Skip to Content

View Geocache Log

Found it Gilliam found Paço dos Condes de Tentúgal/dos Duques do Cadaval

Friday, April 20, 2018Coimbra, Portugal

Tarde livre e com o sol a brilhar no céu. Informo a família da existência desta cache "perto" de casa e lá fomos nós. Estaciono bem ao lado do gz e sai a filhota do carro disparada para o esconderijo. Rapidamente aparece com a cache nas mãos e assina o logbook... Passado alguns minutos, pergunto-lhe se demora muito... "Ah!! Desculpa, pai! Estava a fazer uns bonecos!". Acabou o que estava a fazer e recolocou a cache no seu esconderijo para seguirmos em direção ao Paço pelo caminho que ali existe.
Passámos por um pequenino trilho de água e chegámos ao cimo do barranco, onde nos deparámos com a vista para o Paço, para o Celeiro, para o local onde existiu a eira "gigante" e com um rebanho de ovelhas acompanhado pelo seu pastor. Acenei para o senhor para tentar perceber se poderíamos entrar e dar uma olhadela e ele acenou de volta a dizer para nos aproximarmos. E assim, fizemos. O senhor, de nome José, prontificou-se de imediato a mostrar-nos tudo. E assim foi... Primeiro visitámos o que resta da Capela do Paço, onde ainda dá para ver uns azulejos com São Miguel do Paço. Esta zona e o campo, que se encontra entre o Paço e o Celeiro, tem sido utilizada como dormitório do rebanho. Depois seguimos para uma parte do Paço onde que tem umas portas em forma de ogivas e com uma parte exterior bem preenchida pelo arvoredo. Nessa altura, o Sr. José, contou-me que o Paço e os terrenos envolventes pertencem ou pertenceram a uma senhora que vive em Muge. Depois tentou explicar-me a dimensão dos terrenos que pertencem ao Paço em si e fiquei boquiaberto... É enorme!!!! Seguidamente, entrámos para o edifício do Paço em si. Fomos ver a adega, subimos à zona das casas de banho e visitámos todo o primeiro andar que, por um lado felizmente porque já teve alguma intervenção o que atrasará a completa ruína do edifício, por outro lado infelizmente porque se perdeu alguma da traça original. Aqui o Sr. José disse-me que a casa foi muito vandalizada e que houve muita coisa que foi roubada. Posso dizer que as vistas são belíssimas e podemos ver praticamente todo o Baixo Mondego desde Taveiro a Santo Varão ou mesmo Granja do Ulmeiro e Alfarelos. Depois de visitarmos o primeiro andar, onde ainda conseguimos ver alguns pormenores giríssimos, como uma varanda com umas colunas com uns capitéis bem trabalhados ou uma grade de uma outra varanda com o brasão da família trabalhado em ferro, seguimos para o celeiro. Não é mentira nenhuma, dizer que o celeiro é mesmo grande!!! Já não tem telhado mas ainda podemos ver duas filas de colunas que o sustinham. E fim da visita! Despedi-mo-nos do Senhor José que foi de uma disponibilidade impecável e ele disse que poderíamos voltar mas que tentássemos ir mais cedo porque a esta hora (eram quase 18:00) tinha de ir ordenhar o rebanho que tem quase duzentas cabeças! E lá fomos nós, fazendo ainda um pequeno desvio para tirar uma foto na zona da eira que já não existe e que agora tem algumas laranjeiras e um caminho com uns arcos ogivais. De repente, aparece-nos novamente o Senhor José! Este senhor não existe!!! Quis mostrar-nos uma fonte que só foi possível ver graças à ao desbaste de mato à pancada com o cajado, e a nascente que a alimenta! Depois de as visitarmos, ainda nos informou que a quinta tinha mais duas capelas além da do paço. Uma delas era ali perto, e portanto fomos visitá-la e uma outra num local que não consegui apurar. Regressámos ao carro com o coração cheio!

Um grande obrigado ao F&F pela partilha deste belíssimo local que merece ser protegido da degradação em que está a cair e pela cache!

O Paço ao longeTambém se vê o caminho de acesso e o barranco

Visit Another Listing:

Advertising with Us

Return to the Top of the Page