View Geocache Log

Found it Valente Cruz found O Hobbit

Wednesday, August 17, 2016Braga, Portugal

It looks like your log contains HTML or UBB formatting. We now use Markdown formatting because it works on both web and mobile. Would you like to convert your log?

Success! To keep these changes, hit “Submit Log Entry” at the bottom of the page.

Hmm. Some of your log formatting is not supported. You might want to remove it and use Markdown formatting.

Já por duas vezes estivemos para realizar esta caminhada d’O Hobbit, numa viagem pela Terra Média do Gerês, mas devido às condições climatéricas acabámos sempre por adiar. Desta vez, a meio de um agosto quente, a manhã acordou novamente cinzenta e a tradição parecia manter-se. A chuva miudinha cresceu logo depois e deslizou para uma alteração de planos, dado que a previsão meteorológica para a tarde raiava uma melhoria. Fomos então primeiro visitar o castelo de Lindoso, uma casa misteriosa e acabámos a manhã nas piscinas de água termal de Lobios; é, sem dúvida, um bom sítio para se estar enquanto chove.

Regressámos pela Mata de Albergaria e fizemos uma paragem para almoço na Portela de Leonte. Depois de um périplo pela vila, subimos à Pedra Bela e estacionámos no local recomendado. Entretanto, a chuva tinha terminado e o nevoeiro ia-se dissipando, pelo que decidimos investir nesta caminhada. A primeira parte acabou por ganhar alguns contornos de misticismo, com o nevoeiro a vaguear por entre as árvores. À medida que se vai subindo o caminho dá lugar a um trilho, as encostas vão-se tornando mais inclinadas e os amontoados graníticos vão compondo a paisagem.

Depois de uma primeira paragem sobre um vale muito fotogénico, chegámos por fim ao Curral da Carvalha da Égua. O prado é bastante grande e o abrigo parece ter excelentes condições. Prosseguimos pelo trilho e umas centenas de metros mais à frente encontrámos um novo prado/abrigo, bastante mais rústico mas igualmente interessante. A partir daqui entrámos no reino dos trilhos mais exíguos, tendo como guias as mariolas. Desviámo-nos do trilho que segue para a Teixeira e subimos o monte em busca da descoberta. Ao longe, os prados anteriores iam ficando cada vez mais pequenos.

À medida que íamos subindo o nevoeiro acabou por dissipar-se, pelo que tínhamos uma visão inteira do que nos rodeada. As nuvens compunham o cenário, para deleite da máquina fotográfica. Depois de mais um ponto de passagem, fizemos as contas ao destino e ao tempo disponível. Enquanto a Valente ficaria a aguardar, eu completaria a experiência, subindo ao pico. Acelerei a vontade, mas acabei por fazer uma má leitura do mapa e subir para onde não precisaria. Em montanha, há que respeitar as curvas de nível. A progressão nesta parte do trajeto estava um pouco mais difícil, visto que o trilho deve ser raramente usado. Surgiu então a visão da Montanha Solitária. Ao longe, o Pé de Cabril assemelhava-se na forma e despertava algumas memórias e vontades de um regresso.

Alcancei por fim a terra plana, no dorso da encosta, e aproveitei para apreciar a paisagem envolvente, em particular as vistas para o vale da vila e para o vale da Teixeira. O final da aventura estava perto, mas ainda era preciso vencer um último desafio. Com cuidado, esgueirei-me pelo pico e não demorei muito a chegar lá acima. A vista é triunfante e arrebatadora. Apetece ficar por ali indefinidamente a apreciar a solidão do local, envolvido por uma paisagem grandiosa. Depois das fotos, e a após alguma procura, lá acabei por encontrar o que desejava e marquei mais uma descoberta geresiana fantástica.

O regresso foi feito em modo acelerado, evitando a zona em que o trilho estava mais fechado, mas acrescentando mais uma subida ao cardápio. Resumindo, fui a direito pelos picos. Reencontrei a Valente e refizemos depois o caminho de regresso à civilização, aproveitando para mais algumas paragens e muitas fotografias. No regresso encontrámos dois caminhantes que iam no sentido inverso, talvez com o intuito de pernoitar nos prados. Chegámos ao carro cerca de 4 horas depois de termos iniciado esta aventura e ainda fomos a tempo de assistir a um prenúncio de despedida do sol desde o miradouro da Pedra Bela.

Muito obrigado pela partilha!

118Uploaded by Geopt Geocaching Tools -> http://gctools.geopt.org

Additional Images Additional Images

118 log image 118

119 log image 119

121 log image 121

124 log image 124

126 log image 126

128 log image 128

132 log image 132

133 log image 133

137 log image 137

140 log image 140

143 log image 143

144 log image 144

145 log image 145

153 log image 153

155 log image 155

159 log image 159

169 log image 169

180 log image 180

187 log image 187

191 log image 191

192 log image 192

201 log image 201

203 log image 203

205 log image 205

208 log image 208

118 log image 118

119 log image 119

121 log image 121

124 log image 124

126 log image 126

128 log image 128

132 log image 132

133 log image 133

137 log image 137

140 log image 140

143 log image 143

144 log image 144

145 log image 145

153 log image 153

155 log image 155

159 log image 159

169 log image 169

180 log image 180

187 log image 187

191 log image 191

192 log image 192

201 log image 201

203 log image 203

205 log image 205

208 log image 208

infoA Mystery Cache is the “catch-all” of cache types, this form of cache can involve complicated puzzles you will first need to solve to determine the coordinates. The only commonality of this cache type is that the coordinates listed are not of the actual cache location but a general reference point, such as a nearby parking location. Due to the increasing creativity of geocaching this becomes the staging ground for new and unique challenges.
Visit Another Listing:

Advertising with Us