Skip to content

Parque Mineiro Cova dos Mouros Traditional Geocache

Hidden : 01/04/2024
Difficulty:
3 out of 5
Terrain:
2 out of 5

Size: Size:   other (other)

Join now to view geocache location details. It's free!

Watch

How Geocaching Works

Please note Use of geocaching.com services is subject to the terms and conditions in our disclaimer.

Geocache Description:


Parque Mineiro da Cova dos Mouros

 

Parque Mineiro da Cova dos Mouros é um parque temático e um sítio arqueológico, situado junto à aldeia de Vaqueiros, próximo do monte das Ferrarias. Quem entrar na freguesia vindo de Martim Longo, encontrará à esquerda um caminho de terra batida que a ela nos conduzirá, fazendo parte do Concelho de Alcoutim, em Portugal.

O Parque Mineiro está situado nas antigas dependências da Mina da Cova dos Mouros, junto à Ribeira da Foupana. Inclui um percurso temático que explicava a evolução dos processos de mineração e metalurgia, desde o período Calcolítico  até aos princípios do Século XX, através de reconstituições de habitações e utensílios.

O Parque é constituído por duas antigas minas de cobre, Caeira e Ferrarias, que se localizam no setor sul da Faixa Piritosa Ibérica, conhecida pela sua riqueza em sulfuretos maciços volcanogénicos (vulgo pirites), esta província metalogenética forma um arco com uma extensão de 250 km de comprimento e 30 a 60 km de largura, que abrange parte do Alentejo, do Algarve e da Andaluzia.

A mina em si, conhecida como o sítio arqueológico da Cova da Moura o Herculano, estava situada nas encostas de um barranco. O parque/mina também serve como reserva para várias espécies animais, como avestruzes, burros e perdizes. Rural, isolado, perto da Ribeira da Foupana, nas proximidades do povoado Calcolítico de Santa Justa, a pouco mais de 20 km dum antigo porto de embarque em Alcoutim que serviu para a exploração de ouro, pirites e cobre. Predominam o montado de azinheira, povoamentos de pinheiros e pequenas manchas de amendoeiras, alfarrobeiras, laranjeiras e figueiras. Em termos de fauna podemos encontrar, entre outros, a Raposa, o Saca-rabo, a Gineta, a Doninha, o Texugo, o Javali e a Lontra e uma comunidade de Morcegos de Ferradura-pequena; no que toca a avifauna destaque para a Cotovia Montesina (Galerdia thekla), o Picanço Barreteiro (Lanius senator), o Melro Azul (Monticola solitarius), o Chasco Ruivo (Oenanthe hispanica).

 

Nos finais da Década de 1990, o Instituto Geológico e Mineiro iniciou um programa para a valorização do património mineiro e geológico associado à Faixa Piritosa Ibérica, incluindo o seu aproveitamento turístico. No âmbito deste programa, o Instituto apoiou em 1999 a instalação do Parque Mineiro Cova dos Mouros na antiga mina das Ferrarias. O Parque inseriu-se numa rede de centros museológicos em antigas instalações mineiras, nas regiões portuguesas do Algarve e do Alentejo, e na comunidade espanhola da Andaluzia  Apesar das suas reduzidas dimensões, em comparações com os outros núcleos mineiros na região, como os de Aljustrel ou de São Domingos, o Parque da Cova dos Mouros apresentou uma elevada importância devido à sua localização, que permitiu a ligação da rede de museus mineiros ao grande mercado turístico do Algarvio. Por outro lado, as obras de valorização da Cova dos Mouros permitiram ganhar valiosa experiência neste tipo de intervenções, que foi depois aplicada noutros pólos museológicos da faixa piritosa em Portugal.

Em 2004, o Parque Mineiro recebeu a medalha de prata de mérito da Região de Turismo do Algarve, por dedicação à atividade turística. Em 2013, o Núcleo do Algarve da Liga para a Proteção da Natureza organizou uma caminhada na zona da aldeia de Vaqueiros, passando junto ao Parque Mineiro da Cova dos Mouros.

Foi criado, para fins turísticos, o Parque Mineiro que possuiu um itinerário pedestre de 730 metros a céu aberto em que, além da mina de cobre, se faz uma reconstituição pré-histórica, com uma habitação e utensílios primitivos, incluindo representações de figuras da época a trabalhar, dando ao visitante a sensação de estar numa viagem a tempos remotos e viver o quotidiano dos nossos ancestrais, desde a época Calcolítica (2.500 a.C.) ao período Romano.

Pode-se apreciar igualmente a deslumbrante paisagem do Nordeste Algarvio.

O percurso, sinuoso e com subidas e descidas, inclui uma passagem junto ao Parque Mineiro Cova dos Mouros, uma mina de cobre, ocupada entre o Calcolítico – Idade do Cobre – até aos romanos, mas agora votada ao abandono.

>>>>>>>>>><<<<<<<<<<

Sobre a cache

O Container é pequeno, como tal, convém ir prevenido com material de escrita.

Para esta cache preservar, no seu lugar volto a colocar.

Boas cachadas, cuidado com os excessos e divirtam-se.

Additional Hints (No hints available.)