Skip to Content

View Geocache Log

Found it joom found Entranhas da Terra

Thursday, May 3, 2018Vila Real, Portugal

#8588 @10:30

Dia de ir aos Carris comemorar a chegada à maioridade do Geocaching aproveitando o feriado da terra do galo.

Se havia cache que gostava de ser o primeiro a encontrar era esta. Já sabia que tinha sido atribuída e, obviamente e numa escolha natural, a sua localização seria no mapa verde. E nada como ser “obrigado” para uma nova incursão a este património mineiro e testemunha de outros tempos e vivências neste local remoto.

Não tinha chegado há muito numa coincidência premonitória de outra incursão ao fabuloso território do mapa verde, quando esta cache foi publicada. Fiquei logo com a pulga atrás da orelha. Fui ver as condições meteorológicas, o Sol apareceria, e tentei de encontrar companhia para o dia. Pela data foi fácil encontrar voluntários.
Acordei por volta das 3 da manhã a ouvir chuva a cair. Daquelas que levam a pensar em planos alternativos e começar a ver, outra vez, as previsões. Eram animadoras. De manhã o tempo continuava farrusco mas mais tarde o céu seria descoberto e veríamos o seu azul. O plano mantinha-se e pouco mais dormi até às 5:30 a hora combinada para o encontro.
Já na Portela do Homem e armados com os códigos do dia do portal quântico apontámos a esta cache. Eram 7:13. Mesmo antes de avançarmos apareceu-nos um cão no caminho. Inicialmente até parecia uma raposa tal as suas semelhanças. Mas era um canídeo.
Andou um pouco connosco e como não era um bom plano, tratámos de mostrar que não era uma boa ideia. O melhor era ficar por ali. Não ficou convencido à primeira, mas à segunda desapareceu do radar.

A viagem foi rápida, a lembrar o martírio que é passar por aqui. E passadas umas horas, tal a Dra. Alloway na obra de Carl Sagan, estávamos à porta de outro mundo. Ali na entrada do velho complexo mineiro e onde quase não se lê as inscrições no granito.
Por esta altura a ida à virtual ficou momentaneamente em segundo plano. Os estômagos já pediam para ser reconfortados, e ali, a pouco menos de duzentos metros de distância, abrigámos no único local minimamente confortável e ainda com tecto. Tinha chegado a hora do primeiro almoço. O segundo seria daí a momentos e integrado nas comemorações: os 18 anos do geocaching, o FTF e termos encontrado a cache.

Cumpridos os requisitos e admirado o poço quase sem fundo, quantas vezes terá subido o elevador por aqui, fomos explorar o espaço. Em alguns locais seria uma revisita, o que não foi nada de incómodo. Aproveitei então para tentar terminar um projecto começado há muito e para o qual ainda me faltava recolher alguns dados. A ver se é desta.
Escolhemos para local do segundo almoço e para estarmos abrigados do vento frio que se sentia, a zona perto da fonte. E foi nessa altura que ao afastar-me para fotografar que vi o ladino canídeo a olhar para nós atrás do muro. Tinha-nos seguido. Agora tínhamos a preocupação que ali não podia ficar. Passar aqui a noite não seria muito abonatório para a sua saúde.

Depois de umas voltas para que o NÉ encontrasse as caches da zona, era a primeira vez que aqui vinha, apontámos ao regresso e desta vez já com calores e debaixo de Sol incidente.
Ainda a faltar alguns quilómetros na nossa viagem planetária cruzámo-nos com um casal que andavam por ali, e nitidamente, ao engano. Felizmente que já regressavam e não tinham tido ideia peregrina de seguir em frente. Iam bem calçados para o simpático piso.

O canídeo ainda ficou para trás a fazer-lhes companhia mas não demorou muito a vir para ao pé de nós, sempre atrás e como quem pasta um rebanho. Tinha como missão levar-nos até ao fim.
E foi isso que aconteceu. Quando chegámos ao carro, depois de uma jorna de oito horas, tinha chegado a hora de seguir caminhos separados. Tinha terminado mais um fabuloso dia de geocaching e mesmo numa zona que parece saturada esta virtual tem o seu merecido lugar.

E foi um saboroso FTF
Encontrada na agradável companhia do Joca, dos Joca.Sara e do NÉ, dos LAUDY_NÉ
Obrigado pela cache e parabéns pela sua atribuição

Aí vamos para o nevoeiro obeso

Additional Images Additional Images

infoA virtual cache is a cache that exists in a form of a location. Depending on the cache "hider," a virtual cache could be to answer a question about a location, an interesting spot, a task, etc. The reward for these caches is the location itself and sharing information about your visit.

Because of the nature of these geocaches, you must actually visit the location and acquire the coordinates there before you can post. In addition, although many locations are interesting, a virtual cache should be out of the ordinary enough to warrant logging a visit.

Virtuals are now considered waymarks on Waymarking.com.
Visit Another Listing:

Advertising with Us

Return to the Top of the Page