Skip to Content

View Geocache Log

Didn't find it Team Ferreira couldn't find "Tou às aranhas" [Gerês]

Friday, August 5, 2011Braga, Portugal

Há muito que estávamos para fazer esta caminhada e a oportunidade surgiu nestas férias. Às 9 horas, o grupo estava a iniciar a caminhada na Ermida do Xurês, tendo o passeio corrido bem até à Mina das Sombras.
Aí chegados fomos procurar o "tesouro" (que apareceu com facilidade graças à dica) e explorar a mina. De regresso à luz do dia e ao calor foi hora de almoçar.
Não foi fácil encontrar o trilho para a Mina dos Carris e avançamos boa parte do caminho a corta mato.
Estas minas são enormes comparadas com a das Sombras e devem ter sido um grande complexo mineiro. A paisagem é verdadeiramente soberba e por lá ficamos, extasiados, bastante tempo depois de termos ido procurar a cache que apareceu com facilidade.
Ainda na zona dos Carris, fizemos também a cache localizada junto ao marco geodésico.
Estava na hora do regresso, mas ainda havia esta cache perto, "apenas" a 1.200 metros. Assim enquanto parte do grupo regressou às Sombras e daí para a Ermida (em boa hora o fizeram...) os restantes meteram pernas ao caminho para alcançarem a almejada cache.
Sem qualquer trilho os "só" 1.200 metros revelaram-se bastante difíceis de vencer e perdemos bastante tempo a avançar pelo meio do mato e rochas graníticas num sobe e desce de vários montes.
Chegamos à zona da fronteira e a cache estava "apenas" a cerca de 300 metros, parecendo-nos que ficaria no topo de um monte, bem inclinado, junto a um marco fronteiriço...
Ai chegados, a surpresa - a cache não estava nesse local mas no topo do monte seguinte, a cerca de 150 metros.
Não havia outra solução que não a de descer, a direito, a outra encosta deste monte e atacar o próximo, onde estava o tesouro, no cimo dos enormes rochedos de granito.
Alcançamos o GZ, mas, infelizmente, apesar da busca exaustiva que fizemos, não conseguimos encontrar a cache, que seria, sem dúvida "a cereja no topo do bolo". Fustrados, agora tinhamos que decidir como regressar à mina das Sombras - retornando aos Carris para apanhar o trilho ou indo a direito, pois o GPS indicava as Sombras a 1.100 metros.
Claro que a decisão foi seguirmos a direito. Mal sabíamos onde nos íamos meter...
Avançamos pelo meio do matagal a direito e sem grande dificuldade em direcção ao topo de um monte que segundo o GPS ficava a 400 metros das minas.
Aí chegados, foi grande o espanto quando nos apercebemos que estávamos no topo da montanha em cuja base se encontra a mina das Sombras!
Ao fundo, lá bem abaixo, víamos os edifícios abandonados das minas mas como lá chegar???
Pela frente tínhamos uma encosta a pique e cheia de grandes pedras e rochedos sem qualquer trilho aparentemente impossível de descer.
Mas a alternativa era bem pior - fazer todo o caminho de regresso aos Carris sempre a corta mato para regressar às Sombras pelo trilho.
Atendendo à hora avançada e ao cansaço decidimos descer a encosta. Com muito cuidado e ajuda mútua lá o fizemos demorando mais de 1 hora.
Retomado o trilho, agora era fácil fazer os restantes 6 kms até à Ermida, até porque o caminho era a descer, pensávamos nós. Estávamos bem enganados...
Cerca de 2 kms depois, chegamos a um cruzamento em que o trilho atravessava um estradão. Como a namorada do Uveirinha estava com dores num joelho e o trilho era muito acidentado decidimos seguir pelo estradão pensando que este terminaria também na Ermida do Xurês...
Com esta decisão acabamos por fazer mais 12 kms e fomos sair junto à fronteira da Portela do Homem, eram 0h10m e andavam já os outros elementos do grupo à nossa procura com um jipe da Protecção Civil espanhola!
Foram cerca de 32 kms e 15 horas de um passeio inesquecível (para todos, mas em especial para o Titi, que andou raidante todo o dia, apesar do cansaço) por uma zona de paisagens soberbas que justificaram cada minuto!
Voltaremos assim que possível para vingar este DNF.

Team Ferreira (feita com o Uveirinha e 4 muggles)

Ver / Editar registo

A caminho

Additional Images Additional Images

A caminho A caminho

Mas onde estará a caixinha??? Mas onde estará a caixinha???

É hora de regressar É hora de regressar

infoA Mystery Cache is the “catch-all” of cache types, this form of cache can involve complicated puzzles you will first need to solve to determine the coordinates. The only commonality of this cache type is that the coordinates listed are not of the actual cache location but a general reference point, such as a nearby parking location. Due to the increasing creativity of geocaching this becomes the staging ground for new and unique challenges.
Visit Another Listing:

Advertising with Us

Return to the Top of the Page