Skip to Content

View Geocache Log

Found it joom found Vista para o Curral da Biduiça

Saturday, February 11, 2017Vila Real, Portugal

#7255 @09:17

Mais uma subida pela giesteira e desta vez para menos quilómetros nas pernas do que nas anteriores visitas.

Com a possibilidade de um FTF na mira e acima de tudo para ver este extraordinário espaço com neve à vista, facilmente apontámos as agulhas para aqui. Sem paragens no caminho, a distância em tempo até ao ponto de partida ainda demora a ser percorrida, passadas um pouco mais de hora e meia desde a saída estávamos prontos a passar debaixo do rio artificial.

Ainda vínhamos na 103 e já tínhamos reparado que as terras altas do mapa verde estavam engalanadas de branco, e não eram alguns farrapos, o que se viam eram mesmo alvas extensões a prenunciar um dia e peras de caminhada. Agora com o trilho à nossa frente e menos coberto, devido aos incêndios provocados por mentes mais imbecis, não havia neve à espreita. Era a terceira vez em menos de um ano que o calcaria. Os primeiros farrapos foram vistos aos 900 metros e só quando passámos a portela é que ouvimos, quais navegadores em alto mar, neve à vista. Ali à nossa frente toda a linha montanhosa perto da fronteira estava coberta de um manto de água sólida resultado da precipitação aliada às baixas temperaturas dos últimos dias. Já tinha valido a pena ter vindo comentou-se, até podíamos voltar para trás. Mas não e agora que por vezes o trilho aparecia enquadrado pela neve envolvente tornando a caminhada mais apropriada ao Inverno, estávamos decididos. Iríamos, obviamente, continuar com o plano e ir lá abaixo à Biduíça fazer a primeira pausa alimentícia do dia.

Fomos vendo a distância para o ponto zero a diminuir e já com o abrigo de pastores à vista, o cortiço como as gentes da zona o chamam, inflectimos para a cache. Faltavam menos de 100 metros para ouvir o característico apito do GPSr a assinalar que era ali o tradicional esconderijo feito por mãos humanas.

A cache apareceu sem demoras e depois de registada a nossa passagem num papelinho sem assinaturas depois de a cache ser publicada foi devolvida à sua toca. Foi nesta altura, se calhar por alguma razão quase divina, que sentimos um apetite voraz. Tinha chegado a hora de nos irmos abrigar do vento no interior do cortiço, ali no prado, e antecipámos o primeiro almoço.

Daqui passaríamos para o outro lado da ribeira da Biduíça e apontados onde esta se juntava ao Dola fomos fintando a neve que aparecia no caminho e descobrindo novas lagoas.

É sempre fantástico vir aqui.

E foi um saboroso FTF
Encontrada na agradável companhia do Joca, dos Joca.Sara e do NÉ, dos LAUDY_NÉ.
Sem trocas
Obrigado pela cache

O início e a vista para a Cabreira

Additional Images Additional Images

O início e a vista para a Cabreira O início e a vista para a Cabreira

A primeira subida A primeira subida

O trilho O trilho

Viemos dali Viemos dali

As primeiras neves As primeiras neves

Quase na portela Quase na portela

Duas pegadas Duas pegadas

Já se vê a Nevosa Já se vê a Nevosa

O rio que corre lá em baixo O rio que corre lá em baixo

A caminho A caminho

O curral da Biduíça O curral da Biduíça

A ponta final A ponta final

O papelinho O papelinho

Para os lados dos Cornos de Candela Para os lados dos Cornos de Candela

O ponto zero fica para ali O ponto zero fica para ali

O prado da Biduíça O prado da Biduíça

Mais pegadas Mais pegadas

Passou aqui um passarão Passou aqui um passarão

Onde comemos Onde comemos

A árvore resistente A árvore resistente

Cumeada nevada Cumeada nevada

A caminho da próxima A caminho da próxima

infoThis is the original cache type consisting, at a bare minimum, a container and a log book. Normally you'll find a tupperware container, ammo box, or bucket filled with goodies, or smaller container ("micro cache") too small to contain items except for a log book. The coordinates listed on the traditional cache page is the exact location for the cache.
Visit Another Listing:

Advertising with Us

Return to the Top of the Page