Skip to Content

View Geocache Log

Found it Pintelho found Indiana Jones and the Mysterious Waterfall

Saturday, July 18, 2015Aveiro, Portugal

#2530, 7/18/2015

Ao início da tarde, depois de uma noite de copos e uma manhã bem dormida a recuperar, entrei no carro do Shore.
Os dois de cabelo comprido, t-shirt preta, a ouvir o Sworn to a Great Divide na íntegra. Quem nos visse através da janela da velha carrinha pensaria que, sem dúvida, nos dirigíamos para um qualquer concerto de heavy metal e, no entanto, ali estávamos nós, a caminho do Gerês.
O pretexto oficial era o de subir a Fenda da Calcedónia, lugar que o Shore, na altura um rookie na escalada, conhecera recentemente, e que agora me queria mostrar. O verdadeiro pretexto era o de comer o belo Bife à Gerês, naquele pequeno restaurante da Vila, na companhia do Pedro “Gerês”.
No caminho entre Braga e a Fenda, falou-me de um casal amigo que levara lá acima, e que procuravam uns tesouros. “Um tupperware com um livro onde tu registas a visita, a provar que encontraste. E tem brinquedos para troca. A regra é deixar um sempre que pegares noutro, para aquilo nunca ficar vazio. Acho que há uns cinco ou seis em Portugal…”
Gostei do que ouvi, mas pouco liguei quando, após a memorável experiência de subir a Fenda, me indicou o lugar do “tesouro”. Prossegui para o VG, apreciei as vistas e descemos. A noite foi fantástica, com direito a um grande convívio.

Hoje fui procurar uma cache especial, num sítio especial, com uma companhia especial.
O Shore já é “pro” na escalada, e eu mudei. Muito. Mudei essencialmente porque adotei um estilo de vida mais saudável. Invisto o meu tempo livre a explorar recantos, a viajar, a passear, a conhecer. A caminhar, muito. A subir, a descer.
E posso afirmar sem quaisquer dúvidas que o grande culpado por esta mudança foi o Geocaching.

Sai-me relativamente barato. Investi num bom GPS e numas boas pilhas recarregáveis. Uma lanterna, lanterna UV, umas boas sapatilhas de caminhada (não sou fã de botas) e tenho todo um mundo como campo de jogos. E de borla!

Regressei a Rio de Frades depois de, há tempos, por lá ter passado a celebrar uma milestone do anjomaco e do buscaterra. Dormi no Merujal, na tenda que eu e a GS tanto gostamos de montar. Aquele parque de campismo funciona como que uma porta para o indescritível "campo de jogos" da Freita.
Montámos a tenda, de manhã cedo, e olhámos para o céu, que insistia em não limpar, em não nos deixar saber como se iria comportar.
Ora chovia, ora não, mas o sol não se mostrava, não raiava.
Decididos, após um café quente num dia que nem parecia de verão, descemos a serra em direção a Rio de Frades. Paragens ocasionais, aqui e ali e, já com a manhã no final, chegámos ao Parque de Estacionamento daqueles que, menos habituados ao canyoning, usam a mina de volfrâmio abandonada como porta de entrada para o Frades. Estava repleto de viaturas. Possivelmente, mais que um grupo descia o rio, e ali era o ponto de chegada.
Para nós, era ponto de partida.

[url=http://www.geopt.org/link.php?gctools=4]Logged by Geopt Geocaching Tools[/url]

11760159_10205018837166135_4710686728694984003_n

Additional Images Additional Images

11760159_10205018837166135_4710686728694984003_n 11760159_10205018837166135_4710686728694984003_n

GOPR0011 GOPR0011

infoThis is the original cache type consisting, at a bare minimum, a container and a log book. Normally you'll find a tupperware container, ammo box, or bucket filled with goodies, or smaller container ("micro cache") too small to contain items except for a log book. The coordinates listed on the traditional cache page is the exact location for the cache.
Visit Another Listing:

Advertising with Us

Return to the Top of the Page