Skip to Content

Reviewer notes

Use this space to describe your geocache location, container, and how it's hidden to your reviewer. If you've made changes, tell the reviewer what changes you made. The more they know, the easier it is for them to publish your geocache. This note will not be visible to the public when your geocache is published.

Traditional Geocache

Vera Cruz [Portel]

A cache by clcortez Send Message to Owner Message this owner
Hidden : 9/19/2004
Difficulty:
2.5 out of 5
Terrain:
2 out of 5

Size: Size: regular (regular)

Join now to view geocache location details. It's free!

Watch

How Geocaching Works

Please note Use of geocaching.com services is subject to the terms and conditions in our disclaimer.

Geocache Description:


VERA CRUZ

Bem vindos a uma cache que vos leva à aldeia de Vera Cruz, uma misteriosa, enigmática e simpática aldeia do concelho de Portel, bem no meio do Alentejo.                       

A aldeia

Para visitar Vera Cruz comece pela Igreja de São Pedro ( Séculos VII - XIX ).  Assim que se aproxima da aldeia a primeira coisa que salta à vista é esta igreja, que é a edificação mais alta da aldeia. Igreja do antigo mosteiro da Ordem de Malta, foi fundada nos finais do século XIII por D. Afonso Pires Farinha, que participou na 7ª cruzada a Jerusalém, de onde trouxe a relíquia do Santo Lenho, ainda hoje guardada no seu interior.
O templo medieval foi construído sobre as ruínas de um antigo mosteiro visigótico, do qual subsistem, com especial relevo, as capelas colaterais da actual cabeceira da igreja, esta já consequência de uma reforma dos séculos XVI a XIX. Considerado um dos mais belos templos do País só abre oficialmente à hora da missa de domingo( actualmente é às 10.30h). Se for fora desta hora e se pedir ajuda poderá espreitá-la( procure no museu junto à mesma ou alguém por ali alguém que tenha a chave ). Tem uma história imensa de peregrinações, milagres e exorcismos. Com data de início de construção em 1271, era parte de um convento que esteve entregue à Comenda de Malta de Vera Cruz e era delegação do priorado do Crato. Este mosteiro, ou convento, ainda existe mas está praticamente em ruínas, mas ainda se pode observar como viviam os frades nesse tempo.

 Se visitar a igreja, sinta todo o miticísmo e repare em alguns pontos interessantes: as janelas são apenas pequenas frestas que pouco iluminam o templo, tendo que se recorrer à iluminação artificial. É também desprovida de altares laterais, sendo o único altar o altar-mor. Do lado esquerdo do altar está uma pequena divisão onde está fechada a custódia do Santo Lenho, e repare na data que está por cima da porta. Indica a ultima restauração de que foi alvo. Já nas traseiras da igreja tome atenção às sucessivas obras de que este templo foi alvo. Notam-se muitas construções em cima umas das outras, o que indica muitas e muitas gerações que por ali passaram. Actualmente estas ruínas estão suspensas com uma estrutura metálica, pelo que percorra-as com cuidado.

Deve visitar na aldeia além da Igreja do Santo Lenho, o Museu da Aldeia, a Capela da Santo António, a Fonte Santa e os Buracos dos Mouros.
Em Vera Cruz há festas em honra do Santo Lenho que são no mês de Setembro. Nas festas há bailes, touradas, procissão e as pessoas representam a Lenda da Fonte Santa.
Mas e que lenda é esta? É importante explicar um pouco da história deste local...

 

 

 

 

 

Um pouco de história...e lendas...

Mais importante é a lenda que garante que a madeira que está dentro de uma belíssima custódia (fechada literalmente a sete chaves) pertenceu ao Santo Lenho (a cruz de Cristo), motivo mais do que suficiente para ser, antes das aparições em Fátima, um importante local de peregrinação. E de exorcismos, como o daquela menina que tinha sido possuída pelo espírito de um homem adulto. Se estes motivos não fossem suficientes a aldeia tinha ainda um Pinheiro Sagrado e uma Fonte Santa, que se diz que terão aparecido na mesma altura em que o Santo Lenho foi para aqui trazido (1271). Outra lenda, esta historicamente improvável, diz que o Pinheiro Sagrado nasceu quando D. Afonso Henriques, ao passar por aqui em 1139, a caminho da batalha de Ourique, terá cravado no chão uma vara de espinho, enquanto dizia "é tão certo vencer todos os mouros, como esta vara reverdecer". De qualquer forma, os habitantes garantem que houve na aldeia um pinheiro sagrado, que era local de peregrinação, e garantem-me que a pinha que está no Museu da Aldeia tem cerca de 300 anos e foi fruto dessa mesma conífera. 

Arredores...

Para melhor desfrutar esta cache sugiro a visita a Portel, a vila sede do concelho com o mesmo nome. Com castelo e Carta Foralenga desde o séc. XIII, o concelho de Portel viveu, durante séculos, dos seus recursos agro-pecuários. De boa herança, os actuais habitantes receberam um punhado de valiosos monumentos de recuadas eras e uma localização a pedir que dela tirem proveito. Quem por aqui passe tem com que tratar o espírito e o corpo: visite-se o castelo e a Igreja Matriz de Vera Cruz, espreitem-se as grutas de Algar, agora mais recentemente a barragem de Alqueva e não faltarão motivos de meditação em redor do calducho, das cilarcas e dos queijos de Portel.

É uma terra pacata, que vive lentamente. Nas ruas e nas esplanadas, os homens aproveitam as sombras e deitam cartas. A tarde é passada a percorrer as ingremes ruas medievais que conduzem até ao castelo, pertença da Fundação da Casa de Bragança, as igrejas da terra, as ruas antigas, tentando descobrir os parcos vestígios judeus que aí permanecem. Das muralhas resta muito pouco e em tão mau estado que a queda parece iminente. Tal como a fortaleza.

Num estado de ruína  lamentável, e pertencendo também à Fundação da Casa de Bragança, está um dos montes mais emblemáticos da zona, situado na estrada que conduz a Vera Cruz,  a nossa aldeia enigmática a 10 quilómetros de Portel.

O Monte de Vale de Abuim está classificado como imóvel de interesse público, mas as outrora bonitas cavalariças, e a esguia torre do século xvi — que serviria como elo de comunicação entre Portel e Vera Cruz — ameaçam queda. Enquanto resistem, a única utilidade é fornecerem sombra aos animais (a torre) e espaço para lixeira (as cavalariças).

Na típica paisagem alentejana resta apenas o montado e as oliveiras, que fornecem a matéria-prima para o premiado azeite de Portel. O São Pedro, produzido a partir de azeitona galega, recebeu ejá vários prémios nacionais de qualidade.

No topo da serra de Portel subsistem duas ermidas — as únicas do concelho que não estão num estado lastimoso de ruína. Têm ambas oráculo de São Pedro, sendo apenas de datas diferentes. A mais antiga (1624) está alcandorada numa crista rochosa de agulhas e é chamada Ermida da Gruta. A tradição diz que apareceu aqui a imagem do seu titular. A outra ermida de São Pedro (1666), está rodeada pelas ruínas de oito hospedarias das extintas irmandades que veneravam o Santo.

Lá de cima, a cerca de 400 metros de altitude, a vista é soberba, apesar de estar muito despida de vegetação. São essas terras desmatadas que indicam até onde a água chega desde Novembro do ano 2000 quando a barragem começou a encher. E toma-se consciência do quanto esta paisagem se vai alterar.

O maior lago artificial da Europa terá uma superfície de cerca de 250 quilómetros quadrados (de quota máxima, com 4000 milhões de metros cúbicos de água) e margens que se estenderão por mais de 1000 quilómetros. O grau de humidade vai subir e a temperatura média descerá cerca de 5°C.

A cache : 

Esta cache está junto à igreja e às ruínas do convento, é de fácil acesso. Aproveite para visitar a zona e sinta o miticismo que está no ar! Imagine o que sentiam os frades que ali viveram, percorra as divisões em ruínas e imagine-se em cada uma delas naquela altura e deixe-se levar pela imensidão e repouso do Alentejo...no fim deixe a cache bem escondida!

Esta cache é um "tuperware" de +/- 12x12x6cm. 

O conteúdo inicial, além do logbook, lápis afia e documentação é :

- 1 lanterna
- 1 mini contentor para uma micro
- 1 condensador electrolítico
- 1 pin da Abraço
- 1 pedra ornamental

 

Não se esqueça: "Cache in, Trash out!"

                         English

                         For an english translation please use the link follow or send me an e-mail and I'll be glad to send it to you .

    Português (versão original) ¤ menu > início :: Vera Cruz [ Portel ]

translate / traduire:    English    Français    


Quer saber mais sobre o Geocaching em Portugal?
Adere ao grupo de discussão e visita os sites http://www.geocaching-pt.net/,
GeoPorStats
e os mapas com a localização das caches portuguesas

Would you like to know more about Geocaching in Portugal?
Join the discussion group and visit http://www.geocaching-pt.net/,
GeoPorStats and the maps with the location of the portuguese caches

 

Additional Hints (Decrypt)

Byurz cnen n punzvaé!

Decryption Key

A|B|C|D|E|F|G|H|I|J|K|L|M
-------------------------
N|O|P|Q|R|S|T|U|V|W|X|Y|Z

(letter above equals below, and vice versa)



 

Find...

179 Logged Visits

Found it 151     Didn't find it 14     Write note 8     Temporarily Disable Listing 1     Enable Listing 1     Needs Maintenance 1     Owner Maintenance 3     

View Logbook | View the Image Gallery of 114 images

**Warning! Spoilers may be included in the descriptions or links.

Current Time:
Last Updated: on 6/1/2018 3:45:04 AM Pacific Daylight Time (10:45 AM GMT)
Rendered From:Unknown
Coordinates are in the WGS84 datum

Return to the Top of the Page