Skip to content

<

A nossa Aventura no Rio Varosa - B95

A cache by bmps2003 & smss78 Send Message to Owner Message this owner
Hidden : 07/28/2021
Difficulty:
2.5 out of 5
Terrain:
5 out of 5

Size: Size:   regular (regular)

Join now to view geocache location details. It's free!

Watch

How Geocaching Works

Please note Use of geocaching.com services is subject to the terms and conditions in our disclaimer.

Geocache Description:


Translation
 

 

Natureza suprema, um território de montanha nobremente modelado pelo Homem e arte românica convivem no Vale Varosa, naqueles que outrora foram os caminhos dos monges de Cister. A rota pelo vale do rio Varosa, um dos inúmeros afluentes do grande Douro, concentra povoações monumentais, jóias da arquitectura românica, desfiladeiros vertiginosos, vinhedos milenares, miradouros de cortar a respiração e uma suculenta gastronomia. Lamego é a porta de entrada para este território mágico.

Tal como o rio Paiva, o rio Varosa nasce na serra de Leomil, mais propriamente em Varzea da Serra. Corre para Norte para desaguar em frente do Peso da Régua. Foi provavelmente nesta zona do Douro, centrada na cidade de Lamego, que nasceu o vinho generoso que viria a ser aprimorado no Vinho do Porto. Da importância que teve no início da nacionalidade ficam os numerosos monumentos românicos e, dentre estes, belíssimas pontes.

Um pouco antes de encontrar o Douro, o rio Varosa é retido numa barragem. É logo abaixo do paredão da barragem que vamos encontrar a ponte da Geia que liga, através de um caminho antigo, as povoações de Sande e Valdigem. Mais a montante temos a ponte de Recião e a ponte de Vila Pouca.

A ponte mais interessante desta zona é, em minha opinião, a ponte de Ucanha. É uma ponte fortificada, em excelente estado de conservação, de grande beleza. Dois exemplares magníficos de pontes românicas são a ponte de Mondim da Beira e a ponte de São João de Tarouca.

Ainda no rio Varosa, já muito a montante, encontramos dois pontões próximos de Vilarinho. Um pontão mais a jusante e um pontão mais a montante.

O Rio Balsemão é o principal afluente do Varosa. Junto à sua foz existe uma ponte submersa pela barragem do Varosa. Em Lamego podemos encontrar uma ponte no Bairro da Ponte e, mais a montante, a ponte de Lamelas.

A ribeira de Salzedas é outro dos afluentes do Varosa e nela encontramos a ponte das Regadas, a ponte da Azenha e a ponte do Mosteiro. Esta última passa desapercebida pois está debaixo das estrada que ladeia o Mosteiro de Salzedas.

O terceiro afluente do Varosa é o ribeiro de Tarouca, também conhecido localmente como rio Barosela. Neste rio encoontramos a ponte Pedrinha, em Tarouca, a ponte de Revolta, em Lalim, e a ponte Barosela, em Lazarim. Na porção alta desta linha de água, designada rio do Santo nas cartas militares, encontramos uma ponte em Várzea da Serra. Uma inscrição na pedra tem a data de 1928 pelo que poderá ser bastante recente.

 

 

Em visita a zona de Tarouca, já tinhamos escutado inúmeras informações sobre uma cascata muito bonita pelo Rio Varosa, e partimos a descoberta. Algumas informações surgiam como sendo chamada a Cascata da Varosa ou do Varosa, mas ficamos na duvida, pois mais a jusante, junto da Ponte de Recião existe um paraíso mais acessível ali a escassos metros. O local já estava povoado de muggles, inclusive até um bar ali existe para dias mais quentes de verão! um pouco mais a montante antes de alcançar a ponte românica de Vila Pouca, já está georeferenciada com a GC4M0X6, e ,merece de todo uma visita bem demorada e aproveitar bem banhos no meio daquela natureza.

Continuando mais a montante, depois de passar a aldeia de Vila Pouca, existe um acesso para um Turismo Rural que tem denominado de Cascata do Varosa, existindo ai a duvida se é referido a cascata a jusante ou da cascata onde esta cache está escondida.

Em diversos mapas e fotografias, este local tem a informação de Poço do Inferno, um local muito menos frequentado, mas com uma beleza e calmaria impar! O acesso não é fácil, mas seguindo todos os Waypoints que deixamos rapidamente lá chegam, pois o acesso que parece existir é privado pela margem direita do Rio Varosa, sendo este na margem esquerda e mais selvagem.

 
 
 

Para chegar a esta cache, terão uma grande aventura e será inesquecível. Para iniciar a aventura, será encontrar o caminho que está paralelo a margem esquerda do Rio Varosa. Em algumas épocas do ano, o acesso poderá ser mais difícil, pois parte deste percurso, principalmente na zona final, é feito nas rochas da margem do Rio, e podem estar molhadas ou mesmo submersas, pelo que pode ser necessário procurarem um acesso alternativo.

Ao chegar ao topo da cascata, irão ser brindados de imediato com uma beleza tremenda, uma calmaria imensa. Existe um trilho bem delineado mais abaixo que vos leva ao grande lago ali formado entre duas quedas de água.

A cache encontra-se na margem oposta, por cima de um rochedo na parede da grande escarpa. Para lá chegar, poderão ir a nado, de barco a remos :) com barquinho de borracha ou bóia, o importante é lá chegar! A subida será fácil ao rochedo e a escassos metros na parede, e a cerca de 2 metros de altura a irão encontrar.

É um container de tamanho Small, com logbook, stashnote, material de escrita e uma Travelbug.

Na existência de muggles no local, deverão ser o mais discretos possível, mas isso não é uma novidade!

Boas cachadas, mas acima de tudo divirtam-se, e usufruam deste belo paraíso, tal como eu e a SMSS78 o fizemos!

A durabilidade desta cache depende de todos vós!

 

 

 

 

 

 

 

 

Additional Hints (Decrypt)

An znetrz bcbfgn, fhove b cngnzne, r an rfdhvan rfgn n 2 zrgebf qr nyghen gncnqn cryn irtrgnçãb
FCBVYRE

Decryption Key

A|B|C|D|E|F|G|H|I|J|K|L|M
-------------------------
N|O|P|Q|R|S|T|U|V|W|X|Y|Z

(letter above equals below, and vice versa)



Reviewer notes

Use this space to describe your geocache location, container, and how it's hidden to your reviewer. If you've made changes, tell the reviewer what changes you made. The more they know, the easier it is for them to publish your geocache. This note will not be visible to the public when your geocache is published.