Skip to content

This cache has been archived.

MightyReek: Com o advento da ceifa do arroz a estrada está neste momento ainda mais impraticável que de costume, sendo bastante complicado fazer a necessária manutenção.
Irei arranjar uma alternativa a esta cache mais acessível e talvez noutro formato em breve.

Obrigado a todos pelas visitas

More
<

O Arroz - Projecto Alentejo [Alcácer do Sal]

A cache by MightyReek Send Message to Owner Message this owner
Hidden : 08/03/2008
Difficulty:
1.5 out of 5
Terrain:
1.5 out of 5

Size: Size:   regular (regular)

Join now to view geocache location details. It's free!

Watch

How Geocaching Works

Please note Use of geocaching.com services is subject to the terms and conditions in our disclaimer.

Geocache Description:


 

Planícies sem fim queimadas pelo sol impõem um ritmo lento e compassado. É o nosso Alentejo.

  No Norte Alentejano, as serras começam a dar lugar às planícies. Andando para Sul, o interior mostra-nos as searas douradas ondulando ao vento, onde ao longe se deixam avistar algumas serras. Chegados ao litoral, somos deslumbrados por praias agrestes de uma beleza selvagem, lagoas verdejantes e rios que correm para a liberdade.

 O passado está sempre presente no Alentejo, desde a pré-história, passando pelo Império Romano, pela ocupação Árabe e pelos Castelos Medievais, os vestígios do passado são incontornáveis para o visitante, oferecendo uma verdadeira viagem no tempo.

 Mas, nem só do espírito vive o viajante, e quando o apetite se faz sentir, o Alentejo tem muito para oferecer. Neste capítulo a criatividade dos Alentejanos não tem limite. Umas entradas com um extraordinário queijo de Serpa ou de Nisa ou presunto de Barrancos acompanhado com um pão de Mértola, siga pela Sopa de Cação ou pelo Gaspacho, isto sem falar na Açorda Alentejana nem num peixe fresco grelhado acabado de pescar nas arribas rochosas da Costa Vicentina, continue com o Ensopado de Borrego ou com as Migas de Espargos com carne de porco, momento certo para provar um tinto de Borba, Redondo, Reguengos ou Vidigueira. Para terminar, os doces conventuais, que tal uma Sericaia, umas Trouxas-de-ovos ou um Toucinho Rançoso.

 Se gosta de passear pela natureza, passeie a pé pelo verde das Serras d’ Ossa, Portel ou Grândola. Visite o Parque Natural da Serra de S. Mamede onde as paisagens do Sul encontram as do Norte e descubra o mais Alto Alentejo. No litoral, faça uma viagem inesquecível entre os golfinhos do estuário do Sado ou delicie-se com a quietude das praias quase desertas do Sudoeste.

 O Alentejo tem muito para oferecer e espera a vossa visita.
Endless and sun burned plains set a slow and  steady rhythm. It's our Alentejo.

  In the Northern Alentejo, the mountains are replaced by plains. As further as you head South you'll see the golden corn fields waving on the wind and at distance some shy mountains. As soon as we reach the shore we're amazed by wild and beautiful beaches, green lagoons and rivers that flow for the ocean's freedom.

 The past is something that is always present in Alentejo. From the Roman Empire, the Muslim occupation and the Medieval Castles, the past remains are something impossible to avoid by the visitors, to whom is offered a real time travel.

 But, not only of the spirit the travellers can live, and when the appetite makes it feel, the Alentejo has a lot to offer. In that chapter Alentejo people's creativity knows no limit. As starter an extraordinary cheese from Serpa or Nisa or even a piece of ham from Barrancos with some bread from Mértola. After that, a squalus soup or a cold tomato soup, this without speaking in the Alentejo Bread-Soup or a grilled fish just caught at the rocky cliffs of Vicentine Coast. After that continue with a Ham ragout or some bread soup with asparagus with pork meat, right moment to taste some Borba, Redondo, Reguengos or Vidigueira red wine. To finish, the conventual deserts. What about a "Sericaia", some "Trouxas-de-ovos" or a "Toucinho Rançoso".

 If you like to walk trough the Nature, take a walk by Ossa, Portel or Grândola mountains ranges. Visit the S. Mamede Natural Park where the South landscape meet the Northern and discover the highest Alentejo. Close to the shore make an unforgettable travel with the dolphins in the Sado's estuary or delight yourself with the Northwest almost deserted beaches.

The Alentejo has a lot to offer and waits for your visit.

 

O PROJECTO ALENTEJO

  Este projecto, nasceu da conjugação dos esforços de vários geocachers Alentejanos que resolveram divulgar o “seu” Alentejo. O projecto ALENTEJO, consta de uma série de caches temáticas espalhadas pela maior região do país e de uma cache mistério final a que só será possível aceder depois de visitar as outras. Aproveite estas caches, não só para descobrir os temas referidos, mas também para conhecer melhor o Alentejo.

 

THE PROJECT ALENTEJO

  This Project was born with the joined efforts of some Geocachers from Alentejo that decided to divulge "their" Alentejo. The Project ALENTEJO, is formed by a group of themed geocaches hidden all over the countries' larger region and a final geocache that you'll only be able to find after visiting all the others. Use this caches, not only to know more about the themes but also to know better the Alentejo.

 

O ARROZ

O arroz (constituído por sete espécies , Oryza barthii, Oryza glaberrima,Oryza latifolia,Oryza longistaminata,Oryza punctata,Oryza rufipogon e Oryza sativa) é uma planta da família das gramíneas que alimenta mais da metade da população humana do mundo. É a terceira maior cultura cerealífera do mundo, apenas ultrapassado pelo milho e trigo. É rico em hidratos de carbono.

Para poder ser cultivado com sucesso, o arroz necessita de água em abundância, para manter a temperatura ambiente dentro de intervalos adequados, e, nos sistemas tradicionais, de mão-de-obra intensiva. Desenvolve-se bem mesmo em terrenos muito inclinados e é costume, nos países do sudeste asiático, encontrarem-se socalcos onde é cultivado. Em qualquer dos casos, a água mantém-se em constante movimento, embora circule a velocidade muito reduzida.

THE RICE

  Domesticated rice comprises two species of food crops in the Poaceae ("true grass") family, Oryza sativa and Oryza glaberrima.
Rice is a staple for a large part of the world's human population, especially in tropical Latin America, and East, South and Southeast Asia, making it the second-most consumed cereal grain.

Rice cultivation is well-suited to countries and regions with low labour costs and high rainfall, as it is very labour-intensive to cultivate and requires plenty of water for cultivation. On the other hand, mechanized cultivation is extremely oil-intensive, more than other food products with the exception of beef and dairy products. Rice can be grown practically anywhere, even on a steep hill or mountain.

O Arroz em Alcácer do Sal

Foi sobretudo depois de 1833, no seguimento das lutas liberais que se deu a grande expansão da cultura do arroz nesta zona, o que arrastou ao mesmo tempo, durante muitos anos, grandes discussões acerca das vantagens e dos inconvenientes desta cultura.
A introdução do arroz não se fez, assim, sem fortes oposições ao longo do século XIX. Não obstante a cultura do arroz nesta zona não mais deixou de se efectuar.
No século XX a sua cultura passou até a ser incentivada, tornando-se no grande motor económico da zona. Segundo um jornal de 1934, a zona da Comporta era a região orizícola maior e melhor do país, sendo hoje ainda uma grande zona produtora de arroz.
Os arrozais do Sado constituem, do ponto de vista natural, áreas extremamente importantes para a alimentação de algumas espécies, nomeadamente as cegonhas e as garças.

The Rice in Alcácer do Sal

It was after 1833, following the liberal fights that the rice crop greatly expanded in this area, dragging for many years discussions about that crop's advantages and inconvenient.
The rice introduction wasn't easy and found great resistance all over XIX cent.. Although, the rice crop no longer left this area.
In the  XX cent. the crop started to be incentivated, becoming the greatest local economic lever.  According to a 1934 newspaper, Comporta region was the bigger and better rice crop area in all country, and still today it's a big rice producer region.
Sado's rice fields are, in the natural way, extremely important for the feeding of some species, namely  storks and herons

A  CACHE

O local da cache foi escolhido para mostrar a grande extensão de canteiros de arroz na região e a beleza desta cultura enquanto se desenvolve.
Depois de ceifado os canteiros tornam-se desoladores por isso recomendamos as vistas depois de os canteiros estarem alagados e antes de o arroz ser ceifado.

A cache está colocado junto a uma estrada. O acesso a essa estrada é feito junto ao estacionamento da Estalagem da Barrosinha pela estrada pública (não pelo próprio estacionamento nem por dentro dos portões da Cooperativa que é terreno privado) que está inserida nos edifícios da Sociedade Agrícola da Barrosinha. Admirem o quão imponentes sãos os edifícios e a importância que continuam a ter. Tudo tem uma única finalidade: produzir arroz!
 Depois e só seguir a estrada. Passam junto a um conjunto de armazéns e é seguir sempre em frente, acompanhando o canal da água e a várzea do rio.
Atenção, a partir de certo ponto há uma estrada mais acima que segue junto ao canal. NÃO devem circular por essa estrada, além de ser perigosa devido à proximidade do canal, é para uso exclusivo do responsável pelas comportas.

Devem levar com que escrever já que não é certo que o material de escrita da cache esteja em funcionamento.

 Se não conseguir fazer o Found, quer seja por não encontrar a cache quer seja por não a poder procurar, terá que cumprir estes requisitos para ser autorizado a fazer o log na cache final do Projecto Alentejo:

- terá que registar o Not Found, notes não valem.
-terá que provar que esteve mesmo lá. Uma fotografia sua com os canteiros por trás servirá.

THE CACHE

The cache location was chosen to show the great extension of rice fields and the beauty of this crop while its growing. After being collected the rice fields become desolate, so we recommend the landscape after the fields be inundate and before the crop be collected.

The cache is placed close to a road. The access to that road is made close to the parking of the Barrosinha Inn, through the public road (not trough the park itself nor the Societie's yard, wich is private!), that is inserted within the buildings of the Sociedade Agrícola da Barrosinha (Barrosinha's Agriculture Society). Admire how imponent are the buildings and the importance they still have. All this has one single purpose: Rice production.

Then you just have to follow the road. You'll pass close to a set of warehouses and you only have to go straight ahead. following the water channel and the river bed.
Attention, from a certain point there is a road right by the side of the channel. You must NOT use that road, besides being dangerous due to the channel proximity, it's for exclusive use of the person that manages the water gates.

You should take something to write with you, once it's not possible to assure the proper conditions of the supplied writing material.

 If you cannot make the Found, no matter it's because you can't find it or you cannot look for it, you'll have to fill this requirements to be authorized to log the found in the final cache of the Alentejo Project:

- You'll have to register your Not Found, notes aren't allowed.
-you'll have to prove that you've been there. A photo of you with the rice fields in the back will do.

Additional Hints (Decrypt)

[Pt] Whagb n onfr qb cvaurveb, gncnqn pbz enzbf r crqenf.
[Eng]Pybfr gb gur onfr bs gur cvar gerr, pbirerq jvgu fgvpxf naq ebpxf.

Decryption Key

A|B|C|D|E|F|G|H|I|J|K|L|M
-------------------------
N|O|P|Q|R|S|T|U|V|W|X|Y|Z

(letter above equals below, and vice versa)