pele imagem de S. Miguel Arcanjo.

Foi nos últimos três séculos que o Santuário beneficiou de maior impulso, sob os pontos de vista espiritual e materialmente, a ponto de constituir presentemente o Altar de Fé mais em evidência na região setentrional do País.

Ultimamente, foi-lhe acrescentada uma segunda torre, o que pôs termo ao desequilíbrio arquitectónico, obra onerosa da diligente Mesa da Irmandade.

 

PR 17 – TRILHO DA PENEDA

O “Trilho da Peneda” é um percurso homologado pelo Registo Nacional de Percursos Pedestres (RNPP), denominado de Pequena Rota (PR) e sendo um circuito fechado pode ser realizado nos dois sentidos. Contudo, aconselha- se iniciar o percurso partindo do parque de estacionamento para autocarros, localizado a cerca de 1 Km da igreja da Peneda
Este percurso realiza-se em plena Serra da Peneda, entre dois povoados serranos: o aldeamento da Peneda e a Branda de Bouças dos Homens. Partindo do parque de estacionamento, tomamos o trilho, seguindo as marcações que se destacam na paisagem, sendo estas de cor amarela e vermelha. Por estes carreteiros passavam os carros de bois de raça barrosã, ligando aqueles dois povoados. Após 3 Km e à cota aproximada de 1100 metros, inicia-se descida, avistando ao longe a Branda de Bouça dos Homens. Pouco depois da saída na estrada alcatroada, tomamos um antigo caminho de romeiros devotos à imagem da Sr.ª da Peneda. Trata-se de um caminho designado de pé posto uma vez que não permite outro modo de percorrê-lo. De seguida iniciamos uma nova ascensão até às fraldas da Penameda e logo, voltamos a descer até ao pequeno lago artificial, conhecido pelos locais por “Pântano” situado no lugar de “Chã do Monte”. Esta represa servia uma mini- hídrica há anos atrás, que fornecia a energia elétrica ao povoado da Peneda. Cruzando o lago, seguimos um regato e a descida torna-se numa verdadeira e intrépida aventura devido aos íngremes declives do relevo. À medida que vamos descendo, podemos observar lá no fundo a igreja e o aldeamento da Penada, assim como também, ao nosso lado esquerdo a Fraga da Meadinha, procurada por inúmeros escaladores nacionais e estrangeiros. Mais uns metros abaixo, alcançamos a desembocadura do trilho e daí tomamos a estrada que nos levará passado cerca de 1 Km, ao ponto de chegada que coincide com o ponto de partida , ou seja, o parque de estacionamento. Guarde o máximo cuidado nos dias de nevoeiro e/ou de neve, uma vez que as marcações podem encontrar-se ocultas.

 

A Cache

Quem percorre o PR17 , subindo do santuário em direcção ao "pântano" e à Penameda, surgem algumas indicações de fim de trilho. E é num desses troços que surge um caminho que nos leva a um local que nos fascinou! É este local que pretendemos partilhar.

Additional Hints (Decrypt)

An crdhran tehgn

Decryption Key

A|B|C|D|E|F|G|H|I|J|K|L|M
-------------------------
N|O|P|Q|R|S|T|U|V|W|X|Y|Z

(letter above equals below, and vice versa)



Reviewer notes

Use this space to describe your geocache location, container, and how it's hidden to your reviewer. If you've made changes, tell the reviewer what changes you made. The more they know, the easier it is for them to publish your geocache. This note will not be visible to the public when your geocache is published.