Skip to content

This cache is temporarily unavailable.

Bitaro: Olá almeidara,

Pelo teor dos últimos registos, parece necessária a intervenção do owner para verificar o estado da geocache.
Até lá, ficará temporariamente inactiva.

Por favor leia atentamente as Linhas de Orientação que regulam a manutenção das geocaches:

O dono da geocache é responsável por visitas à localização física.

Você é responsável por visitas ocasionais à sua geocache para assegurar que está tudo em ordem para funcionar, especialmente quando alguém reporta um problema com a geocache (desaparecimento, estrago, humidade/infiltrações, etc.), ou faz um registo "Precisa de Manutenção". Desactive temporariamente a sua geocache para que os outros saibam que não devem procurar a geocache até que tenha resolvido o problema. É-lhe concedido um período razoável de tempo - geralmente até 4 semanas - dentro do qual deverá verificar o estado da sua geocache. Se a geocache não estiver a receber a manutenção necessária ou estiver temporariamente desactivada por um longo período de tempo, poderemos arquivar a página da geocache.

Esta designação serve para geocaches que estão com alguma questão pendente ou um problema temporário por resolver.
Como owner, tem ao dispor, pelo menos, quatro soluções possíveis:

  1. Efectuar a manutenção necessária e reactivar a geocache, dentro do prazo estabelecido pelas Linhas de Orientação
  2. Colocar uma nota na geocache com o plano de manutenção, caso esta não possa ocorrer num curto espaço de tempo. Nessa nota deve constar:
    • o prazo em que pretende efectuar a manutenção,
    • o argumento pelo qual o prazo indicado abaixo terá de ser ultrapassado para que fique novamente activa;
  3. Caso não consiga assegurar a manutenção da mesma, pode considerar o processo de adopção por um geocacher local;
  4. Arquivar a geocache se não tiver disponibilidade para assegurar o estado pleno da mesma. Por favor, tenha em consideração que nesta opção é necessário remover a geocache ou os conteúdos da mesma para evitar que se tornem lixo (*geolitter*).

Assim, caso não seja feita manutenção ou indicado um motivo válido pelo qual a geocache deva estar desactivada além do tempo previsto pelas Linhas de Orientação, a mesma será arquivada num prazo de 60 dias (este prazo não é rigoroso enquanto a pandemia COVID-19 se mantiver - a manutenção deverá ser feita sempre em segurança, pois a sua saúde está primeiro que a saúde da cache!).

Relembro que não é possível desarquivar uma geocache que seja arquivada por falta de manutenção.

Obrigado pela colaboração
Bitaro
Community Volunteer Reviewer

Centro de Ajuda
Linhas Orientação

More
<

São Jerónimo [Lisboa da Expansão]

A cache by almeidara Send Message to Owner Message this owner
Hidden : 06/21/2006
Difficulty:
1.5 out of 5
Terrain:
1.5 out of 5

Size: Size:   small (small)

Join now to view geocache location details. It's free!

Watch

How Geocaching Works

Please note Use of geocaching.com services is subject to the terms and conditions in our disclaimer.

Geocache Description:


 

 

 

 


Esta cache faz parte de um conjunto.

Com cada uma das caches pretendo levar o geocacher a visitar vários locais ou monumentos evocativos das várias eras da história de Lisboa:

Teatro
[Olisipo]


Castelo
[Alusbona]


Judiaria
[Lisboa Medieval]


S. Jerónimo
[Lisboa da Expansão]

Passeio Público
[Lisboa Romantica]


Uptown
[Lisbon]

Ao escrever sobre Lisboa do sec XVI não é possível dissociá-la dos Descobrimentos Maritimos Portugueses que vão culminar com o Descobrimento Marítimo para a Índia. Colocada, em consequência deste acontecimento, na convergência das grandes rotas do comércio mundial, esta nova situação vai criar-lhe uma série de condicionalismos que vão operar no seu tecido urbano durante aquele século. Como, porém, Lisboa já era uma importante cidade, capital do País desde o sec. XIII, não se pode falar, propriamente, numa ruptura em relação à cidade anterior.

Na realidade, Lisboa de Quinhentos receberá já um legado medieval, em termos urbanísticos, que podemos considerar confortável, tanto no que respeita a área, definida pela muralha fernandina, que lhe permitia emparceirar, em extensão, com outras cidades da Europa, como no que respeita a estruturas básicas, decorrentes da sua capitalidade.

Desde D. Fernando, com a construção dos novos estaleiros que antecederam, no local, a Ribeira das Naus, que a cidade vinha a movimentar-se em direcção ao Tejo e ao Ocidente, à medida que a sua econonia ia dependendo cada vez mais do grande rio, rompendo pouco a pouco, com o ruralismo que a caracterizou nos primeiros tempos da monarquia.

Este rápido aumento da população através das encostas ocidentais, estendendo-se ao longo da linha de água a léguas de distância, vai obrigar a que se criem, na zona ocidental, em poucos anos, sete novas paróquias, pela subdivisão da dos Mártires: a paróquia das Chagas (1542); a do Loreto (1551), transferida no século seguinte para a igreja da Encarnação; a de Santa Catarina do Monte Sinai (1559); a de São Paulo (1566); a de Santos-o-Velho (1566) e, ainda, a paróquia da Trindade (1584), fundada no convento da Trindade, depois transferida para a igreja do Sacramen to. Mais longe devido à fundação do Convento dos Jerónimos e o aparecimento dos pequenos aglomerados do Restelo e do Alto da Ajuda, vai constituir-se a paróquia de Nossa Senhora da Ajuda (entre 1561 e 1591) que absorve, além daqueles núcleos de povoamento, toda a linha de costa desde Alcântara até São José de Ribamar.

Esta rápido crescimento da cidade direcção à foz do rio é compensado por uma certa contensão do crescimento noutras direcções, espacialmente para Norte e, nessa direcção, a cidade permanecerá, ainda por muito tempo, no interior da linha de muralha com excepção da Mouraria que já nascera no seu exterior.

in "O Livro de Lisboa"

Construída em 1514, dentro dos terrenos da cerca dos Monges Jerónimos do Mosteiro de Santa Maria de Belém, a Capela de S. Jerónimo, de formas sóbrias e raro equilíbrio de volumes, é um monumento que impressiona todos os que o vêem pela primeira vez. Esta Capela, de planta quadrangular, é rematada no topo por um cordão interrompido por quatro pináculos cónicos de forma retorcida, sendo decorada em cada canto por gárgulas em tudo semelhantes às que se encontram no Claustro do Mosteiro dos Jerónimos. O edifício tem os seus cunhais exteriores reforçados por quatro "gigantes", que suportam o peso do tecto e das paredes.

A porta principal, de reduzidas dimensões, está virada para ocidente e dela se avista um largo horizonte que se estende pelo mar dentro. A decoração desta porta é de uma grande simplicidade, aliás de acordo com o resto do edifício. Dela se destaca apenas um escudo real, encimado pela coroa, ladeado por duas esferas armilares, símbolos do reinado de D. Manuel I e que evocam um período da história em que Portugal deu "novos mundos ao mundo". 

A cache encontra-se na linha recta que une este monumento à Torre de Belém, outro monumento ligado a esta época. Para a encontrar terá que ir à coordenada publicada e percorrer X metros em direcção à torre. O X é obtido a partir da data existente no ponto de origem, X = 'data' / 43.

Boas cachadas na Lisboa da Expansão

Additional Hints (Decrypt)

Rffrapvny whagb nu envm qronvkb qn crqen.

Decryption Key

A|B|C|D|E|F|G|H|I|J|K|L|M
-------------------------
N|O|P|Q|R|S|T|U|V|W|X|Y|Z

(letter above equals below, and vice versa)



Reviewer notes

Use this space to describe your geocache location, container, and how it's hidden to your reviewer. If you've made changes, tell the reviewer what changes you made. The more they know, the easier it is for them to publish your geocache. This note will not be visible to the public when your geocache is published.