View Geocache Log

Found it Valente Cruz found Lagoa dos Druidas

Friday, May 25, 2012Viana do Castelo, Portugal

It looks like your log contains HTML or UBB formatting. We now use Markdown formatting because it works on both web and mobile. Would you like to convert your log?

Success! To keep these changes, hit “Submit Log Entry” at the bottom of the page.

Hmm. Some of your log formatting is not supported. You might want to remove it and use Markdown formatting.

Esta "Lagoa dos druidas" foi o ponto de partida para uma pequena loucura/aventura; daquelas em que a ideia parece nascer de um momento maior que todos os medos ou inquietações. A mesma esconde-se depois abrigada pela consciência mas, de vez em quando, mostra-se irrequieta, lembrando-nos do que temos de fazer. Neste caso, foi subir a Fraga das Pastorinhas, partindo do rio Peneda e tendo como referência esta cache.

Arranquei muito cedo de casa e a viagem foi longa; lá pelo meio acabei por fazer um desvio errado e andei perdido no meio de Gaia. Felizmente não sou muito susceptível a maus augúrios e tenho relutância em depositar a minha confiança da palavra "destino". Voltei à rota e segui até Ponte de Lima. Por esta altura, o nevoeiro começou a aparecer. Quando entrei no PNPG o ar estava tão cerrado que não se via para lá de mais de 30 metros. Nesta altura comecei a pensar que não seria boa ideia tentar a abordagem da subida da Fraga e tentei confortar a voz interior que me lembrava da vontade antiga.

Parei no miradouro por cima de Tibo e não se via absolutamente nada para o outro lado. Por esta altura já estava a dizer mal da minha vida, até porque o combustível está caro. Ainda assim, e não sei muito bem porquê, em vez de seguir para o Santuário da Peneda, de onde tentaria uma outra abordagem, já que previamente tinha colocado o track no GPSr, preferi continuar para Tibo. À medida que ia descendo na aldeia, comecei a notar que o nevoeiro desaparecia. Ao chegar perto do local de estacionamento, fiquei a saber que o nevoeiro estava apenas até metade da Fraga, pelo que a esperança renasceu.

O plano passou então a ser visitar esta cache, que obviamente já estava referenciada, e fui seguindo pelo trilho. Não via ninguém na zona e rapidamente cheguei perto do rio Peneda. Fiquei naturalmente fascinado com a paisagem e percebe-se a ligação ao nome da cache. Em menos de nada, estava junto ao tesouro, que rapidamente apareceu. O logbook é uma pequena preciosidade e muito adequado.

Depois do log veio uma grande aventura. A ideia era "apenas" ver até onde dava para subir mas "apenas" acabei lá em cima. Na vinda passei outra vez nesta cache e completei o registo. Devo dizer que subir para a aldeia foi difícil, pois já estava muito cansado e pelo meio ainda apanhei com duas vacas que me fizeram andar por atalhos. Gostei muito de visitar este local e a cache está "no ponto". Parabéns pela mesma e obrigado pela partilha do local, que é muito convidativo para um regresso no Verão!

This entry was edited by Valente Cruz on Tuesday, 05 June 2012 at 12:54:28 UTC.

infoThis is the original cache type consisting, at a bare minimum, a container and a log book. Normally you'll find a tupperware container, ammo box, or bucket filled with goodies, or smaller container ("micro cache") too small to contain items except for a log book. The coordinates listed on the traditional cache page is the exact location for the cache.
Visit Another Listing:

Advertising with Us