Traditional Geocache

TP01 - O Sofá de Bucelas [Bucelas]

A cache by touperdido Send Message to Owner Message this owner
Hidden : 9/14/2006
In Lisboa, Portugal
Difficulty:
3.5 out of 5
Terrain:
5 out of 5

Size: Size: small (small)

Join now to view geocache location details. It's free!

Watch

How Geocaching Works

Please note Use of geocaching.com services is subject to the terms and conditions in our disclaimer.

Geocache Description:


O Sofá de Bucelas in English

O Sofá de Bucelas

Escolhi este local para colocar a cache porque tem muitas características que me fazem lembrar o local onde comecei a escalar (Reguengo do Fétal), ou seja, é calcário com muitos buracos, vias curtas e explosivas. A designação de "sofá" é vista como um determinado patamar que se tem de alcançar para chegar á cache.

História

Bucelas em 1522 pertencia ao 3º Bairro de Lisboa. Por dec. Lei de 11/09/1852 passou a fazer parte do Concelho dos Olivais, tendo sido mais tarde integrada no Concelho de Loures em 27/07/1886. Em Dezembro de 1927 esta povoação foi elevada à categoria de Vila. É uma freguesia com cerca de 32,2km2 e tem actualmente cerca de 5.800 habitantes tornando-se assim a menos densa do Concelho. Confina a norte com os Concelhos de Mafra e Arruda dos Vinhos e a nascente com o Concelho de Vila Franca de Xira. Possui colectividades muito antigas como a dos Bombeiros Voluntários de Bucelas, inaugurada a 26 de Julho de 1891, e a Banda Recreativa de Bucelas, inaugurada a 21 de Junho de 1863, entre outras. Tem como festas anuais: Anjo Custódio da Nação no 3º Domingo de julho, esta festividade realiza-se desde 1566; Festa do vinho e das vindimas no 2º Domingo de Outubro; Festa da Nª Sª da Salvação, no dia 15 de Agosto; Festa da Nª Sª da Paz no Domingo mais próximo do dia 26 de Janeiro.

É uma Freguesia que continua a manter características rurais e tem na actividade vinícola fortes tradições pelos excelentes vinhos brancos que produz. Região demarcada a partir do dec. Lei de 03 de Março de 1911.

A fama do vinho branco é muito antiga e pensa-se que a cultura da vinha foi introduzida pelos romanos, que lhe deram forte desenvolvimento. Numa crónica sobre a descoberta do caminho marítimo para a Índia, foi dado a conhecer este vinho por marinheiros da nau de S. Gabriel que ao chegarem a Portugal comemoraram com bons petiscos e vinho branco produzidos a partir de cepas de Arinto de Bucelas. Mais tarde, o Marquês de Pombal interessou-se pela mesma e com a finalidade de a valorizar, importou algumas castas de Reno; outros autores no entanto afirmam que as cepas do Reno são originárias de Bucelas, sendo transportadas pelos cruzados alemães no regresso à Terra Santa. É durante as invasões francesas que o vinho de Bucelas passa a Ter fama internacional, conta-se que o rei George III, na altura Príncipe Regente, sofria de uma doença e para se tratar utilizou o vinho de Bucelas oferecido por Wellington no seu regresso das campanhas de Portugal. Torna-se com isso o vinho de Bucelas, um hábito da Coroa de Inglaterra. Actualmente é conhecido em todo o mundo, alcançando várias medalhas de ouro e prata em concursos Internacionais.

A região produtiva do vinho de Bucelas abrange as localidades: Bucelas, Charneca, Vila de Rei, Bemposta, Santo Aleixo, Vila Nova, Chamboeira e Freixial.

A maior densidade de vinha encontra-se nos vales e os terrenos são argilo-calcáreos, devido ao seu microclima específico, sendo bastante frio no Inverno com um teor de humidade muito elevado, temperado no Verão e protegido pelos ventos confere aos seus vinhos qualidades únicas. As castas utilizadas na produção deste vinho são: "Arinto", "Esgana Cão", "Rabo de Ovelha" e "Broal".

Este vinho é delicadamente perfumado, de um teor alcoólico de 11% é fresco, leve e ligeiramente ácido, ao envelhecer adquire um perfume acentuado. A casa de vinhos Camilo Alves foi inaugurada em 1882. A qualidade do vinho de Bucelas é controlada pelo instituto do vinho e da vinha, apresentando todas as garrafas um selo de garantia.

Mais informações sobre Bucelas na página da Junta de Freguesia

Escola de Escalada de Bucelas

A falésia de Bucelas começou a ser equipada pelo Paulo Alexandre e o seu irmão - que ficariam conhecidos por irmãos La Redoute, em 1993. Posteriormente foram equipadas vias também pelo Francisco Ataíde e pelo Emanuel e, mais tarde, pelo Gaspar e pelo Luís Fernandes, antes mesmo de se ouvir falar da CREL. As vias mais recentes foram equipadas pelo Carlos Pereira. As vias são todas baixinhas, mas Bucelas é um local calmo, apesar da proximidade da CREL, e muito acessível, sobretudo a quem habite do lado Norte de Lisboa. Esta escola de escalada está divida em 3 Sectores: Ponte, CREL e Papel Branco. No total dos 3 sectores são 17 vias (recentemente foram equipadas mais duas) que vão desde o grau mais acessível - III - até ao mais duro - 7a. Pode obter os croquis e graus dos Sectores Ponte e CREL na página do GMES

Localização:

Para chegarem a Bucelas devem seguir na A8, na direcção de Loures, apanhando a saída para Bucelas e seguindo pela estrada nacional 115. Depois de passarem por baixo do viaduto (junto ao restaurante dos pneus) cortem á direita, na placa que diz "Zambujal". Sigam para o centro da aldeia, em direcção aos Bombeiros, continuem a subir em direcção ás coordenadas do estacionamento (descritas em baixo). Para acederem ao Sector Papel Branco, aconselho que estacionem o carro nas coordenadas N 38º 52.555 W 009º 07.676. Daí contornam a antena pela esquerda até encontrarem um caminho pelo meio do mato, que será mais evidente á medida que se aproximam da cache. Desde o local onde deixam o carro até à cache são cerca de 7 minutos. Para acederem ao local da cache propriamante dito deverão continuar pelo caminho até encontrarem um calhau á esquerda que tem uma corda com vários nós para facilitar a descida. Apesar de parecer complicado, descam como se estivessem a fazer rappel e vão olhando para onde colocam os pés, pois tem bons apoios. Depois dessa passagem, é só seguirem a parede.

A cache:

Está colocada numa das vias do Sector Papel Branco (foto de cima), para encontrá-la é preciso escalar, por isso é obrigatório usar material de escalada. A cache é quadrada e está envolta num saco de plástico preto. Devido aos arbustos provavelmente terá má captação, no caso de ter dúvidas use a dica! Como esta é a minha primeira cache o conteúdo inicial é:

- Logbook

- Lápis

- Afia-lapis

- Stashnote

- Bolotas Aromáticas

- Mosquetão

- Pin

- Calhau de basalto

- Presa de escalada

Se não tiver material de escalada e quiser encontrar a cache, envie-me um mail para combinarmos a melhor solução.

Additional Hints (Decrypt)

Ivn bamr - Byune qn Frecragr - I+ ; Ebhgr ryrira - Gur ybbx bs fanxr - I+

Decryption Key

A|B|C|D|E|F|G|H|I|J|K|L|M
-------------------------
N|O|P|Q|R|S|T|U|V|W|X|Y|Z

(letter above equals below, and vice versa)



 

Find...

131 Logged Visits

Found it 89     Didn't find it 5     Write note 32     Archive 1     Unarchive 1     Post Reviewer Note 1     Enable Listing 1     Publish Listing 1     

View Logbook | View the Image Gallery of 196 images

**Warning! Spoilers may be included in the descriptions or links.

Current Time:
Last Updated: on 3/18/2017 7:43:23 AM Pacific Daylight Time (2:43 PM GMT)
Rendered From:Unknown
Coordinates are in the WGS84 datum