Skip to content

<

A Margem do Meio [V.F.Xira, Lisboa]

A cache by almeidara Send Message to Owner Message this owner
Hidden : 08/01/2006
Difficulty:
1 out of 5
Terrain:
1.5 out of 5

Size: Size:   regular (regular)

Join now to view geocache location details. It's free!

Watch

How Geocaching Works

Please note Use of geocaching.com services is subject to the terms and conditions in our disclaimer.

Geocache Description:

Uma cache tradicional escondida no meio do rio Tejo, entre a margem norte e a margem sul . A descrição do local envolvente de seguida:


COMPANHIA DAS LEZIRIAS

A Companhia das Lezírias é a maior exploração agro-pecuária e florestal existente em Portugal, compreendendo a Lezíria de Vila Franca de Xira, a Charneca do Infantado, o Catapereiro e os Pauis (Belmonte e Lavouras).
A Lezíria está compreendida entre os rios Tejo e Sorraia e é sub-dividida pela Recta do Cabo (E.N. 10 entre Vila Franca de Xira e Porto Alto) em Lezíria Norte e Lezíria Sul. Lezíria Norte, constituída por cerca de 1.300 hectares explorados indirectamente (rendeiros). Lezíria Sul constituída por cerca de 5.000 hectares, dos quais 3.000 ha são explorados indirectamente (rendeiros) e 2.000 ha estão afectos a pastagens e/ou à produção de forragens.
A seguir à área de pastagens/forragens, a cultura predominante é a do arroz num total de 650 hectares, seguida de 140 hectares de milho (sob pivot). Nos Pauis de Belmonte e Lavouras, num total de 460 hectares, cultiva-se arroz.
A Companhia das Lezírias passou por muitas vicissitudes, sendo nacionalizada em 1975 e tendo passado, em 1989, a Sociedade Anónima de capitais maioritariamente públicos.
Desde 1997, a Companhia das Lezírias vem consolidando a sua situação, quer sob o ponto de vista tecnológico, quer financeiro, baseada numa filosofia de desenvolvimento sustentado.

in http://www.cl.pt/

RESERVA NATURAL ESTUÁRIO DO TEJO

A Reserva Natural abrange extensa superfície de águas estuarinas, os mouchões da Póvoa, do Lombo do Tejo, das Garças e de Alhandra bem como o sapal de Pancas, este último sulcado por uma teia de calas e canais, atravessado pelo rio Sorraia e ladeado por pequenas áreas de montado e pinhal manso. O essencial do coberto vegetal é dominado pela mancha de sapal, traço de união entre as águas e a superfície emersa.
O estuário do Tejo funciona como local de cria para peixes, caso do Linguado e do Robalo. Dentre as espécies sedentárias tipicamente estuarinas salientam-se o Caboz-de-areia e o Camarão-mouro. Para peixes migradores como a Lampreia, a Savelha e a Enguia o Tejo é local de transição entre o meio marinho e o fluvial. Atendendo à sua localização, esta zona húmida é um área de eleição, em termos de invernada, para diversas espécies da avifauna. Nela se concentram durante a estação fria largos milhares de aves aquáticas de diversas espécies, nomeadamente o Alfaiate. Bandos de anatídeos nidificam na lagoa do Mouchão do Lombo do Tejo. O Flamingo e o Ganso-bravo-comum, com populações variáveis, também frequentam estas paragens. Passeriformes fazem aqui escala nas suas migrações transarianas. Finalmente, jamais será demais salientar que Lisboa é a única capital europeia a possuir, diante de portas, uma reserva natural desta importância. 

in http://www.icn.pt

Additional Hints (Decrypt)

Rager nf crqenf cergnf cbe onvkb qr inevnf oenapnf

Decryption Key

A|B|C|D|E|F|G|H|I|J|K|L|M
-------------------------
N|O|P|Q|R|S|T|U|V|W|X|Y|Z

(letter above equals below, and vice versa)