Skip to Content

View Geocache Log

Found it bmps2003 found eXTReMe CHaLLeNGe [UTSF]

Sunday, June 3, 2018Aveiro, Portugal

[Parte I]

Log na totalidade em PDF

#12.000, 03/06/2018 @ 18:00

Tour eXTReMe CHaLLeNGe [UTSF] - Serra da Freita

[Dia 0 - o "treino"]

Finalmente chegou o tão desejado fim de semana com um tremendo desafio que, já à muito, estava em calendário em que seria preciso tempo, companhia, e muita preparação física e psicológica.

Este dia foi marcado pela viagem desde Pombal até Arouca e algumas voltinhas na serra que nos foram descortinando o que iríamos encontrar nos próximos 3 dias.

Depois de algumas caixinhas, previamente delineadas, pelo caminho, almoçámos em Arouca e seguimos de cachemobil para Rio de Frades onde fomos treinar um pouco de river-walking até à cache simplesmente fenomenal. Uma tremenda aventura e um local fabuloso de deixar qualquer um de queixo caído.

Subimos a Freita, não obstante carregada de nevoeiro, deu para uma mão cheia de caixinhas pendentes por ali, terminando na mítica Frecha da Mizarela, local já bem conhecido por mim, mas não para os Reis.

O fim do dia chegou e, depois de um belo jantar em Arouca, rumámos a Regoufe onde pernoitámos no Geo MotorHome dos Kings e onde terminámos o primeiro dia.

[Dia 1 - Merujal - Tebilhão - Cabreiros - Rio de Frades - Covelo do Paivô - Regoufe]

A hora combinado foi às 8 no Merujal, logo tivemos que levantar um pouco mais cedo para nos deslocarmos de Regoufe para Merujal no Golf-TT e, assim que chegámos, rapidamente nos fizemos ao trilho, ainda que a nossa rainha estivesse um pouco apreensiva sobre onde se iria meter neste primeiro dia.

O nosso caminho começou pelo PR7, percurso muito bem delineado, que eu já conhecia de o ter percorrido à uns anos, e ter adorado. Chegados ao miradouro da Mizarela rumámos a Albergaria da Serra integrando agora o PR15, onde uma pequena cadelinha branca, que apelidámos de "Mizarela" (por a encontramos junto a frecha), nos foi acompanhando a alguns metros de distancia.

Este percurso PR15 totalmente desconhecido para mim, agradou-me imenso e embora o denso nevoeiro, nos tenha impedido de ver o horizonte, foi possível, a curta distância, apreciar os bonitos vales e a ribeira que nos acompanhava.

Tínhamos já percorrido cerca de 3,6km, quando nos surgiu uma ponte para um enorme planalto. Foi neste local que fizemos a despedida da "Mizarela”, que terminou ali o seu trajeto e nos deixou seguir por estes longos caminhos desconhecidos.

Alcançámos depois um local já conhecido de alguns anos, as Pedras Boroas, mas desta vez não ficámos ali a apreciar, seguimos pelo trilho até cruzarmos alcatrão e entrarmos na GR28 rumo a Tebilhão.

Depois de uns longos 4 km de trilhos e estradões a rápido ritmo, já sentíamos o orvalho a entrar pelas botas, o nevoeiro mantinha-se, mas e, à medida que íamos chegando mais perto de Tebilhão, ia-se dissipando.

A chegada a Tebilhão foi a nossa marca dos 10 km, e aqui, para além da GR28, íamos entrar no tão famoso caminho do Carteiro, o PR6, e a próxima aldeia seria Cabreiros como destino para o merecido descanso.

Passámos as estreitas ruelas desta aldeia e começámos a descer um bonito trilho em calçada em que fomos passando por uns campos de cultivos, que eram separados por enormes lajes inclinadas, dando um ar lindíssimo ao percurso.

Continuámos a descer e alcançámos o Rio Pequenino, local este onde também se pratica Canyoning, que eu desconhecia completamente, em que a área envolvente é belíssima. Tínhamos, agora, uma grande subida até Cabreiros, e com as pedras molhadas e agua a escorrer pelo caminho não estava muito fácil.

[Continua na próxima Write Note...]

BMPS5299

Visit Another Listing:

Advertising with Us

Return to the Top of the Page