Skip to Content

This cache has been archived.

btreviewer: Esta cache foi arquivada por falta de uma resposta atempada e/ou adequada perante as situações relatadas. Relembro a secção das guidelines sobre a manutenção http://www.geocaching.com/about/guidelines.aspx#cachemaintenance :

[quote]
Você é responsável por visitas ocasionais à sua geocache para assegurar que está tudo em ordem para funcionar, especialmente quando alguém reporta um problema com a geocache (desaparecimento, estrago, humidade/infiltrações, etc.), ou faz um registo "Precisa de Manutenção". Desactive temporariamente a sua geocache para que os outros saibam que não devem procurar a geocache até que tenha resolvido o problema. É-lhe concedido um período razoável de tempo - geralmente até 4 semanas - dentro do qual deverá verificar o estado da sua geocache. Se a geocache não estiver a receber a manutenção necessária ou estiver temporariamente desactivada por um longo período de tempo, poderemos arquivar a página da geocache.

Por causa do esforço requerido para manter uma geocache, por favor coloque geocaches físicas no seu espaço habitual de geocaching e não em sítios para onde costuma viajar. Geocaches colocadas durante viagens não serão muito provavelmente publicadas a menos que possa fornecer um plano de manutenção adequado. Este plano deve permitir uma resposta rápida a problemas reportados, e deverá incluir o Nome de Utilizador de um geocacher local que irá tomar conta dos problemas de manutenção na sua ausência. [/quote]

Como owner, se tiver planos para recolocar a cache, por favor, contacte-me por [url=http://www.geocaching.com/email/?u=btreviewer]e-mail[/url].

Lembro que a eventual reactivação desta cache passará pelo mesmo processo de análise como se fosse uma nova cache, com todas as implicações que as guidelines actuais indicam.

Se no local existe algum container, por favor recolha-o a fim de evitar que se torne lixo (geolitter).

Obrigado

[b] btreviewer [/b]
Geocaching.com Volunteer Cache Reviewer

[url=http://support.groundspeak.com/index.php?pg=kb.page&id=77][i][b]Work with the reviewer, not against him.[/b][/i][/url]

More
<

Aveiro Salgado

A cache by Ana & Tiago Send Message to Owner Message this owner
Hidden : 12/18/2005
Difficulty:
3 out of 5
Terrain:
2 out of 5

Size: Size: other (other)

Join now to view geocache location details. It's free!

Watch

How Geocaching Works

Related Web Page

Please note Use of geocaching.com services is subject to the terms and conditions in our disclaimer.

Geocache Description:


A Ria de Aveiro, nome poético para a designação correcta de Laguna, resulta dos avanços e recuos do mar provenientes das flutuações climatéricas da Terra e da formação de cordões arenosos, num processo recente de cerca de 800 anos. A abertura de uma barra artificial na localização actual, a Norte da existente em Mira, foi feita definitivamente em 1808 (comemoram-se os 200 anos), reutilizando os blocos de grês da Muralha Medieval da cidade, à falta de pedra sólida na região. Ainda podem ser vistos restos da Muralha p ex entre o Forum e a Repsol, onde uma imobiliária se está a esforçar por construir, e alguns arcos do Aqueduto adjacente parcialmente demolido em 1783 na farmácia e lojas do início da Av. Dr. Lourenço Peixinho. Formou-se uma laguna desde Ovar até Mira, separada do Atlântico por um cordão arenoso estreito, em erosão. Nela desemboca o rio Vouga e afluentes, criando um ambiente de água salobra sujeito às marés, que permitiu o uso de técnicas milenares artesanais para a produção de sal em marinhas ou salinas.
O primeiro documento escrito sobre o Salgado na região de Aveiro é anterior à fundação da nacionalidade. A rica galega Condessa Mumadona Dias, tia do Rei Ramiro II de Leão e viúva do Conde de Tuy e de Portucale Hermenegildo Gonçalves, governa sozinha e em Julho 950 divide o seu património pelos 6 filhos, ficando Gonçalo Mendes com o Condado Portucalense. A 26 Janeiro 959 deixa em testamento ao Mosteiro de Nossa Sra. da Oliveira ou S.Mamede de Guimarães, que havia criado, várias doações, que nos trazem até hoje o conhecimento do património existente à época, da qual se destaca a de "Sui terras in Alavario et Salinas".

A safra começa em Março e vai até Setembro, quando se extrai o sal. Com as primeiras chuvas é preciso cobrir os típicos montes de sal. O sal proveniente das marinhas localizadas no meio da Ria é transportado à cabeça em canastras e em barcos mercantéis, parecidos com os moliceiros, até aos palheiros de madeira do Canal de S. Roque, que são os armazéns do sal. Alguns ainda estão de pé e outros foram convertidos em bares e restaurantes.
Outrora laboravam centenas de marinhas, mas hoje em dia, com a falta de marnotos para exercer este duro trabalho e com a concorrência de outros sais, a maioria está desactivada, abandonada ou transformada em aquaculturas.
O Ecomuseu da Marinha da Troncalhada, pertencente à Câmara, é uma marinha em laboração com carácter pedagógico. Os produtos cosméticos feitos com sal, o próprio sal e a flor do sal da zona podem ser adquiridos num quiosque entre as Pontes e o Rossio, donde saem as viagens turísticas de moliceiro e lancha.
A área de sapal da Ria é rica em fauna e flora halófila, adaptada à vida na água salobra/salgada, sendo a avifauna a mais visível. Nas salinas podemos observar artémias, pequeníssimos crustáceos alaranjados adaptados à vida em ambientes salinos extremos. Caminhando por entre juncais e caniçais podemos ver na água prados de erva-marinha (sirgo), tainhas, caranguejos, crico (berbigão)... Observando melhor e sem fazer barulho, avistam-se pernalongas, gaivotas, garças, pilritos, borrelhos, guarda-rios, alfaiates, mergulhões, patos, galinhas de água e flamingos de passagem, entre outros. Ao entardecer também aparecem as conhecidas ratazanas da ria, do tamanho de coelhos!

Este é um passeio que dá para toda a família. Visitem o Ecomuseu, não vão só à caça da cache, das enguias e dos ovos moles!

Os nossos conselhos:

Guia das aves + binóculos + máquina fotográfica!

Entre as caches 2 e 3 aconselhamos o uso de calças, devido à presença de vegetação e possíveis carraças. Sigam sempre os caminhos dos muros (motas) e vejam bem se estão a pôr os pés em solo firme. As crianças devem ser permanentemente acompanhadas.

Se tiver chovido aconselhamos o uso de botas/galochas.

Há zonas com muitos insectos no caminho para a cache 3, lembrem-se de que eles são atraídos por roupa de cores claras!...

Additional Hints (Decrypt)

Pnpur 1: Nb aíiry qbf céf, cebphene crçn rz pvzragb r gragne n fbegr abf iáevbf bevsípvbf!

Decryption Key

A|B|C|D|E|F|G|H|I|J|K|L|M
-------------------------
N|O|P|Q|R|S|T|U|V|W|X|Y|Z

(letter above equals below, and vice versa)



 

Find...

449 Logged Visits

Found it 351     Didn't find it 34     Write note 31     Archive 1     Needs Archived 1     Unarchive 1     Temporarily Disable Listing 4     Enable Listing 3     Publish Listing 1     Needs Maintenance 9     Owner Maintenance 11     Update Coordinates 1     Post Reviewer Note 1     

View Logbook | View the Image Gallery of 115 images

**Warning! Spoilers may be included in the descriptions or links.

Current Time:
Last Updated:
Rendered From:Unknown
Coordinates are in the WGS84 datum

Return to the Top of the Page

Reviewer notes

Use this space to describe your geocache location, container, and how it's hidden to your reviewer. If you've made changes, tell the reviewer what changes you made. The more they know, the easier it is for them to publish your geocache. This note will not be visible to the public when your geocache is published.