Skip to Content

View Geocache Log

Found it joom found Lagoa dos Druidas

Saturday, May 19, 2018Viana do Castelo, Portugal

#8643 @15:42

Volta sabatina aos altos da Peneda com vários objectivos: um par de caches novas, acabar um grau que estava parado há muito e desfrutar desta zona fantástica. Curiosamente encontrámos caches que não o eram há mais de um ano.

E finalmente vim aqui e assim concluo um desafio há muito à espera. Não me lembro das vezes que passei ali por cima, já em modo geocacher, e olhei para a entrada para Tibo. Por uma ou outra razão o potencial energético da cache não era o suficiente para virar aqui. Por vezes era por ir a caminho de outras paragens, doutras era porque já estava no fim do dia, com alguns quilómetros nas pernas e sem o estímulo certo. A vontade havia desde sempre, mas e, infelizmente, os astros nunca se alinharam favoravelmente.

Hoje, tal como outras visitas a cache, não passaria. Hoje estava na hora certa de aqui vir. Fomos à procura do estacionamento aconselhado, que agora reparei que era para aventureiros, e depois de umas tangentes e cuidados entre muros, estacionámos sem mais problemas. Tinha chegado a hora de ver como é que as pernas reagiam depois de 18 quilómetros a mais uma “descidinha” e mais importante a subida final no regresso. Felizmente que seria já com a cache encontrada o que daria outro moral e ímpeto.

Começámos a descida em território simpático e em pouco tempo demos de caras com o calvário, a zona brindada com a exposição solar, com uma inclinação capaz de dobrar as costas ao mais resistente, e neste sentido com as ajudas dos santos ou em linguagem mais correcta, da amiga Gravidade.

Em pouco tempo percorremos as seis centenas de metros e chegámos ao prado verdejante, rodeado por muros cobertos de musgo e entrámos num mundo mágico. Quase que se podia esperar o aparecimento do Panoramix, ou até Merlin que tinha ido ver se a Excalibur ainda andava por ali nas profundezas de alguma lagoa.

Encontrada a cache anterior, apontámos para esta. O barulho do rio, que ouvíamos lá em cima no topo da Nédia mas em modo longínquo, aqui ouvia-se a todo o volume. Estavam ali os decibéis todos para serem apreciados.

Um pouco antes de irmos para o ponto zero, faltando para isso trilho sem obstáculos, fomos apreciar o caudal do rio e as zonas polidas pela água. Pouco tempo depois tinha chegado a hora de irmos procurar a cache. No fundo era isso que nos tinha trazido até aqui. Hoje não estavam reunidas as condições para banhocas, infelizmente, e não havia ninfas a lembrar os tempos de Avalon.

A cache apareceu sem demoras e problemas, guardada apropriadamente pelo Topo Gigio mergulhador. Nota-se o passar dos tempos na cache mas nada de preocupante. Ainda está ali para as curvas.

Cumpridas as formalidades e morto o borrego tinha chegado a hora de regressar ao carrro. Agora estacionado no topo do Evereste. Na última parte da subida, porque é quase sempre a subir, as pernas mostravam-se pesadas.

Valeu a pena ter vindo aqui e mesmo com os altifalantes por cima da capela a debitar músicas características.

Encontrada na agradável companhia do Joca, dos Joca.Sara
Sem trocas
Obrigado pela cache

A Fraga das Pastorinhas

Additional Images Additional Images

A Fraga das Pastorinhas A Fraga das Pastorinhas

Tibo ali ao lado Tibo ali ao lado

Inclinada Inclinada

O caminho é por ali O caminho é por ali

A árvore no muro A árvore no muro

O prado com a zona das fogueiras O prado com a zona das fogueiras

Pormenores das margens do rio Pormenores das margens do rio

O Peneda em força O Peneda em força

O rio O rio

Andámos lá em cima Andámos lá em cima

A lagoa ali ao lado A lagoa ali ao lado

O regresso é lá para cima O regresso é lá para cima

Panela Panela

O caminho entre muros O caminho entre muros

A parte de baixo da fraga A parte de baixo da fraga

Lá para cima há árvores Lá para cima há árvores

Com capacete Com capacete

Um último olhar Um último olhar

Mina ao lado do caminho Mina ao lado do caminho

Onde estacionámos Onde estacionámos

O papelinho O papelinho

Topo Gigio Topo Gigio

infoThis is the original cache type consisting, at a bare minimum, a container and a log book. Normally you'll find a tupperware container, ammo box, or bucket filled with goodies, or smaller container ("micro cache") too small to contain items except for a log book. The coordinates listed on the traditional cache page is the exact location for the cache.
Visit Another Listing:

Advertising with Us

Return to the Top of the Page